Maduro proíbe protestos na Venezuela; pena será de até dez anos de prisão

Em mais uma medida que retira as poucas liberdades que os venezuelanos ainda possuem, o ditador socialista da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou hoje (27) a proibição dos protestos contra o governo em todo o país. Aqueles que organizarem ou incitarem protestos serão presos, estando sujeitos a penas de cinco a dez anos de prisão.

Inicialmente, a medida valerá por quatro dias (de 28 a 31 de julho) para garantir que a Assembleia Constituinte convocada por Maduro seja realizada, mas pode ser ampliada se o ditador assim o desejar. A votação foi convocada por Maduro para ampliar ainda mais os seus poderes no país e eliminar a oposição, a qual domina a Assembleia Nacional desde que venceu, por ampla maioria, as eleições legislativas de dezembro de 2015.

“Estão proibidas em todo o território nacional as reuniões e manifestações públicas, concentrações de pessoas e qualquer outro ato similar que possa perturbar ou afetar a normalidade do processo eleitoral”, afirmou Néstor Reverol, ministro do Interior, Justiça e Paz.

Desde que a Assembleia Constituinte foi convocada, em abril, protestos populares organizados pela oposição levaram milhões de venezuelanos às ruas. Para coibir os protestos, a ditadura socialista de Maduro assassinou 103 manifestantes até o momento.

Vaquinha O ILISP comprou o domínio "aborto.com.br" e lançará uma campanha pró-vida, mas isso exige recursos. Os interessados em ajudar podem fazê-lo por meio do botão abaixo:

2 COMENTÁRIOS

  1. A Ditadura comunista mostra suas garras ( é o sonho de Lula e Dilma para o Brasil). Poder eterno e extermínio dos opositores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here