Fidel Castro contratou nazistas para treinar Exército cubano

Documentos do serviço de inteligência alemão (da sigla alemã, BND) revelaram que Fidel Castro contratou nazistas (nacional-socialistas) para treinar o exército cubano durante a Crise dos Mísseis, em outubro de 1962. Na ocasião, Estados Unidos e a União Soviética estiveram à beira de um conflito nuclear e a guerra iminente só foi afastada quando os soviéticos concordaram em retirar os mísseis da ilha e os americanos fizeram o mesmo com armamentos similares na Europa.

De acordo com o relatório, baseado em documentos confidenciais, o ditador cubano contratou dois ex-oficiais da Schutzstaffel, divisão paramilitar do Exército nazista, que chegaram a Cuba no dia 25 de outubro de 1962 para treinar tropas da ditadura socialista.

“Como pagamento foram oferecidos o equivalente a mil marcos alemães por mês, em moeda cubana, e mais mil marcos alemães por mês, na cotação desejada, em uma conta de um banco na Europa”, detalha o documento.

Bodo Hechelhammer, coordenador de pesquisa do BND, explica que Fidel tentava buscar formas alternativas de proteção à Cuba que não fossem ligadas aos soviéticos. “O exército cubano mostrou não ter medo de estabelecer contato com pessoas de passado nazista quando isto era útil para a própria causa”, afirmou Hechelhammer.

O documento alemão revela ainda que o líder cubano se aproximou de dois vendedores de armas nazistas para tentar comprar 4 mil metralhadoras de fabricação belga: o político alemão Ernst-Wilhelm Springer e o ex-oficial da Wehrmacht (as forças armadas nazistas), Otto Ernst Remer.

Vaquinha O ILISP comprou o domínio "aborto.com.br" e lançará uma campanha pró-vida, mas isso exige recursos. Os interessados em ajudar podem fazê-lo por meio do botão abaixo:

1 COMENTÁRIO

  1. Os cubanos pegaram um ex oficial nazista chamado von Braun para exílialos no seu projeto espacial. Um absurdo…

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here