USP oferece aula de pós-graduação em protestos ministrada por articulista da Carta Capital

A Universidade de São Paulo (USP) está oferecendo mais uma disciplina curiosa com o dinheiro dos pagadores de impostos: aula de pós-graduação em protestos. A disciplina faz parte do Programa de Pós-Graduação em Sociologia (PPGS) da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH).

De acordo com a ementa da disciplina, disponível no site oficial da USP, ela busca “investigar os chamados ‘os mais novos movimentos sociais'”, introduzindo uma “perspectiva transnacional no tratamento das questões de pesquisa acerca dos movimentos urbanos de resistência que tem ocorrido São Paulo e demais capitais brasileiras nos últimos anos”. O conteúdo da disciplina inclui “as ruas e as redes sociais”, o esquerdista “Occupy”, as manifestações de “Junho de 2013” – iniciadas pela esquerda e depois tomadas por diversas pautas – e o movimento racista negro americano, o Black Lives Matter.

A responsável pela disciplina é a antropóloga e articulista da Carta Capital, Rosana Pinheiro-Machado, que informa em seu perfil oficial no Facebook o real caráter da disciplina “sobre protestos e indignação”: “iremos a protestos, faremos rodas de discussão e para fechar com chave de ouro teremos Djamila Ribeiro discutindo conosco”. Djamila é militante do movimento racista negro que chegou a ser empregada pela gestão de Fernando Haddad (PT) na prefeitura de São Paulo para ganhar 27 mil reais por mês e também é colunista da mesma Carta Capital.

Rosana Pinheiro-Machado fala sobre a “disciplina sobre protesto e indignação” em seu Facebook
Rosana Pinheiro-Machado fala sobre a “disciplina protestos USP” em seu Facebook
SHARE
Marcelo Faria
Presidente do ILISP e empreendedor.

14 COMMENTS

  1. O link para o site da USP está com problema ou eles tiraram do ar. Vocês teriam o print do cache da página?

  2. Então vou comentar aqui… Leia a ementa, não é um curso sobre formação de militância, mas sobre movimentos sociais, obviamente de esquerda. Mas não vejo nenhum problema nisso, mesmo que a professora em questão seja da Carta Capital, o problema é outro… O problema REAL é não ter um curso como contraponto contradizendo o princípio da pluralidade nas ciências e da neutralidade na administração pública. Aí é que está.
    Agora termos cursos com visões ideológicas bem definidas e diversas no ensino superior não só é necessário como saudável. Imagine se o pessoal da esquerda estivesse protestando por termos uma disciplina com ementa sobre o liberalismo e o conservadorismo? Se eles podem, nós também DEVERÍAMOS PODER. Mas não criticarmos ele por terem. O problema não é o estudo deles, mas eles impedirem o nosso.
    E o artigo em questão distorce tudo.

    • O problema real é milhões de pessoas serem obrigadas a financiar uma disciplina como essa. Quer estudar militância, que o faça com o próprio dinheiro, não com o dinheiro alheio.

    • Não é um curso de formação de militantes não, amiguinho. Não é vagabundagem financiada por impostos não, amiguinho. Eles vão pro protesto pra estudar e não pra fazer volume e dar ares de gente estudada que está lá por livre e espontânea vontade agora que todo mundo já sabe que a maioria da galera nos protestos da esquerda são pagos para estar lá e quase nunca sabe porquê está lá. Pode confiar, amiguinho.

  3. Ei jacaré, você postou o link estando logado na pagina da USP. Quem é de fora nao consegue abrir.
    Pesquisei no site e consta o curso de mestrado e doutorado em sociologia, é esse?

    • Não é necessário logar no site para ver a ementa da matéria. Basta abrir o link duas vezes.

  4. Marcelo, já ouviu falar em Luther King? Gandi? Então? Aprender a lutar é importante também. Mas sabe como é. Agora é moda criticar tudo e todos chamando-os de comunistas.

    • Ouvi sim. Nenhum deles precisou fazer pós na USP para “aprender a lutar”. Deve ser por isso mesmo que lutaram.

    • Você leu a bibliografia? Até a Judith Butler está lá.
      Isso é curso pra formar militância comunista, e tudo pago com nosso dinheiro.
      Não é possível que esse povo que comenta aqui seja liberal, só trouxa acredita nisso.

  5. Puta merda. Instrumentalização politica da universidade com dinheiro de impostos na cara dura e nego ainda achando bonito.

  6. Os caras usam as escolas para doutrinar a mais de meio século e ainda tem gente que não entendeu.

    Manuuuuuu, é ótimo! Parece a mulher de malandro que apanha, apanha e apanha de novo, mas jura que o marido ama ela, que ele bate por carinho.

    Parabéns!!!!

LEAVE A REPLY