Home Artigos Pare com a histeria: justiça não autorizou “tratamento da homossexualidade como doença”

Pare com a histeria: justiça não autorizou “tratamento da homossexualidade como doença”

Quem afirma que esta decisão judicial “tratou a homossexualidade como doença” ou que “foi instalada a ‘cura gay'” é muito desonesto ou analfabeto. Não há meio termo. É desonesto quem entendeu – e sabe que não é nada disso. É analfabeto quem leu e não entendeu – porque o Juiz Federal não disse nada (nada!) sobre considerar doença.

 

Pelo contrário, a decisão preserva a redação integral da Resolução nº 01/1999 do Conselho Federal de Psicologia, apenas afirmando que “a fim de interpretar a citada regra em conformidade com a Constituição, a melhor hermenêutica a ser conferida àquela Resolução deve ser aquela no sentido de não privar o psicólogo de estudar ou atender àqueles que, voluntariamente, venham em busca de orientação acerca de sua sexualidade, sem qualquer forma de censura“.

No dispositivo é possível perceber que a determinação judicial consiste apenas em “determinar ao Conselho Federal de Psicologia que não a interprete (a Resolução nº 01/1999) de modo a impedir psicólogos de promoverem estudos ou atendimento profissional, de forma reservada, pertinente à (re)orientação sexual, garantindo-lhes, assim, a plena liberdade científica acerca da matéria, sem qualquer censura ou necessidade de licença prévia”.

A decisão judicial é, portanto, correta. Não fere a orientação sexual de ninguém, não trata qualquer condição sexual como doença e apenas garante que, se o indivíduo quiser – mediante escolha livre e consciente – procurar um psicólogo, terá o direito de ser ouvido e o profissional poderá realizar estudos e atendimentos reservados, tudo para que seja preservada a vontade espontânea do paciente. É algo mais ou menos assim: se um homem que se diz heterossexual precisa de ajuda e orientação para tornar pública a sua homossexualidade, ele pode procurar um psicólogo e o profissional poderá ajudá-lo no enfrentamento dessa etapa. A decisão permite apenas o caminho inverso. Que mal há nisso?

Se você leu as palavras do magistrado e encontrou “cura gay” você precisa estudar ou parar de ser desonesto. Isso não é questão de opinião, é simples capacidade de inteligência.

150 COMMENTS

  1. Mas que é estranho é: um homem se veste de mulher e se diz ser mulher= normal.
    se um homem se vestir de Napoleão Bonaparte e sair pelas ruas vão dizer que ele esta doente e precisa de tratamento.

  2. Eu li apenas “reorientação” sexual e para mim já é suficiente para entender essa decisão judicial como apoio ao charlatanismo e curandeirismo.

    • Pare com isso, tá feio. Deixem as pessoas serem livres para serem ou não serem o que quiserem.

    • Você já ouviu falar em direito negativo? Depois de décadas dos direitos positivos martelados na cabeça de todo mundo que as pessoas tem direito a X, Y, Z, W, etc (mesmo quando ela não querem) e que o estado tem o dever de roubar a sociedade para fornecer estes direitos. Depois de tudo isso, muitas pessoas esqueceram o que são direitos negativos. Significa que o estado não pode LHE proibir de exercer sua próprias liberdades, escolhas e desejos, respeitando as mesmas liberdades das outras pessoas, tal como direito a propriedade. Eu quero contratar uma cartomante, tem alguma problema com isso? Alguém te roubou para isso? Alguém te prendeu? Então, o que te interessa?

      • Seu argumento da cartomante foi bom. Mas fiquei com uma dúvida (dividido comigo mesmo inclusive), e se estivermos falando de uma criança que se mostra com tendências homosexuais (ou os país achem isso) e queiram levar o filho para uma reorientação? como que funciona nesses casos? tem ideia?

        • Se vc encontrar uma criança com “tendências homossexuais”, não chame apenas um psicólogo, mas tb chame a polícia. 100% de chance dela estar sendo vítima de pedofilia.

          • Que? pedofilia? sou homossexual desde que me entendo por gente e desde os 5 anos já tinha tendências gays, trejeitos, fala suave, brincar com meninas…. Nunca sofri pedofilia, vc escreveu bosta, colega. Vá se tratar.

        • Pais não entram junto em sessões de terapia, mesmo de crianças pequenas. Podem dizer o que quiserem ao contratar o psicólogo, mas fechou a porta é ele com o paciente. Deve fazer as perguntas que quiser e proceder conforme a ética da profissão.

      • A diferença da cartomancia e da psicologia, é que cartomante é um charlatão e psicólogo um profissional cuja regulação é feito por um conselho, portanto não se pode fazer essa analogia. O uso do argumento da autoridade será usado nesses casos de reorientação sexual, mas NÃO OCORRERÁ reorientação sexual, assim um profissional da saúde que usa de sua autoridade para promover um atendimento que sabe-se certo que não ocorrerá êxito, é um charlatão.

      • Isso de direito negativo é pura falta de conhecimento, ocorre somente direito positivo e um não fazer do Estado já é uma forma positiva, norma-regra dele não for contra uma liberdade de manifestação do pensamento como o prof. de Direito fez.
        Foco de Estudo: Multifuncionalidade dos Direitos Fundamentais (Ingo W. Sarlet); Teoria dos Quatro Status de Jelinek.

      • Você pode contratar um cartomante, vc pode contratar um pastor, ou macumbeiro. Mas vc não pode pedir que um médico faça uma macumba pra te curar, entende? Pastores podem fazer a dita “cura gay”. Ninguém proíbe isso. Mas uma pessoa que faz isso não pode se nomear psicologa. Pq o tratamento de reorientação sexual já foi testado e comprovadamente não dá certo. Se um psicólogo quer tentar novas tecnicas, ele pode registrar uma pesquisa junto ao conselho, mas ele não pode “vender” uma coisa que até então é impossível de se fazer.

    • Sérgio Moura – Então a militancia LGBT se ofende com o termo “orientação sexual” alegando que a pessoal “não vira gay” mas sim que ele ja nasceu assim e apenas “se descubriu”, certo?

      Então vamos fazer um exercicio, se um individuo chegando aos seus 20 anos que levou toda sua vida como hetero “DESCOBRE” que era gay desde o seu nascimento, porque a militancia gay PROIBIDE um gay que ao chegar aos seus 20 anos “DESCUBRA” que era hetero desde o seu nascimento?

      Porque existe essa mentalidade na militancia LGBT em que o individuo pode se descobrir como parte deles mas o mesmo individuo não pode nunca mais sair do grupo?

      • Não há nenhuma ofensa com o termo “orientação sexual”, mas sim desconhecimento sobre o que tal termo significa. Não há uma “descoberta” heterossexual porque isto já é uma regra social, ou seja, você não precisa enfrentar pessoas tratando você como se fosse doente, por exemplo. Esse jogo de palavras que você fez, por exemplo, não é usado para nenhum heterossexual…

    • Chegou o primeiro histérico. Quando as pessoas não querem entender, não adianta. São doses cavalares de má-vontade e pura ideologia, com porções generosas de apoio da rede Globo. Muito difícil imaginar que mundo louco deixaremos para nossos filhos.

    • ONDE VAI PARAR A LIBERTADE E O DIREITO DE IR E VIR, SE O CARA É HOMOSSEXUAL E QUER DEIXAR QUE MAL A NISSO, ELE DESISTIU, MAS POR CAUSA DE PESSOAS PEQUENAS ELE NÃO PODE PROCURAR UM ACOMPANHAMENTO, ISSO NÃO É NENHUMA LOBOTOMIA, NEM TROCA DE CÉREBRO NÃO !!!

      • Isso aí. Meu amigo buscou a igreja e parece que ele gostou do resultado. Me parece mais feliz hoje, casou com uma irmã palavras dele, e tem 2 filhos.

