Jovem com leucemia morre por falta de leitos de hospital, no Canadá

Laura Hillier, de 18 anos, morreu enquanto aguardava por um transplante de medula óssea. Não haviam leitos de hospital disponíveis para a cirurgia.

Através de uma intensa campanha realizada há mais de 1 ano, Laura e sua família conseguiram diversos doadores compatíveis e prontos para o procedimento.

Diagnosticada com leucemia mielóide aos 13 anos, ela estava praticamente livre do cancer após 4 anos do primeiro tratamento. Porém, piorou no último mês de maio.

O hospital público da cidade de Hamilton em Ontario, Canadá, declarou que, embora existam 30 pessoas na fila do transplante, com doadores a disposição, é capaz de fazer  apenas 5 transplantes por mês.

Dr. Ralph Meyer, vice-presidente de oncologia e cuidados paliativos do hospital, informou que existem muitas outras pessoas na mesma situação que Laura, em todo o Canadá.

O doutor disse ainda, que os registros de doadores aumentaram muito e que os avanços de tecnologia permitem que os transplantes sejam cada vez mais seguros.

Laura era apaixonada por artes cênicas e havia acabado de ser formar.

O Canadá adota o sistema único e universal de saúde, que é o segundo mais caro do mundo, onde na maior parte das províncias, o estado é o único e centralizado gestor. Naquele país, assim como no Brasil, as pessoas pagam impostos para que o governo contrate os serviços médicos para a população.

Com informações do jornal Daily Mail

Vaquinha O ILISP tem atuado contra a legalização do aborto e em defesa do direito à vida no STF. Para custear a causa, lançamos uma vaquinha. Os interessados em nos ajudar podem fazê-lo por meio do botão abaixo:

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here