Defender que o estado proíba algo é defender a atuação dos criminosos

A proibição estatal de um determinado produto, serviço ou ato que não seja contrário aos direitos à vida, liberdade e propriedade dos indivíduos não impede que estes deixem de existir, apenas incentiva que os criminosos – que não respeitam a lei por definição – atuem no setor e o monopolizem.

Quando o estado proíbe as armas, aqueles que respeitam as leis se desarmam enquanto os bandidos ignoram a lei e usam armas cada vez mais potentes. Quando o estado proíbe as drogas, aqueles que respeitam as leis deixam de vender drogas enquanto os bandidos ignoram a lei e ganham o monopólio de venda de drogas, garantindo lucros astronômicos. Quando o estado proíbe os “jogos de azar”, aqueles que respeitam as leis fecham as portas, enquanto os bandidos novamente ignoram a lei e ganham o monopólio da exploração do jogo do bicho, bingos clandestinos e toda sorte de jogo de azar “ilegal”.

O mesmo irá acontecer agora nas campanhas políticas. Movidos pela lógica estúpida de socialistas que dizem ter medo do capital privado (“que distorce a democracia”) enquanto vivem às custas do dinheiro privado dos outros, o Supremo “impediu” que empresas doem dinheiro para campanhas políticas. Legalmente, claro. Ilegalmente, aqueles que já faziam Caixa 2 continuarão fazendo Caixa 2, parte dos doadores legais se tornarão ilegais e a outra parte que prefere respeitar a lei deixará de doar. Mas, da mesma forma que nos mercados de armas, drogas e jogos de azar, os criminosos não ficarão fora desse novo setor garantido a eles pelo estado. Em reportagem da Isto É dessa semana, o “Primeiro Comando da Capital”, a principal organização criminosa do país – sustentada justamente pelas proibições estatais mencionadas anteriormente – pretende eleger 10 prefeitos e 50 vereadores somente no estado do Ceará. Imagine quantos serão eleitos pelo Brasil.

E sabe o que esses políticos eleitos com dinheiro ilegal farão? Lutarão com todas as forças para manter as armas, drogas, jogos de azar e doações políticas ilegais. Não em nome do crime, isso pega mal na campanha. Mas em nome da “família brasileira” e “das crianças e adolescentes”.

Quando algum político defender uma proibição estatal, pode estar certo: ele defende o crime.

Vaquinha O ILISP tem atuado contra a legalização do aborto e em defesa do direito à vida no STF. Para custear a causa, lançamos uma vaquinha. Os interessados em nos ajudar podem fazê-lo por meio do botão abaixo:

9 COMENTÁRIOS

  1. Marcelo, você defende a existência do Estado? Se não até vejo lógica no seu argumento.. Mas se você acha que o Estado deve proteger e cuidar dos direitos básicos dos cidadãos não tem lógica alguma o mesmo.. pois, desse modo, para ti tudo pode ser liberado.. afinal os que não obedecem às leis não vão cumprir mesmo… um exemplo [idiota].: assassinar… Ahh deveria ser liberado afinal quem mata vai continuar matando então eu deveria poder tbm..

    • Assassinato é violar o direito à vida de outra pessoa. Será proibido em qualquer sociedade, sendo governada pelo estado ou por entidades privadas. Não misture as bolas.

      • Concordo com você Marcelo.
        Não importa qual sociedade já existiu ou vai existir, assassinato sempre vai ser visto com péssimos olhos e punido de acordo com a lei regente.

  2. Certo. E quanto à saúde dos usuários legais de crack e de outras drogas novas? Ao longo do tempo, essa liberação não poderia corroer a sociedade? O jovem faz 18/21 anos de idade, começa a usar maconha, depois experimenta crack, em seguida mais outra…como ele chegará aos 30 anos? Qual a contribuição para a sociedade que pessoas nesse estado poderão dar? A riqueza que poderão gerar, os problemas que poderão resolver seja como empresários ou funcionários? Sem condições de trabalhar, elas não passariam a cometer crimes para poder sustentar o vício, saindo de uma posição de usuárias legais para criminosas por conta dessa mesma liberação?

  3. Saudações, Marcelo. Tenho uma dúvida sobre a ideia de proibir/liberar drogas. No caso somente a maconha seria liberada de acordo com essa visão?

    Cordialmente.

  4. É impossível viver em Fortaleza, uma das cidades com a maior taxa de homicídios do mundo. O PCC está instalado no Ceará. São eles quem regem criminalmente a zona metropolitana de Fortaleza assim como muitas das cidades do Cerará e certamente pretendem gerir a política cearense. E isso está acontecendo porque a esquerda é quem comanda todas as organizações governamentais. A direita já não tem canais de atuação, pois todas as estruturas do Estado estão dominadas pela esquerda, que sorrateiramente após a ditadura militar começaram a controlar todo o aparelho de estado, pois não existiu até à atualidade força, união e organização por parte dos liberais e conservadores. Infelizmente!

  5. Não teria e nem seria segredo nenhum … administrar por ter sido escolhido à administrar e sair-se bem. Administrou. — MAS, a sádica inveja .. não permitem que a democracia seja respeitada e com isso, vem os ditadores e o pior: Com Eles vem uma multidão de enganados uns e outros por serem capachos e outros vassalos.
    — A idiotização sendo paga à ser aceita, leva essa pobre gente à cavarem os seus próprios sepulcros, na terra dura.
    Sinceramente, tornar-se massa de manobras pessoas as quais as conheço, é um outro tipo de absurdos. Não Há Adjetivos Qualificativos à Serem Sinonimados.
    Sabemos que a implantação da Intentona é perversa e atua há 34 anos, sem combate algum, muito pelo contrário. Exemplo: Um País que veio de m intervenção Constitucional, onde para Prefeitos – vereadores e Deputados Fed. e Est. foram sempre eleitos pelo voto direto, onde foi que houve o grande pecado. Criou-se o que hoje está ai. O Congresso já acoitou deputados com 350 votos, vindo de coligações, Todos Socialistas. Nada de Direita. E foi assim que tudo aconteceu.

    • E aí OCP? Vc é de direita mesmo? Então quer o MITO como presidente! kkkk Vc gosta de ditadores, então não é liberal! Se fosse liberal não gostaria de ditadores de esquerda e nem tampouco de direita. O estado foi gigante na ditadura militar. Pra mim quem defende a ditadura gosta do estado grande e jamais pode se chamado de liberal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here