Após aprovação da PEC 241 (ou 55), juros cai para 11,25% e tem maior corte em 8 anos

Em dezembro de 2016, a Câmara dos Deputados e o Senado aprovaram a proposta de emenda constitucional que cria um teto para os gastos públicos, a PEC 241 ou PEC 55,  que congela as despesas do Governo Federal, com cifras corrigidas pela inflação, por até 20 anos. A medida havia sido apelidada pela esquerda de “PEC do fim do mundo”, pois, segundo os especialistas, a PEC diminuiria gastos em saúde e educação.

Após 4 meses, desde a aprovação da PEC, a economia brasileira já começa a reagir.  No acumulado do ano, a inflação ficou em 0,96%, o menor para o 1º trimestre desde o início do Plano Real e bem menor que os 2,62% registrados no mesmo período de 2016. Com a queda drástica da inflação, o COPOM anunciou hoje, dia 12, o maior corte na taxa de juros em 8 anos, de 12.25% para 11,25%.

Em janeiro desse ano, a queda da inflação permitiu um corte de 0,75% na taxa de juros, o que gerou no mês seguinte, em fevereiro, um elevação no número de vagas de trabalho, um saldo positivo de 35.612 contratações. Agora resta esperar para ver o resultado na geração de empregos com esse novo corte. As consequências, até agora, estão bem longe do “fim do mundo”, como previram os “especialistas” de esquerda.

SHARE
Camilo Caetano
Cursou Ciência da Computação pela Unesp.

1 COMMENT

  1. Na verdade está se mostrando sim como o “fim do mundo”. O fim do mundo de mentiras e extorsões que a esquerda praticava para manter-se no poder. O fim do mundo podre de quem acha que estado gigante é estado bom.

LEAVE A REPLY