Em entrevista, Jean Wyllys defende homofobia de Che Guevara e ditadura cubana (assista)

Em entrevista concedida hoje (30) na rádio Transamerica de Brasília, o deputado federal pelo PSOL (“Partido Socialismo e Liberdade”), Jean Wyllys, defendeu a homofobia de Che Guevara e a ditadura cubana.

De acordo com Jean, não há problema algum em um LGBT se vestir como um ditador assassino homofóbico porque era “só uma brincadeira”. Jean admite que se informa sobre história com filmes de Hollywood e que, por isso, acredita que Che Guevara “lutava para livrar o povo da opressão e da pobreza” (fundando uma ditadura opressora que levou a mais pobreza).

Jean Wyllys aproveita para relativizar as atrocidades cometidas por Che Guevara, afirmando que ele era “um homem do seu tempo” e “não torturava ninguém”, e, portanto, estava liberado para ser homofóbico, desrespeitar os direitos individuais e matar à vontade (Jean ainda chama de “torturadores” aqueles que eram fuzilados pelo regime cubano). Jean inclusive coloca em dúvida o fato de Cuba ser uma ditadura e afirma que não há problemas nesse sentido porque todo mundo tem acesso à ração mensal de comida do estado, um sistema de saúde pior do que o SUS e uma educação que o governo cubano nunca quis testar no PISA.

Por fim, Jean Wyllys admite que a experiência real do socialismo foi uma desgraça (um acerto, finalmente!), mas que na teoria funciona (deturparam Marx!), e que Cuba está uma maravilha, mas que os EUA é que têm problemas com a pobreza. Assista:

Vaquinha O ILISP tem atuado contra a legalização do aborto e em defesa do direito à vida no STF. Para custear a causa, lançamos uma vaquinha. Os interessados em nos ajudar podem fazê-lo por meio do botão abaixo:

21 COMENTÁRIOS

  1. Idiota, a miséria latina não culpa dos americanos. A miséria provem da colonização portuguesa e espanhola, que somente levaram as riquezas e mandaram bandidos para cá, além da igreja católica que com o intuito de catequizar, também roubou muitas riquezas das Américas.

  2. Gostei do comentário “Ele sem perceber justifica a ditadura de Pinochet no Chile, pois, se ele diz que os erros e violência da ditadura cubana e de che guevara são perdoáveis devis a supostos avanços sociais” feitos por Adriano Silva.
    E esse idiota (mas não muito) do Jean, rapidamente muda o foco e aponta o dedo no “inimigo” para desviar o foco.
    Bem, burro ele não é. Mas é extremamente canalha. Veste a sua intenção ditatorial com “roupas bem intencionadas”.
    Mas como já é muito bem sabido por todos, a estrada para o inferno é pavimentada com boas intenções,

  3. Ele sem perceber justifica a ditadura de Pinochet no Chile, pois, se ele diz que os erros e violência da ditadura cubana e de che guevara são perdoáveis devis a supostos avanços sociais então as torturas e demais formas de violência da ditadura chilena também são perdoáveis pois trouxe inegáveis progressos econômicos ao país

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here