Câmara aprova sistema de dados sobre violência somente contra as mulheres

6

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 5000/16 que cria a Política Nacional de Dados e Informações relacionadas à Violência contra as Mulheres (Pnainfo) para “reunir, organizar, sistematizar e disponibilizar dados e informações sobre todos os tipos de violência contra as mulheres”. Mesmo sendo vítimas de 92,5% dos homicídios cometidos no país, os homens não foram incluídos na medida.

Para alcançar os objetivos da Pnainfo, o estado instituirá em meio eletrônico um registro unificado de dados e informações sobre a violência somente contra as mulheres. Entre outros pontos, o registro deverá conter:

– local, data e hora da violência, o meio utilizado, a descrição da agressão e o tipo de violência;
– perfil da mulher agredida, incluídas informações sobre idade, raça/etnia, deficiência, renda, profissão, escolaridade, procedência de área rural ou urbana e relação com o agressor;
– características do agressor, incluídas informações sobre idade, raça/etnia, deficiência, renda, profissão, escolaridade, procedência de área rural ou urbana e relação com a mulher agredida;
– ocorrências registradas pelos órgãos policiais;
– quantidade de medidas protetivas requeridas pelo Ministério Público e pela agredida, bem como de medidas concedidas pelo juiz.

A proposta agora segue para votação no Senado Federal.

COMPARTILHAR
Marcelo Faria
Presidente do ILISP e empreendedor.

6 COMENTÁRIOS

  1. Porque somente contra mulheres? Porque assim as agendas que visam fazer o governo entrar dentro das casas avançam. Se colocar todos os assassinatos (homens + mulheres), o que vai progredir é a agenda pró-armas.

    Enfim, divulgar “violência contra a mulher” ajuda o governo a entrar nas casas e por as mãos … NOS FILHOS!

  2. Vejam que interessante ao mesmo tempo absurdo: As mulheres reclamam tanto sobre “direitos e mais direitos” que dizem não possuir,mas é nessas horas que vemos a diferença entre as mulheres de hoje e nossas mães e avós,estas sim praticamente sem direitos a nada! Hoje o que mais vemos são mulheres reclamando todos os dias disso ou daquilo,fora as feministas que nem de mulheres podem ser chamadas,mas sim de “coisas”.Enquanto isso,nós homens continuamos vendo outros homens sendo mortos diariamente nas ruas,sendo massacrados de todas as formas e ninguém fala nada.Outra coisa:Mulher se separa do homem,a primeira coisa que fazem é irem atrás das malditas pensões e isso quando não tomam tudo do homem, como aconteceu com meu cunhado que foi obrigado pela justiça a sair de sua casa,casa essa que ele praticamente construiu mas que ficou para sua “amada” esposa,uma vagabunda que nunca lhe ajudou em nada mas que a lei beneficiou com tudo! Ele saiu com a roupa do corpo,suas roupas que tinha guardadas e seu carro que comprou em seu nome,caso contrário nem o carro ficaria com ele!!! E depois essas vagabundas vem reclamar que não tem direitos! Nós é que não temos direitos nenhum.Agora vou escrever em letras bem maiúsculas para os jovens que estivem lendo minha arenga: QUEREM SER FELIZES DE VERDADE? NÃO SE CASEM JAMAIS! ESTUDEM,SE FORMEM,CONSIGAM UM BOM EMPREGO E VÃO CUIDAR DE SUAS VIDAS,QUANDO PRECISAREM DE MULHERES VOCÊS SABEM ONDE ENCONTRÁ-LAS E O QUE É MAIS IMPORTANTE: SEM COMPROMISSO NENHUM!! ENTENDERAM? NÃO PROCUREM POR CONFUSÕES EM SUAS VIDAS,POR FAVOR! PONTO FINAL!

  3. Como se já não bastasse o CNJ querendo saber, nas audiências de custódia, o “nome social” do(a) preso(a) e se ele(a) declarou ser LGBT…

  4. “Bureaus”, “ministérios”, “programas nacionais”, “políticas nacionais”, etc. Botar bandido na cadeia e deixá-los lá que bom, nada. É a maldita estatolatria estética, que seduz tantos idiotas e outros com intere$$es particulares.

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira seu comentário
Insira seu nome