Por que você nunca terá retorno dos impostos que é obrigado a pagar ao estado

Como bem disse Milton Friedman, há quatro formas de gastar dinheiro:

1 – Quando gastamos nosso dinheiro com nós mesmos sempre procuramos gastar da melhor forma possível, ou seja, o fruto do nosso trabalho, dos nossos esforços, sempre terá a melhor relação custo-benefício na hora de comprar qualquer produto ou serviço. Ninguém é bobo de desperdiçar o próprio dinheiro.

2 – Quando gastamos o nosso dinheiro com outra pessoa, como quando se compra um presente para alguém, sempre calculamos o valor do presente em função da importância, do merecimento da pessoa e, principalmente, se há dinheiro no bolso para gastar com isso. Queremos agradar, mas dificilmente vamos nos comprometer com parcelas.

3 – Quando gastamos o dinheiro de outra pessoa conosco, como quando alguém nos oferece um almoço em qualquer restaurante que se possa escolher, com certeza escolheremos um restaurante melhor e mais caro do que um restaurante mais simples onde se almoça todos os dias, afinal, quem vai pagar a conta é quem ofereceu.

4 – Quando gastamos o dinheiro dos outros com outras pessoas, como quando alguém nos dá dinheiro para comprar um presente para uma terceira pessoa ou nos manda contratar um serviço utilizando material que não foi comprado por nós, como não há dinheiro nosso no meio, qualquer consideração contida em 1 e 2 desaparecem. Por que se preocupar em gastar um dinheiro que não é nosso, sendo que não há a menor responsabilidade com eficiência?

Se você entende que toda a estrutura de captação financeira (extorsão) estatal e de planejamento de gastos (perdulários) do estado são feitos seguindo a forma 4, você compreende que as “pedaladas” fiscais vão continuar. A tendência é que o déficit primário da máquina estatal também aumente e cada vez mais estados, e até cidades, irão declarar estado de calamidade por má administração. Não é possível sequer pagar funcionários essenciais como policiais, mas os gestores do governo, imbuídos de responsabilidades superficiais, investem em inutilidades como Olimpíadas (quem promove uma festa em um buffet quando precisa de dinheiro para pagar centenas de empréstimos?).

Caso você ainda tenha dúvidas de que é impossível qualquer governo administrar a soma financeira que você é obrigado a entregar sob ameaça, dependa de qualquer serviço estatal. Vá a unidade do SUS mais próxima da sua casa e em seguida visite uma clínica ou hospital particular. E então irá entender porque Lula, Dilma e todos os políticos cuidam da saúde no Hospital Sírio Libanês e não no hospital estatal mais próximo.

Vaquinha O ILISP tem atuado contra a legalização do aborto e em defesa do direito à vida no STF. Para custear a causa, lançamos uma vaquinha. Os interessados em nos ajudar podem fazê-lo por meio do botão abaixo:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here