Volume de impostos pagos pelos brasileiros chega a R$ 1,5 trilhão em 2018

R$ 1.500.000.000.000,00 (1,5 trilhão de reais). Este é o montante total de impostos, taxas e contribuições que a população brasileira pagou desde o primeiro dia do ano de 2018 até hoje (23), segundo o Impostômetro. O montante é um novo recorde histórico: no ano passado, o valor foi atingido 22 depois, ou seja, no dia 14 de setembro.

Detalhe: apesar do aumento na arrecadação estatal, ela continua sendo insuficiente para sanar as contas estatais, especialmente no nível federal, cujo rombo na Previdência alcançou R$ 268,8 bilhões em 2017. O orçamento do governo federal prevê um déficit (arrecadação menor do que os gastos estatais) de R$ 158 bilhões em 2018.

O Impostômetro foi implantado em 2005 pela ACSP (Associação Comercial de São Paulo) para conscientizar os brasileiros sobre a alta carga tributária e, desde então, registra valores cada vez maiores que foram tirados do bolso dos pagadores de impostos.
Impostômetro: montante de 1,5 trilhão foi atingido pela primeira vez em agosto.
Vaquinha O ILISP tem atuado contra a legalização do aborto e em defesa do direito à vida no STF. Para custear a causa, lançamos uma vaquinha. Os interessados em nos ajudar podem fazê-lo por meio do botão abaixo:

6 COMENTÁRIOS

  1. Apesar do montante altíssimo, isso dá apenas pouco mais de R$1000,00 para o Estado Brasileiro fazer tudo o que se propõe para cada um dos habitantes do Brasil. Eis a nossa encruzilhada. Esse montante é muito para se pagar, mas pouco para o que o Estado se propõe fazer.

    Ainda não consigo entender como há pessoas que simplesmente não enxergam que só há uma saída: diminuir o tamanho do Estado, para que ele caiba dentro de suas receitas e para que ele pese menos para o contribuinte e permitindo que sobre mais dinheiro no lugar de onde ele nunca deveria sair: o setor produtivo, que é quem gera riquezas.

  2. O RN está numa situação complicadíssima. Robinson já mostrou como administra. Fátima no governo, o RN será a Venezuela no Brasil, um estado rumo a falência, sem investimentos e entregue ao populismo até a última moeda de sua arrecadação que diminuirá a cada ano. Carlos Eduardo vem se mostrando prepotente e cometendo erros primários, tendo o prefeito como seu pior cabo eleitoral. O que será do RN ????????????

  3. Cada classe social tem a sua importância no Brasil. Os pobres votam nos políticos corruptos. Os empresários financiam os políticos. E os políticos utilizam o estado para aumentar seu poder e para ajudar os empresários com subsídios e protecionismo, impedindo agentes estrangeiros de agirem por aqui. E a classe média paga impostos para manter este sistema funcionando.

    • Exatamente por isso eu sou um defensor radical da redução dramática e absoluta do tamanho do Estado em todos os níveis. Decorrem daí todas – eu disse todas – as mazelas brasileiras, incluindo a corrupção oceânica que ocorre por aqui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here