Invasões de escolas prejudicarão Enem de 191 mil alunos e já custaram 3 milhões de reais

As invasões de escolas promovidas pelos movimentos de esquerda “em prol da educação” causaram novas vítimas: os alunos que desejam apenas estudar. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) confirmou, nesta terça-feira (01), que 191.494 alunos não irão fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) no próximo fim de semana e terão suas provas remarcadas para os dias 3 e 4 de dezembro. O adiamento ocorre devido à invasão de 304 escolas onde os testes seriam aplicados em 126 municípios.

Como estas escolas permaneceram invadidas mesmo após avisos do governo de que isso iria prejudicar milhares de alunos, o MEC não conseguiu providenciar novos locais de prova a tempo e, por isso, os estudantes que terão suas provas adiadas receberão mensagens no celular e e-mails com o aviso. Os candidatos também poderão consultar a lista de escolas invadidas no site do INEP. O INEP não divulgou o prejuízo que a medida acarretará.

Fora os prejuízos causados aos estudantes que realmente desejam estudar, as invasões também causaram prejuízos financeiros aos pagadores de impostos de todo o país. O TRE-PR (Tribunal Regional Eleitoral do Paraná) gastou R$ 3 milhões a mais para realizar o segundo turno das eleições municipais no último domingo, custo necessário para alterar os locais de votação nas cidades de Curitiba, Maringá e Ponta Grossa. A verba extra significou um acréscimo de quase 15% em relação ao custo original das eleições no Paraná, de R$ 22,2 milhões e impactou mais de 700 mil eleitores que votariam nas escolas invadidas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here