The Guardian, um dos principais jornais da esquerda britânica, pede doações para sobreviver

O jornal The Guardian, um dos principais da esquerda britânica – e, por isso mesmo, constantemente citado como fonte pela mídia brasileira tomada pela esquerda – passou a pedir doações em seu site para manter o seu “jornalismo inteligente” existindo.

Com prejuízos de 75 milhões de dólares no último ano fiscal e prevendo cortar 20% de seus custos por meio de demissões, a circulação do The Guardian no Reino Unido caiu de 411 mil exemplares por dia em 2002 para 164 mil por dia em 2016, de acordo com informações do Audit Bureau of Circulations britânico, o que fez o jornal sair da sexta colocação como o mais lido no Reino Unido para a décima.

Com circulação em queda e dependendo cada vez mais das receitas geradas pela publicidade online, também em queda, o The Guardian incluiu em seu site no último mês um pedido de doação, dado que, de acordo com a solicitação, “mais pessoas estão lendo o The Guardian do que nunca e cada vez menos estão pagando por isso” e, portanto, seria necessário que os visitantes do site se tornem doadores do mesmo para manter o “jornalismo independente e investigativo”.

Nota no site do The Guardian pede para visitantes apoiarem o "jornalismo independente e investigativo"
Nota no site do The Guardian pede para visitantes apoiarem o “jornalismo independente e investigativo”

O movimento foi antecipado pela editora-chefe do jornal, Katherine Viner, que em junho desse ano já havia mencionado em uma entrevista a necessidade de pedir doações para manter o jornal funcionando. Katherine disse na ocasião que “estamos entrando em um período perigoso para a política progressista e em momentos como esse o mundo precisa do The Guardian mais do que nunca.”

Em 2015, um estudo mostrou que o The Guardian era tão tendencioso que favorecia o Irã em sua cobertura tanto quanto os principais jornais iranianos (Tehran Times e Fars News Agency).

Vaquinha O ILISP tem atuado contra a legalização do aborto e em defesa do direito à vida no STF. Para custear a causa, lançamos uma vaquinha. Os interessados em nos ajudar podem fazê-lo por meio do botão abaixo:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here