      • Você conhece ou já ouviu falar de alguém que seja heterossexual e que quer fazer terapia para “mudar” a sua orientação sexual e “se tornar homossexual”? Se a sua resposta for não, pq será que existem tantos LGBT que “gostariam”, “buscariam”, se “submeteriam” a terapias de (re)orientação sexual? Essa resposta você saberia me dizer? Talvez seria “pq ele quer”, “pq ele tem esse direito”, mas vc já pensou que esse querer está diretamente relacionado com o preconceito que ele sofre diariamente, a não aceitação pela família, escola, bairro, trabalho, cidade, sociedade em si? Aí é que está o erro, meu caro! Aí é que mora o perigo… e é por isso que estamos “histéricos” (termo bastante pejorativo e preconceituoso, por sinal) Abç

        • Oi, Frederico. Boa tarde. Acho muito válido seu posicionamento, mas vamos usar um argumento bastante utilizado em outras questões: Sabe aquela coisa de “você não pode ser feminista se for homem, você não vive o que nós vivemos”?! Pois é. Sou bissexual. Não sei explicar bem o porquê, mas eu não me sinto totalmente confortável com minhas relações homossexuais; até o ápice do prazer (se é que me entende) é diferente. Pode chamar de preconceito oculto, pressão dos meus familiares ou amigos, do que você quiser. Mas eu terei que negar. Minha família é super cabeça aberta e tenho muitos amigos próximos homossexuais, com os quais eu convivo. A questão é íntima minha e só diz respeito a mim e meu passado.
          Lembra que te falei que não sei explicar bem o porquê? Pois é, esse tratamento o psicólogo vai ser capaz de me ajudar a descobrir isso. Pode até ser sim esse argumento de preconceito que você diz (o que afirmo que não é), mas e se não for? Vai me impedir de descobrir e finalmente me aceitar ou tentar mudar porque você não acha certo?
          Parem um pouco para racionar. São pessoas, são vidas. Não cabe a vocês decidir se eu posso ou não tratar algo que me incomoda.

          • Eu gostei muito do seu comentário, É difícil alguém comentar e não se colocar em uma situação de vítima, vc falou a vdd tem uma família que te apoia, sei que existem pessoas que não aceitam, mas tem vários que respeitam mas mesmo assim alguns gays querem ser vítimas sempre.

          • Olá Daniel, deixe-me entrar na conversa de vocês.

            Eu tenho um primo que fez um “tratamento” para reorientar a homossexualidade dele. Afinal, se sentia incomodado com a sexualidade dele, e, como você, não sabia bem porque. O tratamento foi “um sucesso”, visto que ele deixou de ter relações sexuais e afetivas. Só que deixou de ter não só com homens, como também não tinha com mulheres. O “tratamento” criou uma reprimenda interna com a homossexualidade dele, e, claro, ele já tinha a repulsa natural pela relação heterossexual — afinal, é homossexual. Sabe o que isto gerou no final das contas? Depressão grave! A sorte dele que buscou profissionais sérios que, ao invés de tentar reforçar sua regressão ao estado de reprimido.

            Assim, se você sente incomodo pelas relações homoafetivas de sua bissexualidade, busque ajuda profissional no sentido de investigar a origem disto. Um profissional sério não vai lhe propor uma “reorientação sexual”, mas buscar as raizes de seu problema que, ao contrário do que você acredita, pode ser pelo preconceito — mesmo que velado. Isto é uma coisa muito séria, que leva pessoas até o suicidio (meus pais tiveram um casal de amigos que teve um filho que se suicidou porque não aguentou uma heterossexualidade forçada — e na época não havia norma do CFP para inibir isto).

          • Daniel, mas você já poderia ter ido a um/a psicólogo/a sem a necessidade dessa lei. Se algo te incomoda em relação a sua orientação sexual, você já tinha esse direito garantido de ir e buscar ajuda para compreender e entender esse incômodo que sente. Ninguém está dizendo que você não pode ou não tratar algo que me incomoda, suas palavras.

            Estão apenas dizendo que essa lei é extremamemente tendenciosa, principalmente porque se refere à comunidade LGBTQ e negar ISSO é desonesto.

            Minha amiga é a trans e sofreu preconceito da psicóloga/terapeuta dela. Agora que saiu essa lei, como essa minha amiga vai poder denunciar a psicóloga pro conselho? Afinal a atitude dessa “profissional” foi antiética, concorda? A psicóloga vai apenas dizer e argumentar que estava seguindo essa lei da “reorientação sexual” apesar de não ter sido por essa razão a qual minha amiga a procurou.

            Então, sim. É motivo de histeria e de preocupação.

          • Mas o que eu não estou entendendo, em qual momento vc era impedido de procurar um psicólogo para te ajudar nessa sua dúvida? Sempre pudemos procurar um psicólogo seja por qualquer motivo for.

          • Cara meus parabéns acho que você entendeu a reeducação sexual aí não descreve no artigo se é obrigado uma pessoa que passe pelo tratamento ter como a única opção a Heterossexualidade
            Mais sim se a pessoa tem dúvidas seja Heterossexuai bissexual ou homossexuai

            Se aceitarem as vezes por preconceito sim a pessoa não se aceita e os lgbt e os Pilantra de plantão que se fazem de pro causa lgbt não lê não interpreta e ainda sai chamando todo mundo que vai contra o que eles tomam como verdade de homofóbico nazista e por aí vai

        • tu perguntou de todos os”ex-gays” p escrever isso?? manda algo me concreto e menos histérico
          abs

  3. Hahaha ao fazer tão instigante “sugestão ” o que o juiz quis dizer?Analfabeto é quem só lê linhas e não o mais importante: as entrelinhas.

  4. Entendo a boa intenção do autor ao esclarecer a leitura da decisão do magistrado. Todavia, embora eu não seja psicólogo, já li vários autores e conversei com muitos psicólogos a respeito do tema e, de tudo que li e ouvi, parece-me ignorância, da parte do magistrado e do autor desse artigo, fazer essa leitura do tema em tela.
    O que a resolução busca evitar é a “venda” de uma terapia que não existe no campo científico da Psicologia.
    Para exemplificar, pernitir esse tratamento seria o mesmo que um juiz decidir que os médicos podem voltar a usar os tratamentos com sangue-sugas para a cura de febres, ignorando que a ciência médica não indica esse tratamento.
    Não vejo o CRP proibir que Igrejas tentem reorientar sexualidade, nem a justiça se metendo nisso. Por que motivo deveria a Justiça definir o que é ou não campo de trabalho de um psicólogo sem levar em conta o campo científico? Até onde me consta, não há proibição para pesquisar orientação sexual na Psicologia; estudos a esse respeito são divulgados com frequência.

    • Ahhh mr. Sabichao! Mesmo q nao haja, significa q estao proibidos de tentar, de estudar. Caso encerrado. Proibem-se estudos…… Santa ignorância!!

      • Engraçado, o site da CFP fala justamente o oposto… Já deu uma olhada lá? Esses estudos são muito bem-vindos por eles. O que eles não aceitam é prática sem embasamento científico.

      • “Mesmo q nao haja, significa q estao proibidos de tentar, de estudar.”
        Não, amigo: pesquisa e tratamento são coisas completamente distintas. É justamente dessa forma que TODO medicamento passa por pesquisa e teste clínico antes de ser comercializado. … ah, menos a fosfoetanolamina, é claro, que foi transformada em medicamento à base do canetaço, sem teste clínico, porque os políticos brasileiros não entendem BULHUFAS de ciência.

    • Você acredita que entre os mais de 200 milhões de brasileiros ninguém está confuso e que orientação? E o direito desse ?

      • Claro! E o psicólogo pode, E DEVE, orientar. O que ele não pode é reorientar, ou seja, tentar transformar um hétero em gay ou um gay em hétero.

        • Mas se gays nascem gays e a sociedade nunca influenciou e não influencia
          Como um psicólogo vai conseguir fazer um gay virar hetero? Já que os gays nascem gays e não são influenciados
          Decidam-se

      • Você conhece ou já ouviu falar de alguém que seja heterossexual e que quer fazer terapia para “mudar” a sua orientação sexual e “se tornar homossexual”? Se a sua resposta for não, pq será que existem tantos LGBT que “gostariam”, “buscariam”, se “submeteriam” a terapias de (re)orientação sexual? Essa resposta você saberia me dizer? Talvez seria “pq ele quer”, “pq ele tem esse direito”, mas vc já pensou que esse querer está diretamente relacionado com o preconceito que ele sofre diariamente, a não aceitação pela família, escola, bairro, trabalho, cidade, sociedade em si? Aí é que está o erro, meu caro! Aí é que mora o perigo… e é por isso que estamos “histéricos” (termo bastante pejorativo e preconceituoso, por sinal) Abç

      • Que tal “reorientar” os umbandistas e candomblecistas do Brasil? Afinal, volta e meia os terreiros deles são vandalizados e queimados. Ao invés de combater a intolerância e a violência religiosa, vamos “reorientar” as vítimas, porque elas estão “confusas” demais. Combater o preconceito dá trabalho demais, né?

