Empresa é chamada de “racista” e “machista” por causa de caderno sem Cyborg e Mulher Maravilha na capa

Em mais um capítulo da saga dos justiceiros sociais da esquerda nas redes sociais, a página da Cadernos Jandaia no Facebook foi atacada porque a empresa faz uma versão de capa de caderno sem os heróis Cyborg e Mulher Maravilha, integrantes da Liga da Justiça.

 

De acordo com os comentários problematizadores, a ausência da heroína e do herói negro seriam “machismo e racismo em 30 cm2”, “lugar de mulher e de negro é em todo lugar, inclusive nas capas de caderno de uma equipe onde faltam justamente as duas principais minorias da equipe” e uma “seleção racista e machista”.

 

Para o analista pedagógico da Faculdade Santo Agostinho, Bruno Braga, a empresa deveria “recolher esse lote de cadernos com arte sem o Cyborg e Mulher Maravilha” e “demitir esse funcionário machista e racista” porque “caderno de super-herói não é só para menino e gente branca”. Em resposta, a Cadernos Jandaia informou que fez “o lançamento da coleção de cadernos do filme Liga da Justiça (…) com quatro capas diferentes (…) para oferecer aos consumidores e fãs opções variadas de nossos cadernos como pode ser visto abaixo”.

Vaquinha O ILISP comprou o domínio "aborto.com.br" e lançará uma campanha pró-vida, mas isso exige recursos. Os interessados em ajudar podem fazê-lo por meio do botão abaixo:

6 COMENTÁRIOS

  1. Racismo é crime. Basta a empresa processar esses idiotas justiceiros que não fazem ideia do que seja racismo.

  2. Em tempo: faltou o site reportar os comentários que fizeram, em cima dos comentários de ativistas vitimistas: a maioria esmagadora criticou essa gente desocupada!

  3. Nunca vi tanto ativista imbecil, retardado mental, desocupado. Essa gente, realmente, não tem o que fazer. Não gostou de a empresa não ter colocado alguns personagens, não compre o caderno! Está difícil, conviver com imbecilidade de ativistas medíocres!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here