O feminismo se alimenta do caos e é nocivo às mulheres: o caso do estupro (?) no Rio

Quando afirmo que o feminismo, especialmente o brasileiro, além de não ter qualquer utilidade, é mais nocivo à sociedade em si e às mulheres do que se pode ter ideia, eu sou taxada de coisas que vocês nem imaginam. É como se eu dissesse “Olhem só! Vejam como eu odeio as mulheres!”, mesmo sendo uma. É como se eu nutrisse por elas certo desprezo, certo desejo em vê-las sendo subservientes. Mesmo sendo uma. O que eu quero para as mulheres é o que eu quero para qualquer um e se chama liberdade. No feminismo, liberdade não existe – embora seja essa a sua maior publicidade -, o feminismo sufoca, por isso não posso fazer parte dele.

Ele é nocivo não apenas por reprimir, mas por se alimentar do caos. Eu passaria o dia citando situações em que ele viu na tragédia um espaço para se promover, só que o caso mais recente, do estupro (?) coletivo no Rio, me basta. Sigamos.

Uma garota de 16 anos afirmou ter ido dormir num lugar e acordado em outro, com 33 homens armados com fuzis e pistolas que teriam abusado sexualmente dela. Absurdo sem tamanho. Só que, com o avanço das investigações policiais, a versão contada pela menina parece não ter muita semelhança com a realidade: há indícios de que não aconteceu estupro. Tudo bem que não cabe a mim fazer alguma avaliação, mas cabe a mim, como mulher e ser humano, torcer para que não tenha acontecido, mesmo. Eu não quero que ela tenha sido estuprada. Eu não quero que uma menina de 16 anos tenha sido violentada por 33 monstros. Óbvio.

O feminismo quer.

O feminismo tem lutado, incansavelmente, para assegurar que houve um estupro. Se pudesse, ele arrumaria mais uns cinco. Provar que o crime ocorreu é provar que elas estiveram certas o tempo inteiro: “Todo homem é um estuprador em potencial. Não fosse assim, como justificar 33 estupradores na mesma hora, no mesmo local, fazendo a mesma vítima? Só pode ser algo intrínseco à natureza masculina. Viu? Temos razão!”

O contrário, na mente doentia dessas pessoas, não causa alívio. “Nossa, a garota não foi estuprada. Que coisa boa! Não vai levar esse estigma pro resto da vida. Os homens não são tão cruéis quanto parecem. Ufa!”. Você não vai ouvir isso de uma feminista, só de alguém normal, em pleno gozo de sua consciência.

De todas as barbaridades feitas e ditas acerca do ocorrido, a mais anti-humana é essa. É o empenho em instrumentalizar politicamente a crueldade. Isso é pura perversão.

Entenda de uma vez por todas que o feminismo não se importa com você, mulher. Você é só um degrau para que ele chegue à hegemonia. A menos que satisfaça alguma necessidade do movimento, seu sofrimento é problema seu.

Vaquinha O ILISP tem atuado contra a legalização do aborto e em defesa do direito à vida no STF. Para custear a causa, lançamos uma vaquinha. Os interessados em nos ajudar podem fazê-lo por meio do botão abaixo:

20 COMENTÁRIOS

  1. Se a pessoa estava apagada é estupro pela lei, não importando as condições, ainda que sejam 1 ou 30 os autores. No entanto, se o feminismo luta por privilégios, superioridades, etc, ele foge da proposta original (direitos iguais) e parte ao outro lado do machismo. Gostaria que todos vissem como fundamental o respeito a todos os indivíduos.
    Muitas feministas não gostam da definição de gênero nem na língua portuguesa (o/a); portanto qual o sentido dividir tantos o mundo em homens e mulheres (só segrega) e não se preocupar com o que realmente importa como culpados, violência em geral, etc.
    No caso em questão, a menina voltou no dia seguinte ao local para pegar o celular, vejam quanto problema social envolvido…drogas, falta de auto estima, perspectiva, etc.

