Maior doador de Freixo é de ONG que recebeu recursos que iriam para família de Amarildo

O TEXTO QUE VOCÊ LERÁ A SEGUIR É APONTADO COMO INVERÍDICO E OFENSIVO EM AÇÃO PROPOSTA PELO DEPUTADO MARCELO FREIXO, CONFORME PROCESSO MPRJ Nº 2014.00253233

Desde julho de 2013, o pedreiro Amarildo Dias de Souza foi usado como símbolo da luta contra a ação de maus policiais no Rio de Janeiro. O “Cadê o Amarildo?” foi usado tanto para cobrar providências como para embalar a série de manifestações contra o governador. Como a família do pedreiro passou a viver, depois de seu desaparecimento, num quadro agravado da pobreza na qual já se encontrava, uma campanha conclamou artistas, intelectuais e doadores a contribuir com a viúva e os seis filhos do pedreiro.

O “Somos Todos Amarildo” arrecadou R$ 310.000,00 em dois eventos: um leilão de arte e objetos de famosos e um show no Circo Voador com participação de Caetano Veloso e Marisa Monte. A família do pedreiro, no entanto, ficou com a menor parte. De acordo com a Veja, com a compra de uma casa e de mobília, foram gastos, respectivamente, R$ 50.000,00 e R$ 10.000,00. O restante do dinheiro ficou com o Instituto de Defesa dos Direitos Humanos (DDH), ONG que se tornou notória por defender terroristas black blocs e que tem como secretário-geral o advogado João Tancredo, além de relações bastante próximas com o Partido Socialismo e Liberdade (PSOL).

De acordo com o instrumento particular de doação do montante – assinado somente em 29 de novembro de 2015, portanto, dois anos depois da campanha e após muitos questionamentos sobre o destino do dinheiro – a família teoricamente recebeu um montante adicional no valor de R$ 110.493,48, com os R$ 200.000,00 restantes tendo sido supostamente repassados a ONGs sem qualquer relação com a família de Amarildo, com o montante de R$ 40.000,00 para cada entidade: Grupo Tortura Nunca Mais, Rede de Comunidades e Movimentos Contra a Violência, Associação de Mídia Comunitária da Rocinha (TV Tagarela), Projeto Via Sacra e Associação Cristã de Ação e Desenvolvimento do Rio de Janeiro.

Curiosamente, o advogado João Tancredo, secretário-geral do DDH, figura como maior doador este ano da campanha do deputado estadual e candidato a prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Freixo, do PSOL. De acordo com o site oficial do TSE, João Tancredo doou, sozinho, R$ 200.500,00 para a campanha de Marcelo Freixo, valor que corresponde a 18% de todos os recursos arrecadados pela campanha do psolista. A maior doação, de R$ 200.000,00, aconteceu no dia 05 de outubro (três dias após as eleições do primeiro turno) e foi feita por meio de transferência eletrônica direta, sendo registrada sob o recibo eleitoral 000501160011RJ003094E.

O valor é superior até mesmo ao montante doado pelo diretório nacional  (R$ 142.000,00) e pelo diretório estadual / municipal (R$ 119.800,00) do próprio PSOL, recursos estes vindos do fundo partidário financiado por milhões de pagadores de impostos brasileiros.

Vaquinha O ILISP comprou o domínio "aborto.com.br" e lançará uma campanha pró-vida, mas isso exige recursos. Os interessados em ajudar podem fazê-lo por meio do botão abaixo: