Com apoio estatal, congresso de obstetras no Rio ensina a matar fetos

Acontece esta semana no Rio de Janeiro, entre os dias 14 e 19 de outubro, o XXII Congresso Mundial de Ginecologia e Obstetrícia (FIGO 2018). Com direito à presença do ministro da Saúde, Gilberto Occhi, na abertura, o evento é um dos maiores do mundo na área e recebe 11 mil médicos obstetras, ginecologistas e outros profissionais da saúde. A programação, entretanto, assustou os interessados: há uma grande quantidade de eventos e palestras sobre como matar fetos (“aborto”), um crime segundo a lei brasileira.

Apesar de ser um tema de importância periférica quando comparado a outras doenças e situações que matam mais mulheres, a FIGO – e sua apoiadora brasileira, a Febrasgo (Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia), entidade declaradamente pró-aborto – rechearam o evento com painéis ensinando a matar. Aqueles que se dispuseram a pagar até R$ 3.000,00 para entrar no fórum puderam participar do curso “A Tecnologia do Aborto”, realizado logo no primeiro dia (14), onde receberam treinamento para matar fetos no primeiro e no segundo trimestre de gestação por meio de diversas técnicas abortivas.

Outros temas do fórum, teoricamente destinado aos médicos que desejam trazer vidas ao mundo ao invés de matá-las, incluem como a objeção de consciência (o médico se negar a matar o feto porque isso fere seus preceitos morais ou éticos) pode atrapalhar o desejo da mulher de abortar; técnicas para “expandir” o período de gestação a fim de matar o feto legalmente; análises sobre a melhor substância para matar o feto; guias para fazer “abortos seguros”; manuais sobre “o longo caminho para a legalização do aborto”; e outros painéis sobre “direitos reprodutivos” que, na prática, fazem apologia ao aborto. Até mesmo Débora Diniz, uma das responsáveis pela ação no STF (ADPF 442) que visa legalizar o aborto no Brasil – ação combatida pelo ILISP – falará na programação da FIGO. De acordo com médicos que analisaram a programação, o fórum conta com 50 painéis pró-aborto.

O evento possui apoio do Governo Federal e da CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), fundação vinculada ao Ministério da Educação, além do patrocínio de diversas empresas nacionais e multinacionais: Bayek e GSK (ao custo de 130 mil dólares cada); Grunenthal e MSD (95 mil dólares cada); EMS, FQM e Nestlé (55 mil dólares cada); ONGs de militância pró-aborto como DKT e IPAS (criada pela Planned Parenthood, a maior empresa de execução de abortos do mundo), ao custo de 30 mil dólares cada; além de outras empresas farmacêuticas como Novo Nordisk, Roche e Ache.

Cabe registrar que, apesar de ser um fórum internacional que atraiu milhares de médicos, o evento não foi mencionado por qualquer jornal ou revista da velha mídia.

Em defesa do direito à vida

O ILISP tem atuado contra o aborto e a favor do direito à vida no Brasil, inclusive no STF. Para custear esta causa, lançamos uma vaquinha. Os interessados em nos ajudar nesta missão podem fazê-lo por meio do botão abaixo:



Imagem de um dos painéis da FIGO 2018: para matar um feto primeiro é necessário que o médico tenha “mente aberta”

80 COMMENTS

  1. Engraçado que o pessoal contra o aborto desaparece quando o bebê nasce né,
    depois que nasce ninguem se importa por qual caminho a criança vai caminhar,
    ninguem se importa caso o pai abandone a criança,
    ninguem se importa se a mãe tem condições de criar e se não tiver, raros serão aqueles que irão doar algo para a mãe cuidar a criança.
    Sou a favor da legalização do aborto. Se você é contra é so não fazer, você só pode ser contra outra pessoa abortar se VOCÊ for bancar a educação, comida e abrigo da criança, do contrário, cuide da sua vida.

    • Não meu caro, se não quiser se responsabilizar pelos seus atos, agindo como um adulto é só dar para adoção agora matar um ser humano só pq vc quer ser um eterno adolescente isso não!

