Com queda vertiginosa nas vendas, Folha de São Paulo demite jornalistas

No terceiro corte do ano, a Folha de S.Paulo demitiu ao menos oito profissionais de sua redação em São Paulo: Alessandra Balles, redatora especial da primeira página; Cláudio Augusto, pauteiro de Cotidiano; Guilherme Brendler e Ricardo Gallo, repórteres de Cotidiano; Sandro Macedo, editor do F5; e os fotógrafos Diego Padgurschi, Eduardo Knapp e Moacyr Lopes Jr., que continuarão a colaborar com o jornal de forma eventual como PJs.

O jornal também demitiu funcionários da área administrativa e uniu a Agência Folha à editoria Cotidiano para cortar custos.

As vendas do jornal Folha de São Paulo caíram vertiginosamente nos últimos anos. De acordo com números do Instituto Verificador de Comunicação (IVC) – financiado pelas próprias empresas de mídia para auferir o alcance de cada veículo e informá-lo ao mercado publicitário – a circulação diária média do jornal caiu de 239 mil jornais em dezembro de 2013 para 166 mil em abril de 2016, uma queda de 30% em menos de três anos. A queda na circulação diária média da versão impressa não foi acompanhada por um grande aumento na versão digital do jornal, com a circulação digital subindo apenas 2%, de 134 mil em dezembro de 2014 para 137 mil em abril de 2016.

 

Vaquinha O ILISP tem atuado contra a legalização do aborto e em defesa do direito à vida no STF. Para custear a causa, lançamos uma vaquinha. Os interessados em nos ajudar podem fazê-lo por meio do botão abaixo:

12 COMENTÁRIOS

  1. Talvez uma só demissão resolveria: Janio de Freitas. Com diretor de redação dessa qualidade tem mais é que fechar mesmo.

  2. A guinada para uma posição política muito conservadora e panfletária que os grandes veículos de comunicação deram afetou sua credibilidade e, logicamente, as tiragens também.

  3. Aqui em casa nem leio mais. Não há notícia, somente panfletagem político partidária.
    Aliás, ler a Folha no começo do dia, acaba com ele.

  4. Sou assinante da Folha há 4 décadas, mas confesso que já tive vontade de cortar o jornal, pelas suas esquesistices. No entanto louvo o caráter pluralista da Folha. Vamos ver até onde vai isto tudo.

  5. Querem passar mensagens para os esquerdistas, mas a imensa maioria deles não lêem, e quem realmente lê e se preocupa com a situação do país (direita), não quer ficar lendo bobagens esquerdosas, resultado: Vendas baixas! Eu assinaria se realmente fosse séria, mas…

  6. Quem é partidário da esquerda não lê jornal, limpa a bunda com ele. Pessoas inteligentes que podem comprar jornal, deixaram esse pasquim há tempos.

  7. MARAVILHA!.

    todos os jornais, e midia em geral, deveriam cair também.

    tem que acontecer o mesmo com emissoras de tv.

  8. KKKK Jornal de cunho esquerdista marxista, mas com atitudes capitalistas não vende não lucra demite porra!!!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here