10 frases de Ferreira Gullar sobre o capitalismo, o socialismo e o governo

Faleceu hoje (04) no Rio de Janeiro o poeta, crítico de arte, biógrafo e tradutor José Ribamar Ferreira, também conhecido como Ferreira Gullar. Nascido no dia 10 de setembro de 1930 em São Luis – MA, fez parte de um movimento literário que lançou o pós-modernismo no Maranhão e é um dos criadores da poesia concreta, basicamente visual, que procura estruturar o texto poético a partir do espaço do seu suporte, sendo ele a página de um livro ou não.

Ferreira Gullar foi militante do Partido Comunista Brasileiro e, exilado pela ditadura militar, viveu na União Soviética, na Argentina e Chile. Gullar dizia que “bacharelou em subversão” em Moscou durante o seu exílio, mas que devido à uma maior reflexão e experiência de vida se desiludiu com o socialismo.

Em homenagem a esse grande poeta brasileiro, resgatamos a visão de Ferreira Gullar sobre o capitalismo, o socialismo, o governo e o mundo em que vivemos por meio de 10 frases ditas por Gullar em entrevistas e artigos.

Sobre a esquerda
“Quando ser de esquerda dava cadeia, ninguém era. Agora que dá prêmio, todo mundo é.”

Sobre o capitalismo
“O capitalismo não é uma teoria. Ele nasceu da necessidade real da sociedade e dos instintos do ser humano. Por isso ele é invencível. A força que torna o capitalismo invencível vem dessa origem natural indiscutível. Agora mesmo, enquanto falamos, há milhões de pessoas inventando maneiras novas de ganhar dinheiro. É óbvio que um governo central com seis burocratas dirigindo um país não vai ter a capacidade de ditar rumos a esses milhões de pessoas. Não tem cabimento.”

Sobre a “exploração” capitalista
“A luta dos trabalhadores, o movimento sindical, a tomada de consciência dos direitos, tudo isso fez melhorar a relação capital-trabalho. O que está errado é achar, como Marx diz, que quem produz a riqueza é o trabalhador, e o capitalista só o explora. É bobagem. Sem a empresa, não existe riqueza. Um depende do outro. O empresário é um intelectual que, em vez de escrever poesias, monta empresas. É um criador, um indivíduo que faz coisas novas. A visão de que só um lado produz riqueza e o outro só explora é radical, sectária, primária. A partir dessa miopia, tudo o mais deu errado para o campo socialista.”

Sobre a desigualdade social
“A própria natureza é injusta e desigual. A justiça é uma invenção humana. Um nasce inteligente e o outro burro. Um nasce inteligente, o outro aleijado. Quem quer corrigir essa injustiça somos nós. A capacidade criativa do capitalismo é fundamental para a sociedade se desenvolver, para a solução da desigualdade, porque é só a produção da riqueza que resolve isso.”

Sobre a militância no Partido Comunista durante a ditadura militar
“Eu fui do Partido Comunista, mas era moderado. Nunca defendi a luta armada. A luta armada só ajudou mesmo a justificar a ação da linha dura militar, que queria aniquilar seus oponentes. (As pessoas do partido Comunista) não lutavam por democracia, mas pela ideologia Comunista, e estavam sinceramente equivocadas. Você tem de ter uma visão crítica das coisas, não pode ficar eternamente se deixando levar por revolta, por ressentimentos. A melhor coisa para o inimigo é o outro perder a cabeça. Lutar contra quem está lúcido é mais difícil do que lutar contra um desvairado.”

Sobre o socialismo
“O socialismo fracassou. Quando o Muro de Berlim caiu, minha visão já era bastante crítica. A derrocada do socialismo não se deu ao cabo de alguma grande guerra. O fracasso do sistema foi interno. Voltei a Moscou há alguns anos. O túmulo do Lênin está ali na Praça Vermelha, mas, pelo resto da cidade, só se veem anúncios da Coca-Cola. Não tenho dúvida nenhuma de que o socialismo acabou, só alguns malucos insistem no contrário. Se o socialismo entrou em colapso quando ainda tinha a União Soviética como segunda força econômica e militar do mundo, não vai ser agora que esse sistema vai vencer.
O socialismo acabou, estabeleceu ditaduras, não criou democracia em lugar algum e matou gente em quantidade.”

Sobre a ideologia marxista
“Frequentemente me pergunto por que certas pessoas indiscutivelmente inteligentes insistem em manter atitudes políticas indefensáveis, já que, na realidade, não existem mais. Estou evidentemente me referindo aos que adotaram a ideologia marxista, que, de uma maneira ou de outra, militaram em partidos de esquerda, fosse no Partido Comunista, fosse em organizações surgidas por inspiração da Revolução Cubana.”

Sobre Cuba
“Não posso defender um regime sob o qual eu não gostaria de viver. Não posso admirar um país do qual eu não possa sair na hora que quiser. Não dá para defender um regime em que não se possa publicar um livro sem pedir permissão ao governo. Apesar disso, há uma porção de intelectuais brasileiros que defendem Cuba, mas, obviamente, não querem viver lá de jeito nenhum. É difícil para as pessoas reconhecer que estavam erradas, que passaram a vida toda pregando uma coisa que nunca deu certo.”