    • Belo comentário Daniel.
      Apesar de eu ainda não ter estudado a fundo a questão da homossexualidade como característica congênita, prefiro ser bastante cauteloso quanto ao assunto.
      Você fez uma excelente analogia, devemos sempre levar em consideração o aspecto científico, até por que a ciência funciona, e praticamente todo o desenvolvimento que a humanidade vem obtendo se deve ao método científico.
      É claro, os estudos não são conclusivos, mas a balança pende para o lado da homossexualidade congênita.
      A minha dúvida, particularmente, recai sobre o lobby dos homossexuais sobre a comunidade científica durante todos esses anos. Tenho tentado responder à pergunta: até que ponto isso tem influenciado as pesquisas científicas?

      • Cristian, concordo plenamente que o tema carece de mais estudos e que os estudos científicos deveriam ser mais plurais e contando com aquele esforço fundamental do cientista de não se basear em senso comum ou em dogmas e nem ter expectativa do resultado do experimento.
        Mas uma cautela é fundamental: enquanto não tivermos estudos suficientes, não dá pra fazer paciente de cobaia, isso seria uma temeridade!

    • Concordo, Daniel. Li a íntegra da decisão judicial (liminar) e vi uma justificativa totalmente desprendida da realidade. Não há nada no sentido de impedir pesquisas científicas, enquanto no corpo da decisão fala em “reorientação” — o que pode ser interpretado como patologia.

      Para mim, bola fora este artigo do Ilisp também. Mas respeito a opinião do editorial…

    • kkkkkkkkkkk Mas o pedido foi de uma psicóloga aberto contra o colegiado, me poupe nos poupe!

  5. “vontade espontânea do paciente” você não leu então? eram muitas palavras e faltava desenho né?

    • vontade espontânea ou seria a força do preconceito e a busca pela aceitação, afeto e reconhecimento da família e sociedade que só aceita comportamentos heteronormativos como “saudáveis” e “corretos”?

    • Caio, conhece alguém que buscaria ajuda de um profissional para resolver algo que, ao invés de ser problema, traz prazer ao sujeito? Isso não existe. E se queres argumentar que existe muitos homossexuais com problemas buscando ajuda de psicólogos, digo que sim, é verdade, porém a razão desta demanda está em fatores externos, como pressão familiar, da sociedade, violência, agressão, e não propriamente pela opção de gênero escolhida. “Vontade espontânea do paciente” não o levará para buscar ajuda para reorientação sexual, mas sim para aliviar o sofrimento causado por preconceitos e não aceitação daquilo que é escolhido sem que fira a integridade do próximo. Se não afetar ao próximo, cada um é dono e faz o que bem quiser com o seu nariz (falo nariz para não falar palavrão).

  6. Eles tem mwdo de deixar de ser gay? Basta não ir ao psicólogo para falar da sua sexualidade, pronto! Agora quem quiser, pronto!

  7. E qual é a diferença entre “cura gay” e reorientação sexual? Você já ouviu falar que algum homossexual passou a ser heterossexual? Estes “estudos” causariam um desequilíbrio maior ao paciente que se encontrar nesta situação de confusão a cerca de sua homossexualidade. Você é psicólogo por acaso?

    • Leia os demais comentarios…. Trata-se de LIBERDADE DE GENERO que foi tao pregada numa direção e agora negada na direção oposta. Mundo hipocrita!!

    • Espere aí! O indivíduo quer mudar sua orientação sexual e pede ajuda ao psicólogo. Este por sua vez diz: – “Sei que vc quer e que a opçao é sua, mas não posso fazer isso porque causaria um desequilíbrio maior em vc. A confusão sexual na qual vc se encontra é o melhor pra vc! Ok? 👍🏻”
      🤣🤣🤣🤣🤣 cara, na boa, vc já se ouviu dizendo isso?
      Quanto amor pelo próximo, não! Isso nem Freud explica!

      • Não existe reorientação sexual. A pessoa é o que ela é. O que ela sente atração é algo Dela, que não pode ser tratada para mudar, desde que não cause sofrimento a si e aos outros. See gay não é problema ou doença nenhuma. Não é como mudar um comportamento. Um bom psicólogo iria explicar isso ao paciente, visto que não há nada de mais em ser gay. A pessoa precisa se aceitar. Se por ventura ela começar a sentir atração heterossexual, bom, então ela pode virar hetero sem problemas, mas não através de um tratamento, pq ela só descobriu algo pertinente a ela.

    • A internet está repleta de casos em que homossexuais e transgêneros fizeram o caminho inverso e se tornaram heteros. Basta procurar no dr. google.

    • Amigo, você diz que alguém que teve tuberculose foi REORIENTADO através de tratamentos medidos? Eu digo que ele foi CURADO, por que cura pressupõe doença. A prova de que não se trata de “cura gay” começa pelo simples fato de ninguém mencionar o termo “cura”.

      • Com analogia falaciosa só pode chegar a esta conclusão mesmo! Anacronismo puro de sua parte. Agora, se contextualizar o tema, verá que “reorientação” é tratada como uma anormalidade; uma patologia. Tanto que a principal autora da ação oferecia tratamento para “quem quisesse deixar de ser homossexual”, mas não se há notícia que ela oferecesse tratamento para quem quisesse deixar de ser heterossexual — ou coisa do gênero — porque trata a heterossexualidade como normalidade — enquanto não faz isto com a homosexualidade.

  8. Quando se fala reorientação, não fere lei de 1990?

    Liberado o estudo para os psicólogos, sobre a ” reorientação sexual ” pode ser considerado patologia o homossexualismo?

    Alguém pode responder essas perguntas. Favor responder, como se tivesse explicando para um leigo ( o que eu sou )

    • Lei não: fere a resolução do Conselho Federal de Psicologia:

      https://site.cfp.org.br/wp-content/uploads/1999/03/resolucao1999_1.pdf

      Lá no parágrafo único do artigo 3° diz que “os psicólogos não colaborarão com eventos e serviços que propunham tratamento e cura da homossexualidade”.

      Sobre os estudos, esta nunca foi proibida. Você pode fazer um estudo científico (valendo-se da metodologia científica convencionada) para saber se há de fato uma reversão da homossexualidade ou não. Todavia, os estudos científicos com maior grau de impacto ainda divergem sobre a causa e origem da homossexualidade (há quem defenda que seja genético, outros que seria influência do meio que vive, e outros que seria ambos), então como você vai falar em reverter algo que não se sabe se aquilo é ou não é inato ao ser humano? É óbvio que você partiria de uma premissa que a homossexualidade é anormal, ou seja, uma disforia; uma patologia. Não é à toa que grande parte dos apoiadores da “cura gay” são cristãos que tem como base que a homossexualidade é um pecado, uma imoralidade, assim transpõem para a área científica (tal como o fazem em outras áreas) para — tentar — fazer a chamada janela de Overton (dá uma pesquisada rápida sobre isto).

  9. “Hurr você precisa deixar de ser burro e ser esperto igual aos autores desse artigo”.
    Alias, terapias NORMALMENTE são para tratar doenças:
    “terapia
    substantivo feminino
    med tratamento de doentes; terapêutica”

    • “Terapia é o nome dado a um conjunto de práticas psíquicas, corporais e espirituais que objetivam a harmonia da saúde.”

    • Que estranho vc falar isso e o tratamento que fazem com hormônios acentuar mais as características femininas e masculinas seria o que exatamente, obra da natureza.

  10. Quanta hostilidade no artigo, e comentários seguem a mesma direção. Não poderia esperar nada além disso, não é mesmo? Agora, se em toda a história da humanidade, situações semelhantes sempre geraram atitudes extremas, mesmo que de inicio apenas com o objetivo de dar “liberdade” para “estudos”, esta decisão por si só abre margem para infinitas interpretações de pessoas não tão neutras nesse aspecto na profissão. O Mimimi, sempre será esperado. O que se espera, além de tudo, é que haja mais profissionalismo, tanto para psicólogos como magistrados.

  11. Qual é a formação do autor desse texto? Entende de psicopatologia?
    Ah é um advogado falando do que não sabe… e um monte de “terapeutas” apoiando!
    Não existe terapia de re orientação sexual. Ponto final. Vai estudar pra não escrever besteira. Ou se limitem a escrever sobre o que dominam.

    • É um advogado falando sobre uma decisão jurídica. Se a terapia não existisse, não haveria uma psicóloga entrando com uma ação judicial para aplicá-la.