    • Assista ao documentário “Bloody Money” ou ainda a palestra da Isabela Mantovani na câmara. A questão não é jogar no colo de quem é a favor da vida e sim em pensarmos em políticas de prevenção, de informação, e não de matança como solução. Assim como há pessoas desesperadas que vem no aborto uma solução, há também aqueles que desejam a adoção.

  2. E o feto que você arrancou do teu ventre, qual o destino foi dado a ele? Algum órgão serveria para implante, por qual o valor ele teria sido comercializado? Raphaela que preço teria na indústria de pesquisas de células tronco? Ou quem sabe tenha sido tenha sido vendido para uma fabricante de cosméticos. Eu sou contra o aborto e acho que essa história que deve ser legalizado para salvar a vida das mães é um engodo, elas morrem e vão continuar morrendo se depender do SUS. Agora a indústria do aborto me apavora, o direito a vida é negado e eles são leiloados, são rejeitados e comercializados. Cremem, sepultem as vítimas da rejeição e a discussão sobre legalização do aborto desaparece.

    • NÃO CONCORDO COM ABORTO É CRIME E MATAR UM INOCENTE QUE NAO PEDIU PARA NASCER , SE PREVINA PARA NAO ENGRAVIDAR , FICA MUITO COMODO VAO ENGRAVIDAR PQ TEM PROTEÇAO PARA RETIRAR E QUEM PRATICAR OU QUEM REALIZA O ABORTO VAI PRESTAR CONTAS A DEUS

  3. Sou médico e digo que não tem nada a ver essas desculpas de que o interesse das aulas é salvar a vida mãe ou retirar fetos que já estavam mortos. Pela programação exposta, vê-se que o congresso está altamente politizado e planeja divulgar e ensinar muito mais do que a atual legislação permite.

    • Vc é um médico tendencioso e despreparado. Não se trata de politização. A legislação brasileira é restritiva, mas o aborto é um procedimento médico legalizado em inúmeros países, e esse congresso é mundial. A ciência avança em todas as frentes, os procedimentos vão se tornando mais seguros, e todo profissional precisa se atualizar, se reciclar, independentemente de ideologias.

      • – Sua resposta acabou de dar razão ao Dr. Mateus.

        – “… A legislação brasileira é restritiva, mas o aborto é um procedimento médico legalizado em inúmeros países, …”

        – Para os casos de estupro e risco de vida para a mãe o Código Penal Brasileiro não pune o procedimento, conforme artigo 128, incisos I e II.

        – Como você mesmo especificou, o assunto é a legislação restritiva e não os procedimentos técnicos.

    • – Quem discorda da maternidade é simples: feche as pernas ou use camisinha ou anticoncepcional. Deixe o direito à vida em paz.

      – Faço minhas as palavras do Dr. Mateus: “… não tem nada a ver essas desculpas de que o interesse das aulas é salvar a vida mãe ou retirar fetos que já estavam mortos. Pela programação exposta, vê-se que o congresso está altamente politizado e planeja divulgar e ensinar muito mais do que a atual legislação permite.”

    • Se a mulher está grávida de um ser humano. esse ser vivo tem direito a vida. Ele se desenvolve no corpo da mãe mas não é a própria mãe: pode ter sexo masculino e pode ter sangue RH difefente da mãe, portanto não é o mesmo corpo.

  4. Ridículo o título e a maneira como colocaram a questão do aborto. É um congresso mundial e o aborto faz parte dos temas da obstetrícia e ginecologia tanto quanto qualquer outro. Na verdade, pelas consequências de sua má realização deveria ser considerado mais importante. O aborto tem claras indicações para salvar a mãe, e por vezes o bebê morre na barriga e temos que retira-lo. As palestras incluem o que há de mais moderno em todo o tema e são importantíssimas. Babaca do autor do texto dizer sobre “matar bebes”… ignorância….

  5. E precisa de um.congresso desse porte pra isso??? Que eu saiba a gente aprendeu na faculdade, mas ali na Uruguaiana vc tb consegue instruções. A diferença é q no congresso podemos nos atualizar para agir da forma menos danosa, até pq aborto n se refere apenas a embriões vivos né…. acordem

  6. Não vamos esquecer que o congresso é MUNDIAL, e, em muitos países o aborto é legal, logo, é um tema discutido normalmente como qualquer outro na área. Em Congressos nacionais, não temos fóruns ou mesas com esse tema.

