Produtor de queijos se mata depois de ter toda sua produção apreendida pelo estado

152

Em mais um caso onde o estado atrapalhou a vida de um empreendedor que gerava emprego e renda, levando ao mesmo trágico fim do empresário de Rio Claro, um produtor de queijos se matou em Edealina – GO após a fiscalização estatal apreender sua produção de queijo mussarela. O homem teria se desesperado com o prejuízo que estava sofrendo, em torno de 40 mil reais, fora multas.

Tudo aconteceu quando os fiscais da Vigilância Sanitária do Estado de Goiás foram até o pequeno laticínio do Sr. João Machado, conhecido na cidade como João da Queijeira, e o por “falta de documentação” informaram ao proprietário que fariam a apreensão de toda a produção de queijo.

João Machado não se conformou com a situação e num ato de desespero, enquanto os fiscais carregavam o produto apreendido numa caminhonete, pendurou-se pelo pescoço em uma corda e jogou-se dentro de uma cisterna. A corda se rompeu e ele acabou caindo dentro da cisterna, falecendo na hora.

É triste ver brasileiros que batalham e lutam por gerar produtos que atendam à população sendo perseguidos pelo estado e levados a atos desesperados quando deveriam ser livres para produzir, trabalhar, gerar empregos e melhorar a vida de milhares de pessoas.

VIACorreio Sul Goiano
COMPARTILHAR
Marcelo Faria
Presidente do ILISP e empreendedor.

152 COMENTÁRIOS

  1. É um verdadeiro absurdo, uma tamanha injustiça , era simples , levar para análise caso houvesse irregularidade aí sim tomar medidas cabíveis , agora o caso de informalidade é simples é apenas legalizar se for este o problema. Se vocês fossem em Brasília verá que há muita irregularidades e empresas fantasmas prestadoras de incríveis serviços para o estado e não fazem nenhum tipo de vistoria ou auditoria . Brasil invertido , sinto nojo é repulsa do nosso governo .

  2. Na verdade, o fiscal agiu com muita truculência, fazendo o pequeno empresário se desesperar. Falta de documentação, informalidade, não quer dizer necessariamente que poderia haver falta de higiene no local, mesmo porque isso é ou seria assunto para a vigilância sanitária do município. Lamentável, que um fiscal mal preparado não soubesse avaliar tudo isso.

  3. No mínimo estranho… Acredito que haja trabalho honesto dentro do ESTADO sim… Mas descartar alimento sem dar o beneficio da duvida? Sem considerar outros aspectos? Se é no RJ tem maracutaia.

  4. Realmente é desesperador perder toda a produção para a vigilancia mas acredito que, todo beneficio tem seu custo esse senhor poxa poderia ja ter regularizado sua empresa prq qndo a fiscalização aparece na primeira vez eles certamente te darão um prazo pra que seja feita a regulamentação e depois talvez não seja o caso desse senhor mas se por ventura venha a aparecer qlqr tipo de contaminação em um cliente que por outro motivo se intoxicou com outro produto mas comeu o queijo ai todos cairiam em cima da vigilância por que não fiscalizou então estamos vendo dois pesos e duas medidas, infelizmente esse caso não teve um desfecho bom mas isso serve pra que nos mesmo procuremos acertar as coisas valew galera

  5. chega de paga pau para este brasil maquiado só falam mentiras só fazem merda enganam velhos crianças alegados e os bestas achando que tem leis que o protegem tudo mentira veja as roubalheiras das autoridades e políticos e não se fazem nada para mudar eu estou revoltado com tanta injustiça inclusive com eu e com minha família eu mataria todos e bebia um copo de sangue de cada um

  6. A vigilância sanitária foi criada para orientar antes de punir. Eles erraram feio….pq primeiro dá as orientações e precauções, e não chegar e logo metendo a mão. Mas se não existisse ela, o que seria de nós? Sabe pq não há muitos fiscais atuando nos estabelecimentos? Pq a vigilância sanitária, venho para educar, mostrar, orientar aos empresários, que ao trabalhar para um público, temos sim, que respeitar a higiene sanitária sempre. Esse órgão não visa dinheiro, é por isso que não tem mais fiscalização eficaz. Mas lamento pelo ocorrido com esse produtor de queijos. Mas a lei pega todos de surpresa. Por isso que, por menor que seja o negocio, é melhor está dentro dos conformes em tudo.

  7. Estado fdp.
    So serve pra atrapalhar A vida das pessoas
    Desde quando precisa de um papel pra produzir ou vender? Quem tem q se acertar sao vendedor e consumidor.
    Eu como consumidor nao quero papel algum selo algum e porcaria alguma. Se alguém quiser q opte por empresas q o façam mas nenhuma deveria ser obrigada a faze-lo.

    • Claro, e com isso pessoas morrerão, inclusive você por comer produtos infectados com aparências boas. ._.

    • Marcelo, estou totalmente contra a atitude do fiscal, no mínimo despreparado para tal função. Mas a formalidade nos negócios tem que haver sim. Desse jeito você prega a anarquia total. As pessoas vivem numa sociedade, onde todos precisam de serviços, legalidade, etc. sem impostos, a gente não consegue se organizar.

  8. A verdade é que o Brasil é um país sem jeito, onde a corrupção está em todos, e ainda tentam justificá-la ao dizer que tem piores. ._.

  9. Se este empreendedor estava produzindo seus queijos e estava comercializando d porque seus consumidores já conhecem o produto é tem confiança no produtor assim que funciona em diversos países da Europa teria que levar estes que se dizem fiscais para conhecer estas realidades pois se eu compro para o meu consumo sempre observo as boas práticas de higiene e qualidade

  10. Antes de defenderem a vigilância sanitária atentem para esse ponto: A alegação para o produto ter sido apreendido foi a falta de documentação, a apreenção não foi feita por ter sido encontrada irregularidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira seu comentário
Insira seu nome