Prefeito socialista caça moradores de rua e já pediu para população parar de ajudá-los

O prefeito socialista de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB – Partido Socialista Brasileiro), está imitando o prefeito petista de São Paulo, Fernando Haddad, e tem ordenado que a Guarda Municipal roube agasalhos, colchões, cobertores e até mesmo documentos dos moradores de rua. Os moradores de rua estão tendo que fazer vigília para impedir que isso aconteça durante a noite ou mesmo pela manhã, quando têm que esconder suas poucas propriedades dentro de bueiros ou sobre árvores.

“Aqui (em BH) o povo doa os cobertores na rua, mas os agentes não querem nem saber se está frio. Levam embora mesmo. Tive de brigar para eles não levarem todas as minhas coisas,”, disse J. P., de 49 anos, ao Estado de Minas.

Além de comandar a verdadeira caçada aos moradores de rua, Marcio Lacerda já chegou a pedir, no ano passado, que a população pare de ajudar os moradores de rua. De acordo com o socialista, as pessoas não devem doar “objetos, comida ou dinheiro, para que eles (os moradores) dependam da assistência social da prefeitura e possam ser convencidos a deixar a rua” e que a prefeitura não pode tirá-los da rua à força, mas que “pode recolher seus pertences.”

2 COMENTÁRIOS

  1. Recolher os pertences de alguém, seja ela morador de tua ou não constitui crime ora. Que mal há em dar a aquele que precisa assistência? Há algumas décadas a irmã de uma amiga minha ficou 2 anos nas ruas e envolvida com substâncias psicoativas. Estava a passar por um conflito interno. Passado esse período que pode durar dias, meses, amor ela simplesmente largou as ruas e as drogas e retomou as rédeas de sua vida, hoje é uma pessoa normalissima. Não adianta tentar forçar alguém a deixar as ruas, quando chegar a hora ela deixará as ruas ou não. Já conversei com moradores de rua equilibradissimos com um senso de liberdade real e não essa falsa liberdade que nós pagadores de impostos temos. Ao expor o seu modo de ver, percebi que o sistema não tem nada a oferecer a ele a não ser amarras. Como consciência que sou entendo os hippies e os ciganos (povos nômades que perderam seu país). São seres que querem se libertar desse controle nauseante imposto sobre a sociedade que não leva senao à ansiedade, depressão por cultivar no humano o olhar fixo no futuro e com isso o humano sofre e se sente incompleto pois o foco deveria ser o agora, pois é no agora que tudo acontece.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here