      • Marcelo,
        Eu costumo achar suas opiniões bastante equilibradas, mas , nesse caso, sou obrigado a discordar. Sua opinião não pára em pé. Seria como acharmos que todo advogado ou todo médico opera corretamente e com base na ética da profissão, Nesse caso não haveria previsão de cassação do diploma, de suspensão das atividades. Nem tribunal precisaria, os advogados das partes chegariam sempre a um bom termo!
        As terapias aplicadas por psicólogos devem se apoiar nos conhecimentos científicos da Psicologia — campo científico próprio. O que não quer dizer que quem queira buscar uma “terapia” para se “curar” da homossexualidade não possa, só que essa terapia não é — no momento, com os conhecimentos científicos atuais da área — pertencente ao campo da Psicologia.
        Volta e meia vejo alguma notícia de igreja aplicando esse tipo de aconselhamento… rsrsrsrs

        • Fico confuso com leis, mas para mim que sou médico, infelizmente (em diversos casos) tenho que respeitar decisões catastróficas de pacientes baseadas em charlatanismo (vide o caso do Marcelo Rezende e “terapia” com dieta cetogênica). Independentemente de leis sempre agi respeitando o livre arbítrio das pessoas, ao meu ver colocar mais estado e mais leis para reger essa peça só causa mais confusão…. bastasse uma lei que dissesse que indíduos (gays, heteros, etc não deveriam ser mencionados) são livres para procurar aquilo (terapia) que possa lhe trazer melhor conforto e qualidade de vida.
          Quanto a parte científica fica a critério do indivíduo se ele deseja procurar algo embasado ou não.

  12. Sou psicólogo e digo que:
    A gente tem que tomar cuidado com o seguinte…
    Já estão dizendo aí que a decisão do juiz não vai propor cura gay e de fato não propõe. O que ela faz é abrir um precedente pra que psicólogos muito “bem” intencionados, proponham terapias de (re) orientação sexual. Pesquisas desse tipo só são feitas com cobaias.. Quem serão as cobaias?? Ratos não fazem divã até onde eu sei.. então sempre vão arranjar voluntários.. o que acontece é utilizarem de mecanismos ineficazes como hipnose (já descreditada por Freud) pra conseguir algum resultado. Vejam, se eu estou dizendo isto, me colocando como impetuoso só por um instante, quem dirá aqueles que sob o colete da “liberdade científica” vão propor pesquisas com objetivo de embasar seus preconceitos e conceitos arraigados?? Entendem?? Na liminar o juiz diz afirma que a homossexualidade não é doença, mas susta os dispositivos.. com que finalidade?? Pra quê se trabalhar uma possível reorientação se não é doença?? Vão só pesquisar por pesquisar e aí vão dizer “ahhh nós achamos um método, tá?? Pronto, pesquisa encerrada..
    o argumento do juiz é do tipo “non sequitur”, onde a conclusão não segue a premissa, pois se ele diz que a homossexualidade não constitui como doença, porque no fim do texto ele propõe sustar os artigos da res01/99 e acrescenta que o terapeuta pode acolher alguém que queira fazer terapia de (re)orientação??
    É o mesmo de eu dizer, ooolhem!! comer a casca da banana não é doença mas eu to permitindo que se pesquise ou se trate quem come casca de banana,, tá???
    Aí se algum bonitão, no meio dessas pesquisas, chegar e dizer que encontrou uma terapia, aí tudo vira questão de “liberdade de escolha”.. ah mas quem manda é o cliente.. se ele quiser re-orientar sua sexualidade é um direito dele… e aí minha gente, tudo vira um “condicionamento operante democrático de direito”.. É muita ingenuidade de quem acha que essa liminar tem propósitos neutros ou científicos..

  13. A questão é: Se um homossexual, e existem VÁRIOS (embora não se fale sobre eles, porque isso seria “homofobia”), se desiludir com o homossexualismo, e quiser abandoná-lo, ele DEVE, sim, ter TODO O DIREITO de procurar ajuda profissional, se assim o desejar.

    • E ele pode ir a vontade a um psicólogo e ouvir dele que não existe método científico comprovado que possa ajudá-lo. Até porque a psicologia é uma ciência e deve se ater a mesma, e essas coisas são deliberadas pelo conselho da área.
      Assim como um médico deve se ater a ciência e não usar pacientes como cobaias para qualquer pseudociência idiota que ele inventar, ou que pacientes peçam.

    • pra começar, Marcos: não existe homossexualismo! se pra vc existe, temos um problema. agora me diz: esses VÁRIOS que você diz que querem “abandonar”, desiludidos talvez, é uma desilução causada por qual motivo? é pela não aceitação da família, da escola, do trabalho, da sociedade? é pelo preconceito sofrido ao longo de anos e mais anos? é pela falta de espaço na sociedade para atuar profissional e pessoalmente falando? é pelo fato de ser tratado como alguém que tem um “comportamento errado”? veja bem… o problema não está no querer “mudar”, se for esse o objetivo, mas nas causas desse querer… vá para além, meu caro!!

  14. O fato de uma psicóloga entrando com um processo para testar a técnica de re orientação sexual, não significa que ela funcione. Essa técnica não funciona, pq a homosexualidade não é doença , assim como heterossexualidade Tb não . Ou será possível re orientar um hetero a se tornar gay? Esse mesmo raciocínio pode ser utilizado pelo químico que entrou na justiça dizendo que a medicação dele curava o câncer, todos acreditaram e no final não cura nada. Charlatanismo tem em toda profissão.

    • Se ela ou ele for impedido de produzir cientificamente, não saberemos se é uma coisa ou outra. Se tal coisa funciona ou não, o que está em jogo não é se a pesquisa dela vai ter resultados conclusivos ou não. O que está em jogo é a liberdade de poder realizar tais pesquisas. Quanto à demanda de orientação sexual, é a demanda do próprio cliente, que não se sente confortável com sua sexualidade, seja ela hétero, homo ou trans… ela é realizada no sentido de autoconhecimento, de fortalecimento individual para que esse, possa exercer a sua sexualidade da forma que lhe convir (sem que essa escolha, lhe cause sofrimento), que o sujeito, tenha um suporte para enfrentar o pré-conceito social em relação a tudo isso…
      Só para te atualizar, o acompanhamento psicológico, utilizando técnicas Mente/Corpo (entre elas, alguns exercícios de meditação), dobraram a expectativa de vida em pacientes terminas de câncer (apud: GOLEMAN, 1997). E outra, se a ciência sempre repetisse as mesmas palavras, ela jamais evoluiria… pensa nisso…

  15. Uma pergunta: uma pessoa hetero pode virar gay( temos vários exemplos na mídia). Um gay pode virar hétero? Nunca vi…
    Acontece que no primeiro caso, a pessoa nunca foi hetero e sofreu anos por não ter um apoio psicológico de orientação para assumir e entender sua sexualidade… Simples.

  16. O grande problema envolvendo toda essa polêmica é o FATO que esse “caso isolado” que o juíz determinou como “reorientação” só serve como brecha para os intolerantes detentores de poder (mídia, políticos, chefes das famílias…) se prenderem mais ainda ao preconceito, aumentando e incentivando a violência contra a classe LGBTQ. Pois só quem acredita em papai noel, coelhinho da páscoa e juíz bonzinho que só quer oferecer tratamento de reorientação sexual voluntária não percebeu o equívoco que isso afeta na mentalidade daqueles que só queriam essa brechinha pra continuarem disseminando ódio!

  17. Neste caso, se vc se decepcionar com o heterossexualismo podemos aplicar o mesmo método. Vamos te incentivar ao homossexualismo??? Se nada funcionar, vamos propor um estudo da morte. Que tal suícidio? A vida está tão difícil, vamos acabar com ela?? É este precedente que quer propor??

  18. É incrível a capacidade das pessoas que depois de muitos anos de estudos parecem que se mudam pra outro planeta e esquecem a realidade de onde de vivem. Sério que acham que essa liberação vai ajudar quem já é homossexual mas não quer aceitar essa condição mude para heterosexual? Será que os senhores tão estudados aqui se quiserem mudar o fato nato de serem heteros irão simplesmente procurar um auxílio e depois de umas terapias começarão a gostar de homem? A condição sexual é o que é, e não há terapia ou nada que possa mudar isso’ Sabe o que pode mudar após essas terapias? A capacidade de se aceitar e criar na mente uma realidade que não existe, só pra seguir os padrões e formar uma família tradicional. Mas espera um pouco, mascarar a sexualidade já é algo feito de forma natural hoje em dia, quantos homens e mulheres casados estão, e vivem uma vida de mentira só pra seguir um padrão? Terapia pra esconder a ovelha interior não faz de ninguém leão. Creio que o Brasil devia evoluir, enquanto nos Estados Unidos os estudos estão voltados para comprovar o que grande parte de nós, Biólogos acreditamos: que a homossexualidade está ligada aos genes, o Brasil quer estudar como mudar o fato deles terem sido assim predispostos. Santa Sabedoria viu…

  19. Ta, não falou que e doença, ninguem e obrigado a participar da “reorientação sexual”. Mas permitir uma coisa dessas e a mesma coisa que assumir como doença porque se tem tratamento é uma doença. Isso e um absurdo estar acontecendo em pleno século XXI. E os tantos gays e lesbicas que estão por ai sem ter apoio de ninguem, com medo do preconceito e com pessoas dizendo pra ele que ele vai queimar no fogo do inferno. O que vai acontecer quando tiver a ilusão que vai ser reorientado sexualmente? Pelo amor de Deus, em que século estamos?

  20. Então eu quero fazer reorientação pra deixar de ser heterossexual e me tornar homossexual. Pode? Já que esses homens estão cada dia piores… quero me reorientar pra gosta de mulher. Como faz???? Kkk

  21. Ou Juiz não sabe interpretar a resolução do CFP, ou tá dando uma de João sem braço. Lá proíbe qualquer prática do psicólogo que promova o tratamento da homossexualidade. Lá não proíbe o psicologo de pesquisar sobre a orientação homoafetiva ou tratar o sofrimento de um sujeito em conflito com os seus desejos sexuais. Ou seja, o CFP não proíbe o psicologo de atender a pessoa homossexual. E ele só não pode prometer curar a sua orientação. Sabendo disso, qual a necessidade dessa liminar? Chover no molhado? Ou simplesmente disfarçar a real intenção de um grupo de pseudo psicólogos, os quais moveram a ação, de praticar reversão sexual, prática sem nenhum respaldo científico e reconhecimento do conselho? Faça-me um favor! O buraco é mais embaixo. Se ficarmos só na liminar, é claro que não terá problemas. Mas existe todo um contexto…. Quem tá achando tudo ok, não sabe da missa a metade.

  22. Obrigado por esclarecer. Uma pergunta: porque essa resolução foi necessária? Tinha alguma coisa que impedia um psicólogo de atender um(a) homossexual interessado(a) em falar sobre sua sexualidade?

  23. Queria ver o autor do texto (e o rebanho dos comentadores evangélicos que concordam com esse absurdo) virem aqui defender a eutanásia e a morte assistida com base no mesmo argumento de “deixa fazer”, como se não houvesse outras implicações sérias na vida real que podem ser consequência de uma autorização dessas.

    • Ninguém no ILISP é evangélico e somos a favor da eutanásia e da morte assistida. Desde que, obviamente, feitas mediante vontade voluntária daquele que deseja a eutanásia. Não defendemos meia liberdade. 😉

  24. A Ironia é constatar que, no caso em que parte da sociedade se rebelou contra a exposição do Santander e boicotou o Banco, a mídia chamou de censura, apesar de nenhum apelo ter sido feito pelo fechamento da exibição. Agora que um Juíz quer literalmente evitar a censura das liberdades de médico e paciente se relacionarem como bem entenderem, eles são contra… vai entender.

  25. Minha opinião.
    Temos q levar em consideração o que o cliente (gay ou não)quer, e não o psicólogo.

    “oferta e demanda”, é assim na Babilônia.
    Simples assim…

  26. Acontece que isso não funciona. Tentaram fazer isso nos EUA vários anos atráz e o resultado foi tão caótico que as clínicas fecharam e pediram desculpas a todos os “”””tratados””””.

  27. A pergunta do Lúcio reforça meu ponto de vista. Não precisava disto. Quem quer entender melhor sua preferência sexual pode conversar com um psicólogo a qualquer momento. Esta lei somente dá suporte aos charlatões que venderam, sim, aquilo que chamarão de cura. Já estou vendo aqueles pais desesperados que descobriram um padrão de sexualidade diferente dos deles buscando um psicólogo para curar seu/sua filha. E a palavra cura cabe sim pois se existe tratamento, existe doença e se existe doença , busca-se a cura…

  28. O artigo já começou mal quando considera quem pensa diferente como burro ou desonesto. Mas é o que mais vamos, infelizmente. Ok. O psicólogo não vai “obrigar” ninguém a “trocar” sua orientação sexual. Mas e as crianças e os adolescentes que ainda estão se descobrindo e cujos pais vão solicitar o tratamento de reorientação contra a sua vontade? E o gay, lésbica, bi ou trans que foi espancado ou violentado e sobreviveu, que fragilizado violência, não quer mais essa vida? As pessoas não escolhem ser homossexuais. É muito difícil. E essa possibilidade só trás sofrimento. É uma tristeza.

  29. Essa “livre e espontânea vontade” abre PRECEDENTE para que pais mal informados e ignorantes (os mesmos que expulsam seus filhos de casa) a força-los a fazer tratamento desnecessário, tomar remédio e outras atividades agressivas que podem causar um trauma IRREVERSÍVEL, fora a abertura para a disseminação do ÓDIO e da INTOLERÂNCIA que já vem acontecendo, sem contar q o Brasil é o país MAIS HOMOFÓBICO DO PLANETA, matando um LGBT a cada 26 horas vítima de preconceito, então se o Sr , não faz parte dessa luta assim como eu faço diariamente, guarda o sua “interpretação” pra si, o que vale aqui, não é o que o juiz permite ou não, mas sim o que cada um faz da sua vida, eu jamais vou julgar uma mulher que luta pelo aborto, pq não é minha realidade, então eu cuido da minha vida.

  30. O próprio Conselho Federal de Psicologia não concorda com a decisão e irá recorrer. A questão do psicólogo fazer uma “reorientação sexual” é, no mínimo, presumir que a opção sexual é uma questão de orientação, como se um hetero pudesse deixar de ser hetero ou um homossexual pudesse deixar de ter essa condição somente por sua vontade ou por “orientação”, como se fosse o caso de escolha ou um fato comportamental. Um homossexual que opta por não ter relações sexuais com alguém do mesmo sexo não deixa de ser homossexual. Da mesma forma quando um hetero resolve ser celibatário. A decisão, independentemente do discurso panfletário da mídia, valida uma opinião que é a de muitos conservadores, principalmente xiitas evangélicos, como Malafaia e Marcos Feliciano, que a homossexualidade é uma doença. Esse certamente é o grande problema dessa decisão: abrir mais ainda as portas do preconceito.

  31. Este mesmo juiz poderia me autorizar a deixar de ser branco … ou talvez aos heteros de deixarem de serem heteros … os índios deixarem de serem índios … os mortos deixarem de serem mortos …

  32. O termo homossexualismo fou abolido porque o sufixo ismo trazia a pecha da doenca, algo que poderia ser tratado, revertido, reorientado. O homossexual não pode ser reorientado para putra sexualidade. Isso é charlatanismo. O juiz deu um direito ao psicologo que ele, juiz, não tem capacidade para dar. Basta que as religiões o façam… e gente por ignorancia continue levando muitos jovens homossexuais à frustracoes e ao suicidio.

  33. Existem, por exemplo, milhares e milhares de meninos que tornaram-se homossexuais por abuso sexual na infância. Abusados por homens ou primos mais velhos, etc. São incapazes de se relacionarem com mulheres na vida adulta e e incapazes de sentir prazer sexual que não seja, por exemplo, via anal. Para manter a agenda do marxismo cultural intacta, é preciso PROIBIR que essas pessoas peçam ajuda psicológica. Isso sim, é desumano. Impedir que psicólogos TENTEM ajudar, ainda que não seja comprovada a possibilidade de reorientação, é semelhante ao impedimento do avanço da medicina por não ser permitido o estudo da anatomia em cadáveres, na idade média. A psicologia é uma ciência em desenvolvimento, e muita coisa só dá para testar em humanos. Antes de condenar psicólogos, está em jogo o direito de pedir ajuda.

  34. Se é assim, porque autorização de Juiz? E se algum hetero quiser fazer terapia para se tornar homo também precisa de autorização judicial?

  35. Muito mimimi com relação a duas palavras. Orientação e reorientação.
    Porém qual parte do texto vocês não leram sobre a pessoa procurar ajuda profissional por livre e espontânea vontade sobre o que ela quiser? Independente do que seja… ajuda profissional por livre e espontânea vontade. Logo… se ninguém quiser orientação ou reorientação nada acontecerá certo? Caso o cidadão queira orientação ou reorientação ele busca ajuda. Quem decide o que quer é a pessoa que sofre com qualquer questão. Não cabe a ninguém decidir o que está certo ou errado dentro de cada um. Ou alguém tá sendo obrigado a algo e eu não li isso?

    • E qual parte você não leu que isto é vedado pelo Conselho Federal da Psicologia? E mais: quem disse que somente irão pessoas por livre e espontânea vontade? Tem muita criança ou civilmente incapaz que vai por “livre e espontânea” vontade dos pais, ou seja, obrigado até mesmo na base da porrada!

  36. A comodidade das pessoas em aceitar qualquer informação que lhe é dada, me revolta. Antes de qualquer coisa gostaria de pedir aos leitores de machetes, que deixassem as ideologias políticas de lado, pois estamos falando de uma atualização do despacho de 1999. Onde em nenhum momento é tratado como doença a homossexualida. Até mesmo porque nunca será uma doença. Estamos falando da constituição, o juiz em momento algum entrou em discussão de gênero. O que se tem no despacho é autorização dos estudos científicos e orientação do mesmo. Uma vez que a constituição prevê que: Não se pode repreender estudos científicos nem a liberdade individual. Agora não venham utilizar deste meio para criarem brigas entre gêneros, ou se promoverem. Estudem antes de falar asneira, hipocritas, lutam por liberdade de uns e repreendem outros. Todos temos o direito de sermos nós mesmos, e senão estivermos satisfeitos podemos SIM buscar orientação. Por fim quero dizer que respeitar o outro acima de tudo é a base, e se eu não estou satisfeito com minha opção sexual é apenas de minha alçada decidir buscar ou não orientação. Não cabe a nenhum vizinho ou “seguidor socialista de iPhone” decidir o mesmo. Abraço

    • Eu não tive comodidade nenhuma e li a decisão liminar do juiz. E fui além: busquei saber a motivação da ação. E, ao contrário do que você afirma, a base de tudo não são estudos científicos (até porque estes existem — e estão bem avançados na genética), mas sim o próprio “tratamento” da reversão homossexual, cuja uma das autoras da ação foi impedida de fazê-la porque a resolução do CFP impede. Essa parte você não sabia, e deveria buscar saber antes de mandar os outros estudarem e dizer que estão falando asneiras…

  37. A re-orientação já é arbitrária. Mas se a lei é para me permitir atender um homossexual com conflitos internos ela é redundante porque eu já possuo esse direito e também dever. Não justificou e não justificará.

  38. As pessoas n estao entendendo! Ninguem esta falando em ir num Psicologo ( no caso sou uma) para mudar a decisao de ser homo, o que o texto propoe é que se a pessoa quiser ela pode procurar uma ajuda para enfrentar essa etapa e se aceitar, como enfrentar isso diante a familia e amigos. Nem todos tem uma personalidade que permite levar essa decisao na “boa”

    • Bruna, neste caso não seria orientar o paciente? Então porque a decisão fala em orientar e reorientar, ou seja, algo no sentido de dar nova designação a orientação sexual da pessoa.

      E mais uma coisa: eu não sou psicólogo (tem um colega seu nos comentários dando opinião contrária ao artigo), mas sempre fui bom em interpretações de textos (e por isto escolhi os estudos do direito e da economia), mas nem se valendo da hermenêutica mais capenga dá para concluir que a aludida resolução do CFP impede que você oriente o homossexual a se aceitar, ajudando-lhe a enfrentar isto diante à família. A ação judicial sequer foi proposta neste sentido. O que a principal autora da ação deseja é retomar a atividade de reversão da homossexualidade, coisa que rendeu punição do CFP contra ela. Uma simples pesquisa sobre os autores da ação lhe demonstrará que, no caso, você é quem não está entendendo!

  39. KKKKKKKK “É algo mais ou menos assim: se um homem que se diz heterossexual precisa de ajuda e orientação para tornar pública a sua homossexualidade, ele pode procurar um psicólogo e o profissional poderá ajudá-lo no enfrentamento dessa etapa. A decisão permite apenas o caminho inverso. Que mal há nisso?” CAMINHO INVERSO, fico imaginando a “problemática” e os “traumas” de um homem homossexual que precisa de ajuda e orientação para tornar pública a sua heterossexualidade. É quase uma piada, do tipo: eu era gay gente, agora eu continuo sendo, mas assumi pra sociedade que eu vou segurar o cool. A bem da verdade, um homem homossexual que ainda se sente necessidade de se assumir heterossexual, só precisa de orientação para compreender e assumir pra si mesmo a sua BISSEXUALIDADE.

  40. Permitir que se faça tratamentos de reorientação sexual é como permitir lavagem cerebral. Não há o que mudar na orientação sexual de cada um. Ser gay não é uma escolha. É preciso se aceitar para lidar com o preconceito, não fazer um tratamento sem base científica que não faz sentido nenhum. Infelizmente existe uma bancada conservadora na Psicologia, fazendo todos passarem vergonha. É preciso tornar egossintônico o que é egodistônico.

  41. Onde estão os direitos iguais cada um expõe o que pensam e acreditam desde que Não haja agressão ou desrespeito, o dtor advogado deu sua opinião embasada nos seus conhecimentos, os psicólogos nos deles, somos todos livres para pensar e expor o q acreditamos,e pq não para expor o que pensamos sem sermos crucificados, em nenhum momento ele desrespeitou ninguém pq chama-lo de homofobico? Por dar sua opinião? E ai onde estam os direitos dele de expressar o que pensa?

    • concordo plenamente, porém, quando se trata de uma opinião tudo bem, mas é uma lei, que atingirá e aumentará tudo de rim que envolve o assunto. se fosse só uma fala tudo bem mas não é!

  42. Tive até um pouco de resistência de ler o texto de Antônio de Moura, que não conheço, porque penso que ele perdeu a razão no momento em que inicia o texto chamando as pessoas que tem opiniões diferentes a dele de ignorantes, desonestas, analfabetas e etc….

    Ainda assim li cuidadosamente o texto e penso que o autor está absolutamente equivocado.

    Se a decisão do juíz trata disso que ele falou, ela é nula, desnecessária, pois isso já existe e sempre existiu.

    Nunca foi impedido a qualquer pessoa procurar um profissional para falar, questionar, receber orientação, tentar entender….isso é terapia pura. Não precisaria de nenhum juiz autorizar isso, pois isso nunca deixou de valer, nunca houve impedimento e nunca existiu dúvidas quanto a isso.

    Sinceramente… ..não entendi….

  43. Eu gostei muito do seu comentário, É difícil alguém comentar e não se colocar em uma situação de vítima, vc falou a vdd tem uma família que te apoia, sei que existem pessoas que não aceitam, mas tem vários que respeitam mas mesmo assim alguns gays querem ser vítimas sempre.

  44. A impressão que dá é que estão com medo que seja feito estudos e terapias e percam adptos . Se vcs tem tanta certeza do que querem por que a preocupacao?

  45. Pelo que li, a decisão abre espaço para pais buscarem tratamento para filhos que ELES forçam a quererem serem “Heteros”.

    E eu tenho uma visão bem mais simples – não entendo como algum homossexual gostaria de se “reorientar” como hetero a não ser que forçado. Da mesma forma como um hetero não sente atração por homens não irá num psicólogo caso queira ser “re-orientado” para gostar de homens. Isso não existe. Se você conhece um caso de um hetero que queria muito ir num psicólogo para ser “reorientado” para ser gay, por favor me avise!

    Meio sem pé-nem-cabeça, então. A única coisa que isso vai fazer é permitir que pessoas gays cuja igreja e/ou pais estejam FORÇANDO elas a “voltarem a ser heteros” possam pagar por tal “re-orientação” sexual – que obviamente irá fracassar miseravelmente, porque ninguém escolhe sentir atração sexual, ela está lá e pronto.