Sobre a política de “psiquiatria democrática” adotada pelo governo (Ferreira Gullar teve dois filhos com esquizofrenia)
“Existe uma política que o governo adotou, chamada ‘psiquiatria democrática’, que é um absurdo. Impede a internação. Eles acabaram com mais de quatro mil leitos. Por que chama “psiquiatria democrática”? Porque não interna. Mas é uma bobagem, ideológica, cretina, que não tem nada a ver com essa doença real. Eu, que lidei com essa doença, sei muito bem que não tem nada disso. Quando uma médica veio com essa conversa, perguntei: ‘É a sociedade que adoece o doente mental? A doença mental não existe? É a sociedade que faz ficar doente? O fígado adoece e o cérebro não adoece? Por quê? É o único órgão divino?’”

Sobre o mundo atual e a poesia
“O mundo aparentemente está explicado, mas não está. Viver em um mundo sem explicação alguma ia deixar todo mundo louco. Mas nenhuma explicação explica tudo, nem poderia. Então de vez em quando o não explicado se revela, e é isso que faz nascer a poesia. Só aquilo que não se sabe pode ser poesia.”

SHARE
Marcelo Faria
Atual CEO do ILISP e empreendedor do setor de tradução.

12 COMMENTS

  1. Deus abençoe que o poeta tenha realmente aberto os olhos. Mas quanto a esta frase “Não tenho dúvida nenhuma de que o socialismo acabou, só alguns malucos insistem no contrário.” cuja data eu desconheço, mas que se for coisa recente indica ainda um resquício de cegueira. É ingenuidade achar que o socialismo acabou porque a URSS ruiu. É só olhar o mundo a nossa volta, tanto em âmbito interno quanto em âmbito estrangeiro.

    • Eu concordo com o que ele diz,pois o socialismo acabou mesmo,o que acontece é o bando de trouxa que não lê,nem procura informação.Acreditam em tudo que ouvem e formam uma massa de manobra,assim que esse povo se tocar,o socialismo deixa de existir(ou seja,nunca acaba,pois temos estoques eternos de idiotas).

  2. Alexandre Andrade, você está confundindo preocupação social com socialismo de Marx. Uma coisa não tem nada a ver com a outra. As teorias de Marx, poucos imbecis ainda insistem em defender. Já as preocupações sociais, cada vez mais temos o liberalismo social ganhando força cada vez mais.

    • Vc acredita que ele leu o Capital de Marx para se tornar fanático? Esquece, mesmo se lesse não entenderia , nem valeria a pena é enfadonho demais. Mas se diz Marxista….isso o torna Intelectual sem ser, sem saber, sem conhecer…”um tigre de papel” de Mao …..kkkkk

    • Uma coisa é Social, e outra é Socialismo. Para simplificar, socialismo, divide sempre o que é dos outros menos os deles.

  3. Alexandre, quando ele diz que acabou, ele não quer dizer que não exista ainda, ele quer dizer que não existe nenhuma chance de isso dar certo na visão dele. De que não adianta ficar tentando porque vai dar errado e que todo socialista está errado insistindo em um erro que jamais dará frutos.

  4. É só olhar o mundo a nossa voltapra ver que o socialismo acabou mesmo. Até um cego enxerga isso.

  5. Para alguém que militou no PCB, Ferreira Gullar demonstrou humildade e coragem ao deixar para trás crenças que não encontram eco na realidade. Parabéns ao poeta !!!

  6. O poeta, admirável e genial, está certo: o socialismo acabou.
    Mas, lamentavelmente, ainda haverão muitos “malucos”, como ele chama, eu chamo de “idiotas úteis”, a pregar sua existência e a insistir que sua aplicação é algo bom para a humanidade. Isso corrobora a frase de Nelson Rodrigues: “Os idiotas vão tomar conta do mundo; não pela capacidade, mas pela quantidade. Eles são muitos.”

  7. Gosto muito da poesia de Ferreira Gullar e escolheram frases lindas que quase divinisam o capitalismo . Se o comunismo ou o socialismo Mata ou matou milhões. O sistema capitcapitalista também Mata é muito. Mata de fome como o próprio Gullar denunciou em sua poesia militante. Só aqui no Brasil é 70 assinatos por ano. Não tem paredão da morte mas tem a exclusão social que também Mata!

    • Trocas voluntárias não matam, caro socialista. O que mata é o estado que você defende. E no caso dos aSSAssinatos, são 60 mil por ano, e você deveria agradecer ao seu querido estado que desarmou a população e contribuiu para isso.

  8. Faltou essa = “Mesmo que você trabalhe todos os anos da sua vida para uma pessoa, ele achara outra para continuar o ciclo, sabe o por que? Porque formigas operarias se encontra em todo lugar”

LEAVE A REPLY