Bruno Gagliasso e a hipocrisia dos “tolerantes” que odeiam quem pensa diferente

Não há dia em que algum ator da Rede Globo não apareça se manifestando contra o “golpe”, contra Temer, contra o capitalismo, contra o preconceito, contra o racismo, contra o machismo e contra a homofobia, e em favor dos pichadores, da Cracolândia, dos delinquentes, dos presidiários e, claro, de Lula.

No último sábado (03), Bruno Gagliasso se retirou de um evento esportivo porque nele também se encontrava, entre outras 20 mil pessoas, o deputado Jair Bolsonaro. Foi a forma dele protestar contra a direita. Uau!

O gesto do ator tornou evidente uma antiga realidade: os socialistas não aguentam mais viver num mundo onde existam pessoas que pensam diferente deles.

Diante disso, não seria a hora dos artistas socialistas liderarem uma grande e decisiva revolução?

Num mundo onde Trump está destruindo o planeta Terra, onde Temer está acabando com o maravilhoso legado de Lula e Dilma e onde Doria está promovendo o genocídio dos grafiteiros e viciados em crack, torna-se urgente que os artistas “globais” convertam a fama e o dinheiro que conquistaram num projeto que poderia revolucionar nossa civilização.

Abaixo, segue uma lista de ações que eles poderiam promover:

1 – Rescindir seus contratos com a emissora e com seus patrocinadores capitalistas;

2 – Vender seus apartamentos descolados e todos os outros imóveis que acumularam ao longo de suas carreiras;

3 – Promover uma campanha para que seus fãs façam o mesmo;

4 – Realizar shows e peças de teatro nas favelas para convidar a classe trabalhadora a se juntar a eles num grande e maravilhoso projeto: construir uma sociedade livre do individualismo, da exploração e da ganância, onde a coisa mais importante seja o amor, não o dinheiro;

5 – Com o dinheiro arrecadado, comprar uma imensa área de floresta e nela fundar uma sociedade autossuficiente, livre de produtos industrializados, livre de armas, de automóveis, de televisão, de dinheiro, de roupinhas de grife, de muros e de preconceitos;

6 – Para viver nesta sociedade, poderiam convidar todos os “excluídos pelo capitalismo”: a população carcerária formada por ladrões, assassinos e estupradores seria acolhida com todo amor e compreensão. A Cracolândia seria bem-vinda;

7 – Em vez de alimentar a ditadura “cristã-islamofóbica”, poderiam promover a convivência pacífica entre muçulmanos e umbandistas;

8 – Em vez de escolas burguesas com coisas chatas como português e matemática, poderiam oferecer uma educação focada em aulas de teatro, capoeira, rap, maracatu, grafite, papel marche, sexo e cultura dos povos africanos e latinos-americanos.

Creio que dentre as “centenas de milhares de pessoas” que se interessariam em integrar essa nova sociedade – vide o público das manifestações promovidas por UNE, CUT, PT, MST e PCdoB −, há um grande número de engenheiros e cientistas que, sem visar o lucro, iriam promover a mais espetacular revolução tecnológica já vista, desenvolvendo e disponibilizando produtos de grande qualidade, 100% ecológicos, que tornariam essa sociedade feliz, harmônica e autossustentável.

O que impede os artistas da esquerda de começar essa revolução?

O que impede Bruno Gagliasso de empenhar sua fama e seu talento empresarial na construção de um mundo onde não existam pessoas como Jair Bolsonaro?

Enquanto não fazem eles mesmos o que cobram que os outros façam, só nos cabe dizer que são hipócritas que criticam o capitalismo enquanto usufruem dele e cretinos que dão faniquito contra a “direita” enquanto adulam ditaduras e políticos corruptos da esquerda.