  2. Diante do vídeo e das postagens daqueles homens, só duvida do estupro quem desconhece a definição legal de estupro.

  3. Ao comentaria acima, não é natural e nem social, a ideia de que a mulher é uma propriedade é um conceito tão arcaico que chega a ser ridículo. Nunca fui educado para pensar em mulheres são propriedade, nunca fui educado para acreditar que tenho poder sobre a mulher. Parem de dizer que somos formados ou nascidos para fazermos o que quiser com as mulheres, não generalize todos os homens por causa de canalhas que para se sentirem poderosos gostam de oprimir não apenas mulheres, mas todos a sua volta, infelizmente a companheira de fato é a que mais sofre, mas não somos ensinados a fazer. Alias mulheres também comentem muitos crimes de estrupo e violência, entretanto muitos homens, outras mulheres e até menores que sofrem este tipo de abuso não se manifestam contra o ocorrido. A situação acontece dos dois lados, infelizmente não vejo o feminismo no Brasil contribuir de forma positiva, diariamente tenho que escutar ou ler que por ter nascido homem sou lixo, opressor, estuprador em potencial agora também, que não passo de um pênis com pernas, isso vindo de mulheres que se dizem feministas. Sou a favor de que as mulheres sejam respeitadas, que sejamos todos tratados de maneira igual e não que eu tenha que me sentir um lixo e inferior as mulheres porque é essa mensagem que está sendo pregada, que somos todos monstros. Sou homem, fui educado para respeitar e amar, não fui ensinado a subjugar e maltratar, tenho plena certeza que a maioria dos homens vão concordar que não somos o que o feminismo pintam sobre nós, assim como todos somos diferentes independente do sexo não devemos e não queremos ser rotulados por um grupo que representa a minoria, quem pratica o mal sim é um monstro, mas nem todos o somos.

  4. Lamentável esse texto… Intrinseco à natureza masculina? De que feminismo você fala? Talvez seja melhor ler um pouco mais, se apropriar mais do que é o feminismo. Não se trata de algo natural e biologico a ideia do homem de que tem propriedade sobre o nosso corpo (aonde voce leu isso?), mas sim algo social, construido socialmente. Homens e mulheres são socializados de um determinado jeito que este homem aprende a ter poder sobre o corpo desta mulher e isso produz uma serie de violências. Seu texto é um des-serviço pra luta das mulheres. Só no estado do Rio são quase 5 mil mulheres estupradas por ano e isso é o que é denunciado… Quase 60 mil apanham. O feminismo é a luta para o enfrentamento a essa violência, que você parece contribuir suficientemente com este texto.

    • Talíria, você leu o texto com ódio já preconcebido e analisou baseada na violência que trás dentro de si mesma. Projetou no texto aquilo que você mesma trás em seu interior.
      Por isto não pode perceber que a autora do texto está defendendo as mulheres e não atacando-as.

  5. Nossa q horror q visao mais cega e torpe d uma mulher sobre as proprias mulheres. O debate é bem vindo numa sociedade que cultua o poder dos homens em detrimento ao das mulheres q apesar d serem mais da metade da populacao e bancarem sozinhas quase a metade dos lares ainda é subjulgada a todo tipo de abuso corriqueiramente

    • O feminismo é tão bom que fez os salários caírem pra 3/4 do salário de antes, afinal, as mulheres começaram a lutar por igualdade e assim, os donos das empresas precisaram pagar menos. Um homem no seculo passado chegava a ganhar 4 mil sozinho, mas, como agora existem mulheres fazendo as mesmas coisas, ele reduz o salário pra 3/4 e paga a dois funcionários, fazendo o trabalhador morrer de fome “entre aspas”. Não sou à favor de que a mulher seja propriedade do marido, mas, acredito que o papel natural de homem e mulher esteja bem definido inclusive no mundo animal. Querer mudar isso é mudar a ordem natural das coisas. Cultura do poder masculino… aí aí, vamos fazer o seguinte, mostra seu poder feminino participando de uma reintegração de posse, ou então melhor ainda, indo a países com surtos de violencia, como Haiti, Somália, até o próprio rio de janeiro que não é país, mas, morrem pessoas para um inteiro. Vamos pra linha de frente pra ver o poder. F*** não, rapaz/moça.

