Ditadura socialista de Maduro proíbe que principal opositor dispute eleições por 15 anos

O governador do estado de Miranda, Henrique Capriles, informou hoje em sua conta oficial no Twitter que foi proibido pela ditadura socialista de Nicolas Maduro de disputar cargos em eleições pelos próximos 15 anos. Capriles foi duas vezes candidato à presidência da Venezuela e é o principal opositor em liberdade da ditadura de Nicolás Maduro. Outro líder opositor, Leopoldo López, está preso há mais de dois anos e impedido de se candidatar desde 2008.

A decisão aconteceu depois que o país se tornou oficialmente uma ditadura na semana passada, quando o Tribunal Supremo do país anulou os poderes da Assembleia Nacional e os assumiu, revogando parcialmente a medida posteriormente. Ainda assim, o ato gerou intensos protestos populares no país, tendo um jovem de 19 anos sido assassinado pelas forças de Maduro durante manifestação no município de Carrizal, nos arredores de Caracas.

Outros políticos de oposição à ditadura socialista venezuelana que também foram inabilitados a participar de novas eleições são María Corina Machado (deputada mais votada em 2014, inabilitada no mesmo ano) e Antonio Ledezma (desde 2005).

Uma nova manifestação de rua está marcada para o próximo sábado (08) em Caracas, sob comando de Capriles.

VIAG1, O Globo, Veja
SHARE
Marcelo Faria
Presidente do ILISP e empreendedor.

3 COMMENTS

  1. O que pode haver de pior em um país é uma justiça corrompida pois não pune os demais que deveria e pune que não deveriam.. pensem nisso, será que passamos por isso por aqui?

  2. Henry, excelente observação. Aqui também há um esforço imenso para garantir a inelegibilidade do principal candidato da oposição – como já aconteceu na Rússia. E se a resposta para sua pergunta for for afirmativa, será que também vivemos uma ditadura?

    • A diferença é que aqui isso pode acontecer porque o principal candidato da oposição é o comandante máximo de uma organização criminosa, não apenas por fazer oposição.

LEAVE A REPLY