Após perseguição do estado argentino, Uber começa a adotar Bitcoin

Como aconteceu na maior parte do mundo, o Uber tem enfrentado dificuldades para operar na Argentina e seus motoristas têm sofrido constante violência. Em Buenos Aires, além de ser considerado ilegal pelas “autoridades locais”, outras medidas foram tomadas para prejudicar os prestadores de serviços ligados ao Uber, incluindo invasões da polícia às casas de prestadores de serviços do Uber, ações contra prestadores de serviços de pagamento para evitar que processem as transações do Uber e decisões da justiça para fazer as operadoras de telefonia impedirem o acesso dos usuários ao serviço.

A fim de manter sua atuação e a liberdade dos usuários decidirem por seu próprio transporte, neste fim de semana o Uber e a Xapo anunciaram uma parceria para que as transações entre passageiros e a Uber aconteçam por meio do cartão débito em Bitcoin da Xapo, evitando que o Uber seja impedido de atuar caso os prestadores de serviços de pagamento sigam perseguidos pelo estado. Mais de 500 mil pessoas e 37 mil motoristas já utilizam os serviços da Uber na Argentina em menos de três meses de atuação da empresa no país.

Vaquinha O ILISP tem atuado contra a legalização do aborto e em defesa do direito à vida no STF. Para custear a causa, lançamos uma vaquinha. Os interessados em nos ajudar podem fazê-lo por meio do botão abaixo:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here