New York Times proíbe que jornalistas falem de política nas redes sociais

New York Times (NYT) – conhecido por ser o maior jornal do mundo e ter um claro viés de esquerda, chegando inclusive a declarar apoio editorial a Hillary Clinton nas últimas eleições presidenciais – divulgou na última sexta-feira (13) novas diretrizes sobre como os seus funcionários devem se comportar nas redes sociais.

De acordo com o documento, os jornalistas do NYT “não devem expressar opiniões partidárias, promover visões políticas, apoiar candidatos, fazer comentários ofensivos ou dizer algo que prejudique a reputação jornalista do Times em posts nas redes sociais (…) na medida em que a percepção de nossos jornalistas como tendenciosos pode reduzir a credibilidade de toda a redação“.

O jornal adverte que “tudo que postamos ou curtimos é público e provavelmente será associado ao Times” e determina que as diretrizes “devem ser seguidas por todos os departamentos da redação, incluindo aqueles que não façam cobertura política”.

O documento também determina que os jornalistas não antecipem nas redes sociais pessoais o conteúdo exclusivo do NYT , não reclamem sobre produtos ou serviços, evitem participar de grupos privados ou secretos nas redes sociais que tenham visões partidárias e não se registrem em eventos partidários nas redes sociais.

Por fim, o NYT sugere cautela com as respostas nas redes sociais – “se as críticas forem agressivas ou maldosas, provavelmente é melhor não responder” – e evitem silenciar ou bloquear pessoas que estejam apenas efetuando críticas às matérias.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here