10 dicas para economizar (de verdade) na Black Friday

Chegamos à Black Friday de 2017. O pior da crise econômica já passou e aos poucos o Brasil tem saído do lamaçal, o que deve significar mais vendas durante a data. Entretanto, como evitar cair em uma Black Fraude e perder dinheiro?
O ILISP reuniu algumas dicas para realmente economizar na Black Friday. Confira.

 

1. Utilize um agregador de ofertas para pesquisar (e cupons de desconto para deixar o preço ainda menor)

O produto que você deseja pode não estar nos sites que você conhece. Portanto, é importante utilizar um agregador de ofertas para conhecer descontos dados em diversas lojas.

Recomendamos o Cupom de Desconto porque ele reúne diversas ofertas da Black Friday (com direito a busca por ofertas, no lado esquerdo do site) e possui cupons de desconto que você pode utilizar para deixar o preço da compra ainda menor.

 

2. Cuidado com os golpes

Golpes não são raros na Black Friday: sites falsos, produtos que não existem, e-mails com ofertas “imperdíveis” e outras formas de enganar compradores costumam ser utilizadas. Portanto, sempre confira o nome do site: veja se o “www.nomedosite.com.br” está correto, sem letras de outros alfabetos, números ou palavras que façam alusão a outra marca.

Site falso tenta se passar pelo site do Magazine Luiza: note o endereço diferente

Garantiu que não é um site falso? Agora ateste a confiabilidade da loja verificando as reclamações no Reclame Aqui: se forem muitas ou não foram resolvidas satisfatoriamente, evite a loja. Checar as páginas da loja nas redes sociais em busca de avaliações e reclamações também é recomendável.

Por exemplo, o site jumbomagazine.com.br atrai vítimas do Brasil inteiro com promoções absurdas como “Samsung Galaxy J7 Dual Chip de R$ 499,90 por R$ 189,90”. No Reclame Aqui, a empresa possui 21 reclamações e a maioria afirma que “pagou e não recebeu”.

Jumbo Magazine: site anuncia produtos com descontos “imperdíveis” e não efetua a entrega

Proteja também o seu lado da compra: use antivírus, entre diretamente no site (sem abrir e-mails) e garanta que ele possui um certificado de segurança (um “cadeado”, geralmente próximo ao endereço do site no navegador) para que a transação seja realizada em ambiente seguro.

 

3. Não ignore as empresas menores

Apesar dos grandes varejistas investirem fortemente em propaganda para levar compradores às suas lojas durante o período de descontos, são suas matrizes que definem os preços. Já nas lojas locais ou especializadas acontece exatamente o contrário: elas têm poder de decisão e normalmente oferecem condições melhores. Por isso, após checar a confiabilidade da loja usando a dica anterior, a compra em uma empresa menor pode compensar.

Mesmo nos sites maiores, a empresa responsável pela venda pode ser outra – são os chamados marketplaces, onde um site maior (Amazon, com direito a cupons) disponibiliza a plataforma para outra empresa, geralmente menor, efetuar a venda. Se este for o caso da oferta que você observou, a informação “vendido e entregue por” terá um nome diferente do site em que você se encontra. É neste momento que você sabe a empresa realmente responsável pelo produto: a loja principal ou uma empresa parceira.

 

4. Evite pagar a “metade do dobro”

Um dos golpes mais comuns na Black Friday é a famosa “metade do dobro”: lojas que aumentam os preços dias antes da promoção apenas para dar um “desconto” que faça o preço retornar ao original.

Comparando o preço da oferta com o de outras lojas, é possível verificar se o preço não é “metade do dobro” e assim aproveitar somente as ofertas que possuem desconto real.

 

5. Tenha em mente quais produtos têm maiores descontos

Os produtos com valores mais altos costumam oferecer maior economia. Lembre-se: um desconto de 5% sobre um smartphone de R$ 2.000,00 (ou seja, 100 reais de desconto) é superior a um desconto de 20% em um jogo de 100 reais (20 reais de desconto).

Este é um período que vale a pena para trocar móveis não planejados, por exemplo. Sofás, racks e outros móveis costumam ter bons descontos em lojas grandes como Etna, Tok & Stok, Mobly, Americanas, Magazine Luiza, Submarino (com cupons), etc.

Livros e eletrônicos também costumam apresentar bons descontos, mas não são os produtos com maiores percentuais: roupas chegam a preços 70% menores, enquanto móveis, alimentos e bebidas chegam a custar 50% menos na data.

Lembre-se: evite as ofertas que destoam muito da média do mercado. Se uma televisão custa 2 mil reais , quem a “vende” por 500 reais certamente é um golpista.

 

6. Efetue a compra rapidamente

Identificou uma boa oferta de um produto que você realmente deseja comprar, em um site confiável e que não seja um golpe? Compre o quanto antes. As promoções mais agressivas geralmente têm estoques limitados.

Deixar a compra para depois pode te deixar sem desconto.

 

7. Tire cópias das telas durante a compra

Erros durante o processo como a cobrança de um valor maior do que o prometido ou o não recebimento do produto podem acontecer. Por isto, o ideal é salvar as imagens das etapas de compra no site para ter provas, se forem necessárias. É importante salvar também os e-mails de confirmação e de prazo de entrega enviados pelo site.

Caso você seja vítima de um erro, tente negociar amigavelmente com a loja a solução do problema. Se ele não for resolvido, usar as redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter) e sites de reclamações como Reclame Aqui costuma resolver a questão mais rapidamente do que o estado (Procon, Senacon, justiça). Afinal, as empresas não querem perder outros clientes que possam ver as reclamações públicas.

 

8. Cuidado com os fretes abusivos

Outro golpe que costuma transformar as ofertas em Black Fraude é o frete abusivo.

Por exemplo, no site do Submarino (o qual também funciona como marketplace para outras lojas venderem os seus produtos), ao finalizar a compra, há fretes abusivos: a capa para celular de R$ 8,99 tem frete de R$ 450,00 na loja Mega Korai, enquanto o micro-ondas Electrolux de R$ 259,00 tem frete de R$560,36 na Lojas Bemol.

Frete de capa para celular por apenas 450 reais? Só na Black Fraude!
Micro-ondas com 560 reais de frete? É GÓPI!

Fique atento também ao tempo de entrega do produto. Geralmente, na Black Friday este período é mais demorado (20 a 30 dias úteis) do que o normal. Se você deseja comprar algo para o Natal, é melhor fazer as contas antes de concluir a aquisição.

 

9. Pague com cartão de crédito

Nas compras pela Internet, o meio de pagamento mais seguro é o cartão de crédito, dado que permite o estorno da transação se houver qualquer problema na compra. Aliás, se um site oferecer apenas boleto bancário como forma de pagamento, fuja: a chance de ser um golpe é muito grande.

Entretanto, tome cuidado para evitar exageros no uso: de acordo com a pesquisa mensal da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade), os juros do cartão de crédito podem chegar a 326% ao ano.

 

10. Não perca a “guerra das batatas” e outras ofertas físicas

Ganhou destaque esta semana a “guerra das batatas”. Primeiro, o McDonald’s anunciou que oferecerá um refil de batatas nesta sexta-feira. Em resposta, o Burger King anunciou um balde de batatas na compra de um combo. O Giraffas resolveu ir além e dará batatas fritas na loja do shopping Cidade São Paulo, em São Paulo-SP. Por fim, o KFC não deixará os clientes “só na batata”: na compra de um balde de frango, o comprador leva outro nas lojas dos estados de Rio de Janeiro e São Paulo.

Outras redes de lojas físicas também podem oferecer descontos no dia: aproveite para checar as redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter) das lojas que mais te agradam em busca de descontos.

E boas compras!

SHARE
Marcelo Faria

Presidente do ILISP e empreendedor.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here