      • Olá Juan. Não existe essa de que os papeis dos homens e das mulheres já estão definidos. TODOS somos lives pra escolhermos a função e o papel que devemos exercer no corpo social. Não te julgo por achar que a superioridade masculina é uma ideia intrínseca à natureza humana, afinal, desde as primeiras organizações humanas essa ideia é plenamente difundida, todavia, não possui fundamento algum. Basta enxergar que todos os nossos princípios são construções sociais, que nós, seres humanos, criamos, e que do mesmo modo que os construimos, podemos desconstrui-los. Não compreendo por quais motivos, eu, uma mulher, que passo grande parte da minha vida dedicando-me a meus estudos, ao meu futuro, sou menos e inferior a você. Não existem nem mesmo razões biológicas para isso, até porque o seu órgão sexual é tão necessário quanto o meu. Além do mais, até onde eu sei nossas capacidades cognitivas também são as mesmas.

        • Carine, procure olhar o ser humano como um ser participante da humanidade como um todo e não nos aspectos externos. Você verá que não há diferença alguma. O Sêr que habita os corpos é um só em essência.
          Enquanto você olhar as pessoas, baseada em órgãos sexuais, ou comparar-se com este ou aquele, sua autoestima sempre estará baixa. O sêr humano é muito mais que isto.
          Estude sim, trabalhe, lute. Mas sem ódio no coração. Porque caso contrário, no final da vida, nada do que conquistar valerá a pena.

          • Desculpe, caro Celso, mas quem baseou o comentário baseado em “órgãos sexuais” foi o Juan acima, e foi muito bem refutado pela Carine. Aliás, reclamar que os empresários diminuíram em ¾ o salário dos trabalhadores (fonte confiável?) por causa da mão-de-obra feminina, é no mínimo paradoxal a um liberal. Se o patrão está pagando menos, qualifique-se e aumente sua produtividade que o mérito fará com que seus ganhos aumentem – ou então vá empreender. Claro, é compreensível porque o lado conservador dos liberais brasileiros é mais forte que o próprio liberalismo – ao ponto de existirem pessoas defendendo o intervencionismo estatal em nome da “moral e dos bons costumes”, mesmo que seja na economia.

            De sua parte, tergiversação e uma falácia final (“sem ódio no coração”), mas nada em relação ao dito pela Carine.

            Um abraço!

          • Igor ou Carine? Porque usar o nome de um homem para responder?
            Ao agir assim você mesma desrespeita o gênero ao qual pertence.
            Nós não estamos mais no século 19 quando então, mulheres necessitavam usar pseudonimo de homem para escreverem artigos em jornais.
            Procure honrar as mulheres e responda os comentários usando seu proprio gênero, Carine.

          • Celso, a sua necessidade de aparecer excede a tudo quanto já vi na vida! Complexo de inferioridade? Psiquiatra já. Seu problema é grave. E se negar, ratificará o meu argumento, portanto, não se dê ao trabalho e vá crescer, duma vez por todas.

          • Helenilse Silveira, há muitos anos atrás, ajudei o movimento feminista de minha cidade, pois tenho muitas amigas lá. Naquela época, as feministas eram pessoas que queriam o reconhecimento merecido na sociedade. Um trabalho justo. Respeito. Principalmente o respeito da sociedade.
            Hoje, porém. As feministas estão violentas. Ferem, machucam aqueles que são do gênero masculino. Asim como você acaba de fazer.
            E isto é sinal de doença comportamental, assim mesmo como você me julgou.
            Sobre procurar um psiquiatra. Obrigado pelo conselho. Acredito que todos nós, nos dias de hoje, com tanta violência que está havendo no mundo. Todos precisamos mesmo consultar um psicanalista.
            Veja, que não ataquei à você. Ou à senhorita Carine. Não feri. Aconselhei apenas sobre algo que acredito que trará Paz dentro de cada um. Não só de vocês. Mas de todos. Já que compreender o lado do outro, agir de forma não violenta, e respeitar as diferenças, sempre faz bem. E isto está fazendo falta no mundo de hoje. Olhe em volta. Olhe..
            Sabe, Helenilse Silveira. Se um dia algum homem a feriu, ou feriu a senhorita Carine. saiba, que todos os outros homens não são como aquele que possa tê-las ferido um dia.
            No mundo há homens bons. Acredite. Pais de família. Que amam e tratam muito bem, com amor, suas esposas e filhos.
            E reintero à você o que já aconselhei à senhorita Carine. Procura, de alguma forma Helenilse, encontrar Paz dentro de você. Porque lhe fará bem. à você e à todos com quem conviver ou interagir.
            Afinal, qual é o prazer que há em atacar as pessoas assim? Nenhum, não é?