  46. Qualquer ideia de “reversão de identidade sexual profunda é não científica e perigosa. O sofrimento de alguém neste campo não nasce dele, mas do mundo preconceituoso ao redor. Devemos sempre discutir o racista, jamais o negro como problema no campo em questão. O homoerotismo, a bissexualidade e todas as formas de identidade sexual ( muitas e variadas) incomodam pessoas inseguras, reprimidas, com desejos contidos e que não podem permitir a felicidade alheia. (Leandro Karnal).
    Desonesto é querer empurrar de todo jeito que essa decisão é pura e inocente a fim de ajudar quem tem a necessidade de melhorar o reconhecimento de sua sexualidade.
    No meu entendimento tudo consisti no termo (re), acompanhamento psicológico todo mundo deveria que ter, porém reorientar e colocar numa direção supostamente certa, atribuir possibilidades de tratamento esta implícita a ideia de doença, disfunção, distúrbio … o qualquer coisa que torne patológico a exercício da sexualidade.
    No caso da sentido sim e não é indispensável para o entendimento,
    (Re)orientar:Orientar(-se) novamente; dar ou ganhar nova orientação,
    Orientar: Reconhecer o lugar em que se está (com relação à direção a seguir), Inteirar-se.
    Os termos acima são bem claros, no caso da sexualidade o psicólogo tem a função de reconhecer a pessoa em sua individualidade, e sim orientar para seu reconhecimento social, e não redireciona-lo para um novo entendimento sem seu reconhecimento.
    Mostra que não é uma questão ser alfabetizado ou não, como escreveu sem o minimo de educação esse texto, mas do real entendimento do conteúdo desta decisão.

  47. Eu sou psicólogo e posso confirmar que esse debate volta a cada cinco anos, sempre com os mesmos argumentos. A resposta dessa vez vai ser a mesma que sempre…

    “- Olha, pense comigo, e se há alguma pessoa que deseja isso, esse direito pode ser-lhe negado??? Não é sair, igual no X-Men, caçando os diferentes e os obrigando a passar pelo processo não, mas autorizar a alguém que tem essa característica por motivos mil e não a deseja ter… E aí???”

    Então, a psicologia é uma disciplina científica, que já se interessou muito a esse campo de pesquisa. Já faz décadas que a Organização Mundial de Saúde, o Conselho Federal de Medicina brasileiro, o Conselho Federal de Psicologia, entre outras instituições de referência, descartaram qualquer possibilidade de que a homossexualidade esteja relacionada a alguma doença ou distúrbio.

    A formação dos psicólogos fornece as ferramentas para lidar com a situação que você descreve e a solução para o paciente não é uma tentativa de mudar a orientação sexual dele. O sofrimento que essa pessoa pode sentir tem outra origem e o profissional de saúde mental deve ajudar a resolver isso.

    Aqui não se trata de determinar se é um direito individual da pessoa ou não. Se um canhoto resolver procurar um jeito de fazer tudo com a mão direita, o trabalho do terapeuta não é de reconhecer isso como um direito dele, mas sim de ajudar a se sentir bem num mundo que tem uma maioria de pessoas destras.

    A analogia não responde a todos os aspectos da situação mas também como qualquer disciplina científica, é difícil dar uma resposta curta sem explicar um milhão de premissas.”

    “- Então, o problema maior é a nomenclatura dada à suposta terapia de cura gay?”

    Não adianta procurar outros nomes para uma coisa que não existe. A psicologia é um campo científico que responde às mesmas necessidades que o resto da ciência: um método rigoroso, com resultados comprovados e replicáveis. Mesmo que não seja uma questão de patologia/doença e de cura, não existe procedimento para mudar a orientação sexual de um sujeito (nem para um hétero que queria ser bi ou gay, por exemplo). Mas o que foi sim comprovado, é que as “terapias” que existiam antes de ser proibidas eram perigosas (depressão e suicido) e sem resultados positivos.

    Um problema aqui, nesse jeito de enxergar as coisas, é considerar a psicologia como um serviço a um cliente, que deveria ser realizado seguindo o desejo do tal cliente. Isso pode funcionar no cabeleireiro (mesmo que eu imagina que as vezes eles devem falar pro cliente “desculpa querido, mas isso não vai dar certo”), mas a função do psicólogo é outra. Aliás, muitas vezes a terapia vai seguir outro caminho daquele que o paciente chegou a pedir inicialmente.”

  48. Todos nós lemos tudo isso! A revolta é: liberar isso é trazer mais dor e transtornos pra vida uma pessoa! Em um país onde o índice de suícidio entre jovens homossexuais é grande, liberar isso é correr o risco desse índice aumentar. Fora que, só imaginem o modo como “as famílias tradicionais brasileiras” irão tratar disso com um menor de idade, QUE NÃO TEM DIREITO SOBRE ELE AINDA! Vão tratar dele como um dependente químico. Sem contar que nascemos héteros, nascemos gays, somos o que somos e NINGU TEM QUE SE TRATAR POR ISSO! Isso só mostra o quão nossa sociedade ainda é machista ao ponto de oprimir a pessoa fazendo ela infeliz por ser quem é e assim “querer buscar ajuda” pra mudar isso. Não fale sobre coisas que desmerecem toda uma luta por mudança, ISSO SIM É BURRICE! Por fim: todos nós entendemos o texto, vocês que parecem não entender a nossa revolta! #OAmorÉACura 😕❤️

  49. Há milhões de anos os cristãos são discriminados, ninguém cria polêmica, nem fala em direitos iguais. Fala sério, ninguém será obrigado a ir a psicólogo algum, vai se quer. E mais, cada um faz do seu corpo o que quiser. Chega de tanto mimimi. Esse mundo está cada vez mais difícil, tudo é motivo de discussão. Vão lavar uma louça!

    • Ah sim, nenhuma discriminação contra cristãos é discutida… sei… só é tratada como crime por acaso, pois colocaram na lei por acaso…

      Não adianta querer que as pessoas se calem quando o assunto não lhe agrada ou quando se tem interesse em deixar a questão como está (no caso, interesse na “cura gay”). Este é o momento que os liberais e conservadores se separam…

  50. Cansativo …ler tantos especialistas em identidade de gênero e interpretação de texto!

    Quantos já frequentaram uma sala de análise? Quantos se e especializaram em interpretação de textos de Direito ?

    Parece-me verosímil crer que menos se 1%, ainda que todas as opiniões mereçam ser acolhidas .

  51. Re(orientação)? Como assim?
    Sou psicologa e não existe isso… Não precisa existir essa resolução pois qualquer pessoa que vem a terapia devido a um sofrimento será atendido e acolhido. Essa resolução só oportunidade aos preconceituosos de considerar que a reversão é possível. Totalmente desnecessário. Eu não reverto e nem curo nada, eu vou auxiliar a reduzir o sofrimento independente da orientação sexual. Acho que cada profissional deve cuidar do que lhe cabe… De sofrimento psíquico cuidam os psiquiatras e psicólogos, não deveria ter nenhum não psicologo ou nada interferindo em uma resolução do Conselho de Psicologia.

    • Este vídeo pode esclarecer a questão política que está por trás dos conselhos de psicologia e o desrespeito ao princípio de ‘Leonat Tyler’ que deveria ser considerado nas pesquisas publicadas.

      https://www.youtube.com/watch?v=NNriLLWcgbQ

      “O ex-presidente da Associação Americana de Psicologia (APA), Nicholas Cummings autor do documento mais importante que mudou o futuro dos gays fala no vídeo sobre o destino da organização após sua gestão e sobre a reorientação sexual. O médico frisa que “a pessoa é quem decide o que fazer com sua orientação”.

  52. Só sei que na biologia, qualquer ser foi feito para crescer, se reproduzir e morrer. Quando apresentam doença genética São estéreis para não perpetuar um erro genético. O ser humano é o único que mesmo não tendo um defeito genético “quer ter o direito de se auto exterminar” pois xx+xx ou xy+ xy não gera descendentes. Como em um defeito genético não deixará descendentes.. . Se isso não é uma doença o q é???cada um é livre pra escolher fazer o que quiser e mesmo que escolhe exterminar os seus genes da face da terra deve ser respeitado…porem também temos que respeitar a intelectualidade humana e parar com este senso ridículo de não chamar de doença o q claramente é…

    • Mateus, viajou na maionese. Mais de 1500 espécies animais apresentam comportamento homossexual. De inseto a leão, pasa do pela espécie humana. E não tem só xx e xy, tem xxx, xyy, xxxx, xxxxx… não argumente o que não entende. Leia, pesquise e se informe antes de argumentar.

