Atleta neozelandês sofre sequestro relâmpago feito pela polícia no Rio de Janeiro

O atleta neozelandês Jason Lee foi forçado por dois policiais armados e fardados a entrar em um carro particular e sacar propina em caixas eletrônicos no Rio de Janeiro, às vésperas das Olimpíadas. O caso aconteceu neste sábado (24). Os policiais, que estavam em motos, prenderam Jason após pará-lo em uma blitz, informando que ele não podia dirigir seu carro alugado no Brasil sem passaporte – uma informação falsa – e exigindo R$ 2000 em propina para não levá-lo à Polícia Federal.

Como Jason não possuía o dinheiro, os policiais o forçaram a entrar em um carro particular com vidros escuros – para que não fossem vistos – levando-o a realizar saques em diversos caixas eletrônicos até completar o valor exigido. Um dos policiais acompanhou Jason durante toda a ação enquanto o outro permaneceu no carro para não ser flagrado por câmeras de segurança. Após Jason entregar o dinheiro, os policiais liberaram o atleta. Com medo de que os policiais tivessem plantado drogas no carro, Jason devolveu o carro para a locadora e pegou um Uber para casa, posteriormente denunciando o caso para a Polícia Turística.

Jason Lee é campeão neozelandês de jiu-jitsu e não está na delegação olímpica (o esporte não participa das Olimpíadas), mas está na cidade para treinar e acompanhar sua namorada, a repórter Laura McQuillan do jornal neozelandês Stuff. Jason também falou brevemente sobre o caso em seu Facebook.

Jason Lee
Jason Lee fala sobre o caso no Facebook
Vaquinha O ILISP tem atuado contra a legalização do aborto e em defesa do direito à vida no STF. Para custear a causa, lançamos uma vaquinha. Os interessados em nos ajudar podem fazê-lo por meio do botão abaixo:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here