Conheça os 93 deputados que votaram contra Cunha, Dilma e Temer

A coerência não é valorizada na política. Especialmente na brasileira. Marcada pelo fisiologismo onde adversários ferrenhos se tornam melhores amigos visando a próxima eleição, manter o mínimo de lógica em poucos meses se torna uma virtude.

Este é o caso das votações contra Dilma Rousseff (impeachment), Eduardo Cunha (cassação do mandato) e Michel Temer (abertura da investigação, duas vezes) na Câmara dos Deputados. Um deputado minimamente coerente deveria votar a favor do impeachment de Dilma por crime de responsabilidade, a favor da cassação de Eduardo Cunha e a favor da abertura de investigação contra Temer no STF, sem se abster ou faltar a quaisquer destas votações.

De acordo com levantamento feito pelo ILISP, somente 93 deputados federais (18,1% dos 513 que compõem a Câmara dos Deputados) foram coerentes e votaram contra Cunha, Dilma e Temer (nas duas vezes). Destes, apenas 18 (3,5% dos deputados) foram minimamente liberais em quatro votações importantes nos últimos meses: a favor da PEC do teto de gastos estatais, a favor da liberação das terceirizações, a favor da reforma trabalhista e contra o projeto que pretende extinguir o Uber e outros aplicativos de transportes privados no Brasil.

Confira a lista completa dos deputados coerentes, em ordem alfabética. Aqueles que foram minimamente liberais nas quatro votações mencionadas estão marcados em negrito.

Afonso Hamm (PP-RS)
Alan Rick (DEM-AC)
Alex Manente (PPS-SP)
André de Paula (PSD-PE)
Antônio Jácome (PTN-RN)
Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP)
Arnaldo Jordy (PPS-PA)
Augusto Carvalho (SD-DF)
Betinho Gomes (PSDB-PE)
Cabo Daciolo (AVANTE-RJ)
Cabo Sabino (PR-CE)
Capitão Augusto (PR-SP)
Carlos Manato (SD-ES)
Carlos Sampaio (PSDB-SP)
Carmen Zanotto (PPS-SC)
Christiane de Souza Yared (PR-PR)
Conceição Sampaio (PP-AM)
Daniel Coelho (PSDB-PE)
Danilo Cabral (PSB-PE)
Danrlei de Deus Hinterholz (PSD-RS)
Deley (PTB-RJ)
Diego Garcia (PHS-PR)
Dr. Jorge Silva (PHS-ES)
Eduardo Bolsonaro (PSC-SP)
Eduardo Cury (PSDB-SP)
Eliziane Gama (PPS-MA)
Eros Biondini (PROS-MG)
Esperidião Amin (PP-SC)
Evair Vieira de Melo (PV-ES)
Expedito Netto (PSD-RO)
Fábio Sousa (PSDB-GO)
Flávia Morais (PDT-GO)
Flavinho (PSB-SP)
Geovania de Sá (PSDB-SC)
Gonzaga Patriota (PSB-PE)
Heitor Schuch (PSB-RS)
Hugo Leal (PSB-RJ)
Jair Bolsonaro (PSC-RJ)
Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE)
Jefferson Campos (PSD-SP)
Jerônimo Goergen (PP-RS)
JHC (PSB-AL)
João Derly (REDE-RS)
João Gualberto (PSDB-BA)
João Paulo Papa (PSDB-SP)
Joaquim Passarinho (PSD-PA)
Jony Marcos (PRB-SE)
Jorge Boeira (PP-SC)
Jorginho Mello (PR-SC)
Jose Stédile (PSB-RS)
Júlio Delgado (PSB-MG)
Jutahy Junior (PSDB-BA)
Keiko Ota (PSB-SP)
Laudivio Carvalho (SD-MG)
Leandre (PV-PR)
Leopoldo Meyer (PSB-PR)
Lincoln Portela (PRB-MG)
Luis Carlos Heinze (PP-RS)
Luiz Lauro Filho (PSB-SP)
Major Olimpio (SD-SP)
Mandetta (DEM-MS)
Marcelo Álvaro Antônio (PR-MG)
Marcos Abrão (PPS-GO)
Marcos Rogério (DEM-RO)
Mariana Carvalho (PSDB-RO)
Miguel Haddad (PSDB-SP)
Miro Teixeira (REDE-RJ)
Onyx Lorenzoni (DEM-RS)
Otavio Leite (PSDB-RJ)
Pastor Eurico (PHS-PE)
Paulo Foletto (PSB-ES)
Pedro Cunha Lima (PSDB-PB)
Rafael Motta (PSB-RN)
Renata Abreu (PODEMOS-SP)
Ricardo Tripoli (PSDB -SP)
Rocha (PSDB-AC)
Rodrigo Martins (PSB-PI)
Rubens Bueno (PPS-PR)
Sandro Alex (PSD-PR)
Sérgio Reis (PRB-SP)
Sergio Vidigal (PDT-ES)
Sergio Zveiter (PMDB-RJ)
Silvio Torres (PSDB-SP)
Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ)
Stefano Aguiar (PSD-MG)
Subtenente Gonzaga (PDT-MG)
Tadeu Alencar (PSB-PE)
Tiririca (PR-SP)
Uldurico Junior (PV-BA)
Vanderlei Macris (PSDB-SP)
Vitor Lippi (PSDB-SP)
Vitor Valim (PMDB-CE)
Weliton Prado (PROS-MG)

Vaquinha O ILISP tem atuado contra a legalização do aborto e em defesa do direito à vida no STF. Para custear a causa, lançamos uma vaquinha. Os interessados em nos ajudar podem fazê-lo por meio do botão abaixo:

7 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns pela lista, pleo menos no Estado do Rio Grande do Sul, me fez enxergar mais claro quem votou como se eu estivesse lá na Câmara.
    Podemos dizer são poucos que representam o povo o resto só pensa no umbigo deles e que o povo se rale.

  2. A lista é falsa. Está errada. Muitos aí votaram pela queda de Dilma, mas a favor de Temer.
    Informação mentirosa e manipuladora.

    • Não há nada falso na lista. Nenhum deles votou a favor de Temer, seja na primeira ou na segunda votação.

  3. – O Instituto Liberal poderia nos brindar com um novo post onde mostra como votou cada um dos deputados listados na [1] PEC do teto de gastos estatais, e nos projetos de lei ordinária [2] a favor da liberação das terceirizações, [3] a favor da reforma trabalhista e [4] contra o projeto que pretende extinguir o Uber e outros aplicativos de transportes privados no Brasil.

    – Não ficou muito claro se o negrito recaiu nos deputados que votaram em 4 das 4 propostas liberais acima ou se o critério de minimamente liberais corresponde ao voto em ao menos uma das 4 ou em 3 dos 4 projetos. Eventuais abstenções computaram como voto contra ou não influíram no critério? Confesso que, ao menos para mim o conceito não ficou muito claro.

    • O negrito é para os deputados que votaram corretamente, do ponto de vista liberal, nos quatro projetos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here