          • ROTFL… Texto imenso, que, espremido, não vale meia dúzia de palavras = imensa necessidade de aparecer. Obrigada por confirmar. Beijo!

          • Celso, isso é o melhor que você pode fazer? Ser dissimulado e me acusar de ser outra pessoa? Agir como um troll???

            É mais fácil você reconhecer seu erro e que não tem o que argumentar! Porque este tipo de postura do senhor não representa nada de positivo ao liberalismo – e menos ainda a este site!

            Cresça!

            Um abraço!

          • Igor, o que ocorreu é que perguntei se era a senhorita Carine ou você à responder. Pois a forma de escrita é sim muito igual. Então, se é você mesmo quem respondeu. Por favor perdoe-me a falta.
            Entretanto, você poderia mostrar onde está o erro quando falo sobre a Paz? Quando aconselho as pessoas a respeitarem o outro?
            Quando você diz que eu esteja sendo dissimulado, isto sim é uma falácia.
            Você não percebe, Igor como é que o mundo está? Cheio de violência e desentendimentos. Pessoas que nem se conhecem brigando, matando, roubando, etc..? Policiais mesmo, hoje em dia, ao invés de protegerem o ser humano de bem, eles simplesmente matam, sem pedir documento e nem mesmo se importar. Olha em volta.
            Você acha mesmo que é um erro eu aconselhar as pessoas a procurarem a Paz intensa e o respeito humano com os outros e principalmente respeito com a diversidade, de gênero, etc..?
            Rapaz…

          • Um adendo:
            Uma coisa que tenho notado muito no comportamento das pessoas, nos dias de hoje, é que as pessoas não acreditam mais que o bem exista. Ou pelo menos agem como se não acreditassem.
            Estão aceitando com naturalidade a violência, os desentendimentos, as brigas fáceis, que parecem mesmo acreditar que tudo deva se resolver na base dos ataques pessoais.
            Sabe aqueles valores humanos? Bondade, amizade, amor fraterno? Sabe?
            As pessoas parecem não crer mais nisto.
            Então quando surge alguém falando que há um outro caminho de resolução e construção do bem comum, um caminho com respeito e Paz. Falando que as pessoas podem sim realizar sem pisar em ninguém. As pessoas simplesmente, reagem violentamente contra.
            E este quadro humano atual é muito triste. Porque mostra que estamos perdendo aquilo que tínhamos de mais precioso que é a capacidade de amar e compreender o outro.
            É certo que na história da humanidade a violência sempre esteve presente. Mas aqueles que acreditavam na Paz, no respeito humano, parece que eram em maior numero do que é hoje.
            Olha, gente. E isto é sério. O ser humano está se tornando a cada dia, mais individualista e egoísta. Está perdendo a capacidade de amar e respeitar. Se não acordarmos todos em tempo, o que vai ser do mundo?
            Que igualdade é esta que é clamada com brigas e ataques pessoais?
            Vocês acham mesmo que haverá Igualdade assim? Sem a presença da Fraternidade?

  6. Parabéns! Nos dias atuais, pessoas equilibradas e ponderadas devem ser elogiadas, mesmo sendo tais qualidades, o que se espera das pessoas. Digo e repito pessoas, pois se eu disser mulheres, é provável que seja taxado de machista, por feministas.

  7. E vou além, se me permitem, este movimento quer que eu, você é todas as mulheres brasileiras nos sintamos culpadas por não termos educado nossos filhos nos padrões politicamente corretos, contra a chamada ” cultura do estupro”!
    O que é isso, afinal?
    Em mim não cola!
    Vão amarrar seus burros em outro poste!

  8. Feministas são seletivas, só sem da toca a mandos dos chefões esquerdistas para usar algo de forma politica o que lhes convêm. O caso dos estupros na Alemanha que chocou o mundo, as lideres feministas por ai fizeram pouco caso e até deboche. Os estupros por lá continuam, a ponto do governo ter pedido que as mulheres não saiam a noite nem desacompanhadas, mas as feminizis se manifestaram a respeito desse pedido “machista” do governo ou pediram providências contra os estupros? Não. Simplesmente, porque esses estupros fortalecem os argumento delas contra os homens em geral. É pura canalhice, desonestidade intelectual e psicopatia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here