  53. Não existe base cientifica para terapia de reorientação sexual. Qualquer intervenção neste sentido não é ciência, é charlatanismo!

  54. Não é doença, mas sem vergonhice pura, parafraseando meu pai! Orientação sexual? Por um acaso pênis com pênis ou vagina com vagina pode ser considerado ato sexual? Órgãos sexuais são somente estes dois ou também vão querer inventar outro? Vão criar vergonha na cara e deixar de palhaçada!

    • É por casos como você, wilson, que existem pessoas com angústia sobre sua sexualidade. Por causa de discurso de ódio como esse que pais obrigam filhos homossexuais a “reverter a sexualidade”, e o resultado é sempre o mesmo, piora no quadro de depressão, porque NÃO EXISTE REORIENTAÇÃO SEXUAL.

  55. Comentei mais acima algumas críticas quanto ao dizer que o artigo refere-se a cura ao homossexualismo como se fosse doença e o pessoal ficou digamos irritado, mas ninguém fala nada do uso de hormônios para acentuar mais as características homossexuais, isso não seria tratamento contra a doença hetero? E galera vamos acordar gênero existe dois somente, todo mundo gritar brigar chingar cortar penis tirar seios que seu dna ainda vai dizer o que vc e. Então seguinte deixe a porta aberta para a possibilidade de quem quiser mudar ou “desmudar”, ou mesmo respeitar quem quer ser e quem não quer ser homo ou hetero. E dispêndio de energia pra nada uma discussão que já deveria ser clara, todos tem liberdade para ser o que quiser contanto que não ultrapasse o direito do próximo.

  56. Nada mudou, porque quem quer ir ao psicólogo simplesmente vai e é claro que um profissional não vai negar atendimento.agora, ninguém vai adivinhar que um ser humano está precisando de ajuda , orientação ou qualquer outra coisa ,sendo ele um homossexual ou um heterossexual ” mal resolvido” !
    Parem de querer inventar coisas desnecessárias , invistam na saúde e educação em geral… ..na segurança então,nem se fala!

  57. A questão é que homo ou hetero erotismo não devem ser direcionados, muito menos “Redirecionados” por nenhum profissional da área Psi. É contra nossa Ética.
    E o sujeito que assinou essa matéria, por ser advogado, deveria saber que não tem competência para diagnosticar como Histeria esse levante da classe, uma porque errou o diagnóstico e outra pq deveria saber que isso se trata de um exercício ilegal da profissão.
    Assim o autor falhou ao tentar ser psicólogo e deixou ver furo no exercício da própria profissão.

  58. É desnecessária tal liminar, haja vista que não existe proibição alguma para que homossexuais possam ir ao psicologo pelos seus conflitos internos (que geralmente são causados por pressões externas), e o psicologo não é proibido de atender o paciente. O problema está nas “entrelinhas’ do que venha ser “REVERSÃO DA ORIENTAÇÃO SEXUAL” citada na tal limitar. O tal juiz refuta e justifica uma parte da antiga resolução (01/1999) de forma tendenciosa apontando a “perseguição e impedimento” de pesquisa científica por parte dos profissionais envolvidos no processo como um problema. Depois, o juiz aproveita dessa parte para inculcar nas massas ignorantes a falsa ideia de “liberdade para tratamento e cura”, misturando as duas informações. Traduzindo: ele usou o contraditório para abrir uma brecha legal e permitir tratamentos de “REORIENTAÇÃO SEXUAL” que é a mesma coisa que “tentativa de cura gay” só não está explicito na sua liminar, por isso é tendenciosa esta ação. Na prática, por exemplo, um garoto gay de 13 anos que apresente um comportamento fora dos “padrões” heteronormativos, filho de pais fanáticos religiosos, não iria ter essa “liberdade”, logo seria irresponsavelmente levado ao psicologo para receber o tratamento de “REVERSÃO”, sendo que uma pessoa homossexual geralmente adquire depressão e vontade de se matar pelas pressões externas, pela homofobia velada e explícita, não pela sua condição de ser quem é. Essa liminar nada mais é do que a liberação do charlatanismo!

  59. Que bosta de artigo nem parece Liberal. Não existe estudo, não existe reversão, ou você é ou não é gay. Não adianta lutar contra isso. E só pra lembrar, estamos num país onde dinheiro vale tudo e o perdão religioso 10%. #reflitam

  60. Me pergunto, alguma vez algum hétero quis reorientar sua sexualidade? Certamente não, né? Mas, por que homossexuais iriam querer isso? Por medo constante. Então não seria mais fácil ajudar esses jovens a se aceitarem como são pq não há NADA de errado com eles e com a sexualidade deles. Temos que investir contra a homofobia e pedir respeito! Os jovens que recorrem a esse tipo de coisa absurda como ‘reorientação sexual’ não é por interesse, é por medo da discriminação. Se héteros não precisam desse tipo de coisa, pq homossexuais querem? Eles não querem, eles querem ser aceitos como são sem medo, e não algum tipo de tratamento para tentar mudar algo que nem da pra ser mudado. Nem precisa ser mudado pq não tem nada de errado com eles, e é nisso que eles precisam acreditar e não que ha algum tipo de jeito para eles serem o que a sociedade quer.

    • Sua forma de pensar é totalitária, pois não admite que uma opinião/consciência diferente da sua possa possa existir!!! Onde está o absurdo na “reorientação sexual”?
      Se um indivíduo nasce com pênis ou vagina e, de repente, começa a sentir que seu órgão sexual não corresponde ao que gostaria que fosse, essa pessoa está tendo um problema de orientação sexual. Talvez ela devesse ir a um psicólogo para se “reorientar sexualmente”, para aceitar o fato de que aquele pênis ou vagina não passam de um capricho da natureza: “você é aquilo que pensa que é.”
      Então por qual motivo você NÃO ADMITE o caminho inverso? Uma pessoa poderia ir a um psicólogo por achar que aquele seu pênis ou vagina não estão ali por acaso, pois ela não se senta bem expressando uma sexualidade diferente de sua anatomia e fisiologia. Por que ela não pode pensar diferente de você e querer se tratar?

  61. Comecei a ler os comentários e fiquei impressionado com o grau de inteligência, civilidade e honestidade intelectual, nem parece o Brasil. Só depois vi que era o ilisp, site de direita. Viva a civilização!

  62. Sou psicóloga e sinto muito por toda esta confusão. Cada vez piora mais esta polêmica. Não existe reorientação sexual, que absurdo, não é uma carreira vocacional, uma simples opção, é o resultado de todo desenvolvimento da criatura, de vivências, afetos, experiências, trocas, identificação com as figuras parentais, tendências que resultaram na sua sexualidade em como ela vive e exerce a sua sexualidade. Como pegar tudo isto e transformar num processo? O universo terapêutico é cheio de possibilidades, de descobertas para as pessoas é lógico que pode resultar em mudanças e novas experiências como também pode não resultar em nada. Trabalhamos para que as pessoas se fortaleçam para as suas escolhas, mas falar em reorientação sexual, é um absurdo.

  63. Este vídeo pode esclarecer a questão política que está por trás dos conselhos de psicologia e o desrespeito ao princípio de ‘Leonat Tyler’ que deveria ser considerado nas pesquisas publicadas.

    https://www.youtube.com/watch?v=NNriLLWcgbQ

    “O ex-presidente da Associação Americana de Psicologia (APA), Nicholas Cummings autor do documento mais importante que mudou o futuro dos gays fala no vídeo sobre o destino da organização após sua gestão e sobre a reorientação sexual. O médico frisa que “a pessoa é quem decide o que fazer com sua orientação”.

  64. É óbvio que o juiz não ia colocar cura gay e sim reorientação sexual que é a mesma coisa.

    Agora me diga pra que querer reorientar a sexualidade de alguem sendo que já foi provada que ninguém que se subteu a terapia de reorientação sexual teve a sexualidade mudada? A terapia só serviu para terem depressão profunda e cometerem suicídios.

    Parece que vocês querem que gays se matem com esse tratamento para da um “limpa” na sociedade.

  65. A terapia em questão não é para mudar ninguém, mas sim a busca de aceitação própria, a busca do equilíbrio emocional.
    Uma vez que a passos já está em conflito com o seu EU.

    • Não é não: a ação busca retomar a possibilidade da “reorientação”, que, no caso, era a “reversão” da homossexualidade para a heterossexualidade. Basta pesquisar sobre a principal autora da ação e observará que tudo se iniciou nisto..

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here