Pare com a histeria: justiça não autorizou “tratamento da homossexualidade como doença”

Quem afirma que esta decisão judicial “tratou a homossexualidade como doença” ou que “foi instalada a ‘cura gay'” é muito desonesto ou analfabeto. Não há meio termo. É desonesto quem entendeu – e sabe que não é nada disso. É analfabeto quem leu e não entendeu – porque o Juiz Federal não disse nada (nada!) sobre considerar doença.

 

Pelo contrário, a decisão preserva a redação integral da Resolução nº 01/1999 do Conselho Federal de Psicologia, apenas afirmando que “a fim de interpretar a citada regra em conformidade com a Constituição, a melhor hermenêutica a ser conferida àquela Resolução deve ser aquela no sentido de não privar o psicólogo de estudar ou atender àqueles que, voluntariamente, venham em busca de orientação acerca de sua sexualidade, sem qualquer forma de censura“.

No dispositivo é possível perceber que a determinação judicial consiste apenas em “determinar ao Conselho Federal de Psicologia que não a interprete (a Resolução nº 01/1999) de modo a impedir psicólogos de promoverem estudos ou atendimento profissional, de forma reservada, pertinente à (re)orientação sexual, garantindo-lhes, assim, a plena liberdade científica acerca da matéria, sem qualquer censura ou necessidade de licença prévia”.

A decisão judicial é, portanto, correta. Não fere a orientação sexual de ninguém, não trata qualquer condição sexual como doença e apenas garante que, se o indivíduo quiser – mediante escolha livre e consciente – procurar um psicólogo, terá o direito de ser ouvido e o profissional poderá realizar estudos e atendimentos reservados, tudo para que seja preservada a vontade espontânea do paciente. É algo mais ou menos assim: se um homem que se diz heterossexual precisa de ajuda e orientação para tornar pública a sua homossexualidade, ele pode procurar um psicólogo e o profissional poderá ajudá-lo no enfrentamento dessa etapa. A decisão permite apenas o caminho inverso. Que mal há nisso?

Se você leu as palavras do magistrado e encontrou “cura gay” você precisa estudar ou parar de ser desonesto. Isso não é questão de opinião, é simples capacidade de inteligência.

Vaquinha O ILISP tem atuado contra a legalização do aborto e em defesa do direito à vida no STF. Para custear a causa, lançamos uma vaquinha. Os interessados em nos ajudar podem fazê-lo por meio do botão abaixo:

153 COMENTÁRIOS

  1. Nada mudou, porque quem quer ir ao psicólogo simplesmente vai e é claro que um profissional não vai negar atendimento.agora, ninguém vai adivinhar que um ser humano está precisando de ajuda , orientação ou qualquer outra coisa ,sendo ele um homossexual ou um heterossexual ” mal resolvido” !
    Parem de querer inventar coisas desnecessárias , invistam na saúde e educação em geral… ..na segurança então,nem se fala!

  2. Comentei mais acima algumas críticas quanto ao dizer que o artigo refere-se a cura ao homossexualismo como se fosse doença e o pessoal ficou digamos irritado, mas ninguém fala nada do uso de hormônios para acentuar mais as características homossexuais, isso não seria tratamento contra a doença hetero? E galera vamos acordar gênero existe dois somente, todo mundo gritar brigar chingar cortar penis tirar seios que seu dna ainda vai dizer o que vc e. Então seguinte deixe a porta aberta para a possibilidade de quem quiser mudar ou “desmudar”, ou mesmo respeitar quem quer ser e quem não quer ser homo ou hetero. E dispêndio de energia pra nada uma discussão que já deveria ser clara, todos tem liberdade para ser o que quiser contanto que não ultrapasse o direito do próximo.

  3. Não é doença, mas sem vergonhice pura, parafraseando meu pai! Orientação sexual? Por um acaso pênis com pênis ou vagina com vagina pode ser considerado ato sexual? Órgãos sexuais são somente estes dois ou também vão querer inventar outro? Vão criar vergonha na cara e deixar de palhaçada!

    • É por casos como você, wilson, que existem pessoas com angústia sobre sua sexualidade. Por causa de discurso de ódio como esse que pais obrigam filhos homossexuais a “reverter a sexualidade”, e o resultado é sempre o mesmo, piora no quadro de depressão, porque NÃO EXISTE REORIENTAÇÃO SEXUAL.

  4. Não existe base cientifica para terapia de reorientação sexual. Qualquer intervenção neste sentido não é ciência, é charlatanismo!

  5. Só sei que na biologia, qualquer ser foi feito para crescer, se reproduzir e morrer. Quando apresentam doença genética São estéreis para não perpetuar um erro genético. O ser humano é o único que mesmo não tendo um defeito genético “quer ter o direito de se auto exterminar” pois xx+xx ou xy+ xy não gera descendentes. Como em um defeito genético não deixará descendentes.. . Se isso não é uma doença o q é???cada um é livre pra escolher fazer o que quiser e mesmo que escolhe exterminar os seus genes da face da terra deve ser respeitado…porem também temos que respeitar a intelectualidade humana e parar com este senso ridículo de não chamar de doença o q claramente é…

    • Mateus, viajou na maionese. Mais de 1500 espécies animais apresentam comportamento homossexual. De inseto a leão, pasa do pela espécie humana. E não tem só xx e xy, tem xxx, xyy, xxxx, xxxxx… não argumente o que não entende. Leia, pesquise e se informe antes de argumentar.