Vaquinha O ILISP tem defendido o direito à vida no STF. Para custear a causa, lançamos uma vaquinha. Os interessados em nos ajudar podem fazê-lo por meio do botão abaixo:

40 COMENTÁRIOS

  1. Perfeito, assertivo! Texto impecável e retrato fiel dos discursos esquerdistas apaixonados e cegos (por conveniência, claro!) e cujas ideias caíram junto com o muro de Berlim, lá no século passado… É momento de olharmos pra frente. Gostando ou não, o capitalismo venceu, pronto! E não adianta espernear contra isso. Seria o mesmo que não admitir o fogo, a roda, a máquina a vapor, o motor a combustão, a internet… Se vc não aceitou nenhum dessas evoluções, paciência. Rssssssss… vou te entender, mas entenda: o socialismo ACABOU! Aceite, que dói menos. E viva o capitalismo que paga as contas do Bruno, as minhas e de todos nós! Se ainda assim não concorda, ok! Mude-se para Cuba. Lá não tem capitalismo, internet, conforto, dinheiro… E vá ser feliz lá, porque aqui no Brasil já fizemos a nossa escolha… O CAPITAL VENCEU!!!

  2. Sinceramente não acho que ele esteja defendendo Lula. Nem todos que são de esquerda ainda o tem como representação, até porque Direita e Esquerda nesse país já deixou de existir há muito tempo. É uma briga de poder da qual o cidadão não pode participar e fica escolhendo o menos pior. Para todos aqueles que irão votar em Bolsonaro, por favor, verifiquem as propostas que ele já fez antes de dizerem isso ou aquilo, pois é assim que se conhece um candidato, aí sim os bolsominios terão algum respeito, e não porque, muitas vezes, querem ouvir discursos de uma direita radical que não existe mais na prática. Para aqueles que votarão em Bolsonaro pelas suas propostas, parabéns por terem posição e não só blahblahblah. Quanto à Bruno, seu direito como cidadão, o direito de IR e VIR, o permite ficar no ambiente que lhe for favorável, que seja respeitada a decisão dele. Assim como que seja respeitado o próprio Bolsonaro, que apesar de vários comportamentos inadequados ainda merece respeito como ser humano.

  3. Excelente comentário!
    Esse atorzinho de quinta categoria perdeu a oportunidade de ficar com a boca fechada.
    Devia ter ido embora, mas fechado a matraca, tentou fazer render a besteira, mas só serviu para alavancar mais ainda o Bolsonaro.
    Esse é o Presidente que me representa!
    Esse Bruno Cagácio, vá a merda!!!

  4. Olha eu não sou de esquerda e também iria embora de um evento onde o Bolsonaro estivesse.
    Como militar o Bolsonaro não fez nada a favor do Rio de Janeiro, como político fez menos ainda, foi o deputado federal mais votado no Rio de Janeiro e não fez nada pelo estado, gasta seu tempo em declarações polêmicas.

  5. O ato dele se retirar do local por causa de Bolsonaro é uma forma de preconceito , a velha prática da esquerda de acusar as pessoas do que eles praticam , na verdade eu acho que ele arrumou uma desculpa para ir embora para casa por não ter gostado do “`convite ´´´ da Globo para prestigiar o evento .

  6. Postar aqui não é para qualquer um…kkk
    Tem uns “captcha” que se o “humano” não souber inglês e tiver uma bom raciocínio lógico, não consegue postar.

  7. Gostei! Nada melhor do que tomar iniciativa de suas ideias consigo! Não adianta pregar ideais, criando regras para os outros se submeterem.

  8. Poderíamos nós começar a boicotar as empresas capitalistas opressoras que contratam esses bostas para fazer comercial de seus produtos. Isso vai mostrar se esses “artistas” realmente são libertos dessa coisa chata que é o capitalismo, ou seja, se vão manter a mesma linha depois de perder suas boquinhas.

  9. Pensar diferente eh alguem gostar de sorvete de morango e outra pessoa de chocolate. Alguem que apoia um general torturador e covarde, que diz que negro nao serve nem pra procriar entre outros absurdos nao merece circular por aí livremente.

    • Sim, claro. Quem deve circular livremente são os que apoiam “humanistas” como Che Guevara, Lênin, Fidel Castro, Stalin ou Mao Tsé-Tung…

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here