Crise na mídia: mais uma rádio fecha, Estadão demite e Editora Abril perde receita

A derrocada da mídia dita “tradicional” continua a passos largos no Brasil. Nos últimos dias, três notícias que movimentaram o mercado mostraram a continuação da tendência de queda da mídia nacional.

A Rádio Bradesco Esportes (94,1 FM em São Paulo; 91,1 FM no Rio de Janeiro) fechará as portas na segunda semana de março. O contrato entre Band (geradora do conteúdo), Bradesco e Grupo Bell (que detém o prefixo em SP) não será renovado. A ampla maioria dos funcionários será demitida, com raras exceções como José Luiz Datena, que volta para a Rádio Bandeirantes.

O Estadão é outro que tem feito “movimentações” no quadro de profissionais. Três jornalistas trocaram de funções e o jornal tem feito (silenciosamente) pelo menos duas demissões de profissionais por mês.

Por fim, a Editora Abril (responsável por revistas como Veja, Exame e Superinteressante) anunciou que perdeu 15% de receita publicitária no ano de 2016, bem como apresentou queda no número de revistas vendidas nas bancas. Atualmente, 35% do faturamento da empresa vêm de circulação (assinatura e venda de revistas nas bancas), 30% de publicidade e os demais 35% estão divididos em outras áreas de negócio, como a empresa de logística Total Express e o estúdio ABC.

VIAPortal Comunique-se
SHARE
Marcelo Faria
Presidente do ILISP e empreendedor.

8 COMMENTS

  1. Bem feito! Quem manda inventar mentira, pegar no pé de quem faz o certo, como o Doria e Trump, e glorificar o errado, como milícias de BlackBlocs/Feminazis/Pichadores e etc? Essas mídias tem mais é que fechar as portas mesmo.

  2. Está na hora do governo intervir e criar leis para obrigar os cidadãos a comprar revistas semanais a fim de preservar a indústria nacional. Ou então comprar ele mesmo diretamente e distribuir de graça para a população. Temos que salvar os empregos dos jornalistas!

    #not

    • – Adolph Hitler fez isso com o seu livro Mein Kampf. O III Reich Alemão comprou milhares de exemplares e os distribuiu gratuitamente em todas as bibliotecas públicas e escolas. Hitler recebeu uma fortuna em direitos autorais.

      – Lula não conseguiu fazer o mesmo porque é semi analfabeto. É incapaz de escrever uma redação com 15 linhas.

  3. A Superinteressante já foi uma das minhas preferidas. Técnica, científica. Algum bicho ideológico tomou conta do lugar e de uns anos pra cá percebo o quanto a qualidade do conteúdo caiu, com matérias tendenciosas de esquerda que tiram minha paciência. Algumas matérias se apoiam numa ciência ideologizada. Cansei. Talvez outras pessoas estejam com o mesmo sentimento.

  4. – Trata-se de miopia da própria imprensa. O consumidor já está de saco cheio da propaganda ideológica de esquerda travestida de jornalismo. O perfil dos profissionais demitidos é sempre conservador. Junta o nojo do leitor com a crise econômica e o resultado é devastador para a pseudo imprensa. É como um carro se dirigindo ao abismo. Ao invés de frear e modificar a direção, as empresas jornalísticas estão dobrando a velocidade. Vão falir todas, igual ao falecido PASQUIM.

    – Alguém saberia dizer se o pseudo humorista do PSOL e o Guilherme Boulos já foram demitidos da Folha de São Paulo?

  5. A falha de são paulo é muito ruim, mas o estado dos mesquitas está deplorável! Jornalismo em São Paulo parece ter sido destruído pela ideologia de professores da ECA (que nojo) – cUSPe/

  6. Odeio essas revistas manipuladoras e mentirosas afundando o País no mar de ignorancia vendidos😲😠

LEAVE A REPLY