  7. Tem necessidade dessas vacas treparem sem camisinha e sem estar tomando pilula? Me preveni dez anos e nunca engravidei porque elas nao podem? Vadias mesmo. Digam não ao sexo sem prevenção q não engravidam ai nao precisam de aborto

    • Eu sou médica, GO, me prevenia e engravidei. A diferença é q eu pude pagar por um aborto seguro, enquanto as pobres morrem.

      • Como médica, vc sabe que cometeu um crime, não é!? Acho que sua mãe que deveria ter te abortado, criminosa, bandida ! Imagino você cuidando das mulheres grávidas… Devem haver várias que saem sem seus filhos nos braços ! Jamais passaria com vc! Mas, não se preocupe ! A vida se encarrega de cobrar a conta !

      • Voce enquanto médica sabe que nenhum método contraceptivo é 100% seguro e assumiu o risco de gerar uma vida a qual não queria cuidar em troca de prazer e acabou exterminando um indivíduo único e inocente.

      • Não sou médica nem nada porém quando via a possibilidade de falha do contraceptivo, tipo camisinha estourar eu imediatamente tomava a pílula do dia seguinte e nunca engravidei…agora me diz como você médica tendo as melhores informações conseguiu engravidar? Ah e outra por causa do injetável eu ainda demorei 2 anos para conseguir engravidar do meu 1 filho.

  8. Totalmente irônico. Defender o aborto pata acabar com vidas inocentes e serem contra pena de morte de quem muitas vezes tira a vida sem motivo nenhum.
    Isso é Brasil. Isso é o ser humano.
    Ao invés de defender nossas crianças, tiram a vida de quem não tem a mínima condição de se defender.
    Dói demais viver em um mundo desses.

  9. Pro pessoal desinformado existem diversas patologias onde o aborto é necessário para salvar a vida da gestante (eclampsia, pré eclampsia complicada, vasa prévia com hemorragia etc), e as indicações são precisas. Como fazer isso da maneira menos dolorida a mãe e ao bebê ainda é um tabu. Temos poucos avanços nessa area. Achei totalmente válido o tema. Por outro lado, é preciso estar atualizado pois a medicina muda o tempo todo, caso o aborto seja um dia liberado como tem sido tendência no mundo todo é bom que saibamos como agir.

    • Lucas você tem um Tapa burro em sua cara, um dia você vai tirá-lo.
      Tomara que ão seja tarde.

  10. “É um erro lógico dizer que é a favor do aborto porque você defende a liberdade. O direito à vida antecede o direito à liberdade, afinal, é preciso ter uma vida para exercer o direito de ser livre.
    Se você é um defensor da liberdade, não concorde com uma proposta que defende a morte deliberada de um bebê indefeso. O direito de viver é o mais elementar direito do ser humano, e é com base nele que todos os demais direitos são construídos. Sem vida não há liberdade. Diga NÃO ao aborto.”

  11. Só acho que em vez te pensar em aborto deveria ter menos burocracia na hora que a mulher decide fazer a laqueadura ou outros métodos para ela não engravidar mais. Deus da a vida só ele pode tirar

  12. Ja fiz laqueadura, pedi pra tirar tudo que pudesse fazer com que um dia eu pudesse engravidar de novo. Se Deus quiser nunca mais. Tenho dois filhos maravilhosos, 21 e 23 anos. Mais sinceramente, se por aventura eu engravidar de novo, eu sou a favor do aborto sim. No meu corpo quem manda sou eu, minha mente quem lida com ela sou eu, no meu físico eu que controlo. Portanto esse tal de mimim pura hipocrisia. Cadê a tal de liberdade de expressão?

    • Delaine você manda no seu corpo mas não no corpo que está dentro de ti.
      Um dia ajoelharás pedindo a Deus a benção de ser mãe mas lhe será negada pois assim o desejaste.

    • – No seu corpo manda você, mas seus “dois filhos maravilhosos, 21 e 23 anos” e que um dia já estiveram dentro do seu útero, não fazem parte do seu corpo, assim como eventual ou acidental novo filho.

      – Liberdade de expressão não implica em liberdade para homicídio injustificado.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here