Sem imposto sindical, Sindicato dos Farmacêuticos ameaça fechar

Com o fim do imposto sindical, o Sindicato dos Farmacêuticos de Minas Gerais (SINFARMIG) ameaça fechar. A organização, ligada à Central Única dos Trabalhadores (CUT), completou 37 anos de existência e diz representar mais de 24 mil farmacêuticos mineiros, mas não consegue receber contribuições voluntárias suficientes para manter seu funcionamento.

“Já demitimos nossa assessoria de comunicação, advogados e funcionários, e estamos com apenas três. Nós sempre funcionamos das 8h às 18h. Agora, só de 8h ao meio-dia, pois não temos dinheiro para manter a sede aberta por mais tempo”, relata Júnia Dark Vieira Lelis, diretora do SINFARMIG.

O principal problema enfrentado pelo sindicato tem sido a “mentalidade anti-sindical”, de acordo com Júnia, fazendo com que “uma porcentagem muito pequena se filie”. O custo da anuidade do SINFARMIG é R$ 150,00.

Reunião do SINFARMIG. Entidade está próxima de fechar por falta de interesse dos farmacêuticos.

30 COMMENTS

  1. Pois é, vão ter que trabalhar né. Não há país que aguente tanto parasita. Meus anseios de um Brasil mais justo estão começando a se realizar.

  2. Meu sindicato nunca me atendeu… Agora vieram cobrar contribuição sindical. Botei os vagabundo pra correr.

  3. Todo e qualquer sindicato deve existir por vontade dos trabalhadores da categoria e não o contrário.
    Aqui no Brasil, sindicatos existiam pra cobrar imposto sindical.
    Que cada sindicato subsista com a mensalidade de seus associados.
    Se não há associados suficientes pra manter a instituição é porque a maioria da categoria NÃO QUER esse sindicato.
    FIM!

  4. Conselho de classe nao tem nada a ver com sindicato. Sua função é fiscalizar o bom exercício profissional.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here