  6. Re(orientação)? Como assim?
    Sou psicologa e não existe isso… Não precisa existir essa resolução pois qualquer pessoa que vem a terapia devido a um sofrimento será atendido e acolhido. Essa resolução só oportunidade aos preconceituosos de considerar que a reversão é possível. Totalmente desnecessário. Eu não reverto e nem curo nada, eu vou auxiliar a reduzir o sofrimento independente da orientação sexual. Acho que cada profissional deve cuidar do que lhe cabe… De sofrimento psíquico cuidam os psiquiatras e psicólogos, não deveria ter nenhum não psicologo ou nada interferindo em uma resolução do Conselho de Psicologia.

    • Este vídeo pode esclarecer a questão política que está por trás dos conselhos de psicologia e o desrespeito ao princípio de ‘Leonat Tyler’ que deveria ser considerado nas pesquisas publicadas.

      https://www.youtube.com/watch?v=NNriLLWcgbQ

      “O ex-presidente da Associação Americana de Psicologia (APA), Nicholas Cummings autor do documento mais importante que mudou o futuro dos gays fala no vídeo sobre o destino da organização após sua gestão e sobre a reorientação sexual. O médico frisa que “a pessoa é quem decide o que fazer com sua orientação”.

  7. Cansativo …ler tantos especialistas em identidade de gênero e interpretação de texto!

    Quantos já frequentaram uma sala de análise? Quantos se e especializaram em interpretação de textos de Direito ?

    Parece-me verosímil crer que menos se 1%, ainda que todas as opiniões mereçam ser acolhidas .

  8. Há milhões de anos os cristãos são discriminados, ninguém cria polêmica, nem fala em direitos iguais. Fala sério, ninguém será obrigado a ir a psicólogo algum, vai se quer. E mais, cada um faz do seu corpo o que quiser. Chega de tanto mimimi. Esse mundo está cada vez mais difícil, tudo é motivo de discussão. Vão lavar uma louça!

    • Ah sim, nenhuma discriminação contra cristãos é discutida… sei… só é tratada como crime por acaso, pois colocaram na lei por acaso…

      Não adianta querer que as pessoas se calem quando o assunto não lhe agrada ou quando se tem interesse em deixar a questão como está (no caso, interesse na “cura gay”). Este é o momento que os liberais e conservadores se separam…

  9. Todos nós lemos tudo isso! A revolta é: liberar isso é trazer mais dor e transtornos pra vida uma pessoa! Em um país onde o índice de suícidio entre jovens homossexuais é grande, liberar isso é correr o risco desse índice aumentar. Fora que, só imaginem o modo como “as famílias tradicionais brasileiras” irão tratar disso com um menor de idade, QUE NÃO TEM DIREITO SOBRE ELE AINDA! Vão tratar dele como um dependente químico. Sem contar que nascemos héteros, nascemos gays, somos o que somos e NINGU TEM QUE SE TRATAR POR ISSO! Isso só mostra o quão nossa sociedade ainda é machista ao ponto de oprimir a pessoa fazendo ela infeliz por ser quem é e assim “querer buscar ajuda” pra mudar isso. Não fale sobre coisas que desmerecem toda uma luta por mudança, ISSO SIM É BURRICE! Por fim: todos nós entendemos o texto, vocês que parecem não entender a nossa revolta! #OAmorÉACura ?❤️

  10. Eu sou psicólogo e posso confirmar que esse debate volta a cada cinco anos, sempre com os mesmos argumentos. A resposta dessa vez vai ser a mesma que sempre…

    “- Olha, pense comigo, e se há alguma pessoa que deseja isso, esse direito pode ser-lhe negado??? Não é sair, igual no X-Men, caçando os diferentes e os obrigando a passar pelo processo não, mas autorizar a alguém que tem essa característica por motivos mil e não a deseja ter… E aí???”

    Então, a psicologia é uma disciplina científica, que já se interessou muito a esse campo de pesquisa. Já faz décadas que a Organização Mundial de Saúde, o Conselho Federal de Medicina brasileiro, o Conselho Federal de Psicologia, entre outras instituições de referência, descartaram qualquer possibilidade de que a homossexualidade esteja relacionada a alguma doença ou distúrbio.

    A formação dos psicólogos fornece as ferramentas para lidar com a situação que você descreve e a solução para o paciente não é uma tentativa de mudar a orientação sexual dele. O sofrimento que essa pessoa pode sentir tem outra origem e o profissional de saúde mental deve ajudar a resolver isso.

    Aqui não se trata de determinar se é um direito individual da pessoa ou não. Se um canhoto resolver procurar um jeito de fazer tudo com a mão direita, o trabalho do terapeuta não é de reconhecer isso como um direito dele, mas sim de ajudar a se sentir bem num mundo que tem uma maioria de pessoas destras.

    A analogia não responde a todos os aspectos da situação mas também como qualquer disciplina científica, é difícil dar uma resposta curta sem explicar um milhão de premissas.”

    “- Então, o problema maior é a nomenclatura dada à suposta terapia de cura gay?”

    Não adianta procurar outros nomes para uma coisa que não existe. A psicologia é um campo científico que responde às mesmas necessidades que o resto da ciência: um método rigoroso, com resultados comprovados e replicáveis. Mesmo que não seja uma questão de patologia/doença e de cura, não existe procedimento para mudar a orientação sexual de um sujeito (nem para um hétero que queria ser bi ou gay, por exemplo). Mas o que foi sim comprovado, é que as “terapias” que existiam antes de ser proibidas eram perigosas (depressão e suicido) e sem resultados positivos.

    Um problema aqui, nesse jeito de enxergar as coisas, é considerar a psicologia como um serviço a um cliente, que deveria ser realizado seguindo o desejo do tal cliente. Isso pode funcionar no cabeleireiro (mesmo que eu imagina que as vezes eles devem falar pro cliente “desculpa querido, mas isso não vai dar certo”), mas a função do psicólogo é outra. Aliás, muitas vezes a terapia vai seguir outro caminho daquele que o paciente chegou a pedir inicialmente.”

  11. Qualquer ideia de “reversão de identidade sexual profunda é não científica e perigosa. O sofrimento de alguém neste campo não nasce dele, mas do mundo preconceituoso ao redor. Devemos sempre discutir o racista, jamais o negro como problema no campo em questão. O homoerotismo, a bissexualidade e todas as formas de identidade sexual ( muitas e variadas) incomodam pessoas inseguras, reprimidas, com desejos contidos e que não podem permitir a felicidade alheia. (Leandro Karnal).
    Desonesto é querer empurrar de todo jeito que essa decisão é pura e inocente a fim de ajudar quem tem a necessidade de melhorar o reconhecimento de sua sexualidade.
    No meu entendimento tudo consisti no termo (re), acompanhamento psicológico todo mundo deveria que ter, porém reorientar e colocar numa direção supostamente certa, atribuir possibilidades de tratamento esta implícita a ideia de doença, disfunção, distúrbio … o qualquer coisa que torne patológico a exercício da sexualidade.
    No caso da sentido sim e não é indispensável para o entendimento,
    (Re)orientar:Orientar(-se) novamente; dar ou ganhar nova orientação,
    Orientar: Reconhecer o lugar em que se está (com relação à direção a seguir), Inteirar-se.
    Os termos acima são bem claros, no caso da sexualidade o psicólogo tem a função de reconhecer a pessoa em sua individualidade, e sim orientar para seu reconhecimento social, e não redireciona-lo para um novo entendimento sem seu reconhecimento.
    Mostra que não é uma questão ser alfabetizado ou não, como escreveu sem o minimo de educação esse texto, mas do real entendimento do conteúdo desta decisão.

  12. Pelo que li, a decisão abre espaço para pais buscarem tratamento para filhos que ELES forçam a quererem serem “Heteros”.

    E eu tenho uma visão bem mais simples – não entendo como algum homossexual gostaria de se “reorientar” como hetero a não ser que forçado. Da mesma forma como um hetero não sente atração por homens não irá num psicólogo caso queira ser “re-orientado” para gostar de homens. Isso não existe. Se você conhece um caso de um hetero que queria muito ir num psicólogo para ser “reorientado” para ser gay, por favor me avise!

    Meio sem pé-nem-cabeça, então. A única coisa que isso vai fazer é permitir que pessoas gays cuja igreja e/ou pais estejam FORÇANDO elas a “voltarem a ser heteros” possam pagar por tal “re-orientação” sexual – que obviamente irá fracassar miseravelmente, porque ninguém escolhe sentir atração sexual, ela está lá e pronto.

  13. A impressão que dá é que estão com medo que seja feito estudos e terapias e percam adptos . Se vcs tem tanta certeza do que querem por que a preocupacao?

  14. Eu gostei muito do seu comentário, É difícil alguém comentar e não se colocar em uma situação de vítima, vc falou a vdd tem uma família que te apoia, sei que existem pessoas que não aceitam, mas tem vários que respeitam mas mesmo assim alguns gays querem ser vítimas sempre.

  15. Tive até um pouco de resistência de ler o texto de Antônio de Moura, que não conheço, porque penso que ele perdeu a razão no momento em que inicia o texto chamando as pessoas que tem opiniões diferentes a dele de ignorantes, desonestas, analfabetas e etc….

    Ainda assim li cuidadosamente o texto e penso que o autor está absolutamente equivocado.

    Se a decisão do juíz trata disso que ele falou, ela é nula, desnecessária, pois isso já existe e sempre existiu.

    Nunca foi impedido a qualquer pessoa procurar um profissional para falar, questionar, receber orientação, tentar entender….isso é terapia pura. Não precisaria de nenhum juiz autorizar isso, pois isso nunca deixou de valer, nunca houve impedimento e nunca existiu dúvidas quanto a isso.

    Sinceramente… ..não entendi….

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here