ILISP confirma compra do domínio “aborto.com.br” e lançará campanha pró-vida

O ILISP venceu a disputa competitiva (leilão) pelo domínio “aborto.com.br” junto ao Registro.br, órgão oficial de registro de domínios no Brasil, e utilizará o domínio para defender o direito natural à vida.

Graças às doações recebidas, o valor do lance final, R$ 650,00 (seiscentos e cinquenta reais), foi devidamente pago ao Registro.br e a compra foi confirmada. As doações já recebidas também permitirão que o registro do domínio seja estendido até 2029.

A intenção do ILISP é ampliar a campanha pró-vida feita pelo instituto desde a audiência pública da ADPF 442, quando o médico obstetra Raphael Câmara foi indicado pelo ILISP para falar no STF contra a legalização do aborto, bem como aprimorar a divulgação de dados reais sobre o aborto.

O próximo passo será adquirir a hospedagem e elaborar o novo site, previsto para entrar no ar em janeiro de 2020. Os interessados em ajudar nos custos necessários podem fazê-lo por meio do botão abaixo:



6 COMENTÁRIOS

  1. Que pena essa campanha retrógrada . O aborto é um avanço . Mulheres e mesmo casais e mesmo homens que geraram uma vida indesejada poderem escolher não seguir em frente salva a vida de muitos seres humanos que serão abandonados , doados para a adoção , que poderá nunca acontecer .

    • Alguns comentários verdadeiramente nos assombram, por seu teor tranquilamente patológico e desumano. O que haveria de mais retrógrado e anti-natural que uma pessoa, ou, um grupo de adultos que não tiveram suas vidas interrompidas, reunirem-se e decidirem maliciosamente contra todos os princípios da lei natural, ceifar vidas inocentes de sua inalienável liberdade e direito de nascer, direito que a seus agressores não foi negado? A defesa do aborto agride e insulta violentamente a razão e o coração daqueles que ainda os têm em bom estado. O itinerário objetivo da vida é sempre para a frente, é avançar sobre os anos até o seu ocaso. Se desenvolver, nascer, viver e morrer livremente. Liberdade e Vida, são indissociáveis, de modo que a agressão a uma lesa igualmente a outra. Nascer é o primeiro passo conjunto de liberdade e vida, que cuja dinâmica objetiva, é uma vez germinada, nascer, crescer e se desenvolver. O termo retrógrado, no referido comentário, revela um predicado que sequer possui, ideológico e macabro, absolutamente destrutivo e irracional, no modo em que este foi empregado. O que é de fato, no caso, mais retrógrado ( tentando readequar o termo ) e mais anti-vida, do que um ato completo de morte, e brutalidade contra uma vida ainda que sequer nasceu do que abortá-la, independente do método aplicado? Será que os pro-abortistas recordam de sua infância, será que onde moram em seus condomínios, existem crianças, ou só as vêem pelo youtube? Se fosse criança teria medo de pro-abortistas tanto quanto de personegens de filmes de terror. Só que nesse caso, o medo teria justificativa. Será que seus amigos que têm filhos concordam com suas ideias? Nada justifica eliminar uma vida por alguma imperfeição em sua história. Se apesar das aparentes sequelas em sua formação intelectual e moral, devido o teor do comentário que tecem, puderam livremente crescer, dando tanto desgosto a humanidade, é porque ninguém lhe usurpou o mesmo direito de nascer, antes mesmo de serem conscientes deste ou não. Corrigindo, quanto ao direito a vida, neles, consciência não há. Todos são dignos de nascer. A vida nunca é descartável, não importa o quanto uma pessoa possa ter sua dignidade lesada, quer pelas condições injustas que sobre ela advenham, quer sobre as que ela sobre outras imponha, até mesmo se esta se posiciona a favor da morte de inocentes absolutos de qualquer mal moral. Tudo depende de um encontro com Deus na unidade de sua razão e coração, na genuína bondade, experiência concreta de amor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here