Eu luto pelo fim da cultura do falso estupro

Mês passado, uma garota de 19 anos, universitária do Rio Grande do Sul, contou no Facebook que havia sido estuprada e até divulgou o retrato falado do estuprador. A polícia foi atrás e, com o avanço das investigações, ficou claro que tudo não passou de uma invenção. Pior: um homem, depois de ser confundido com o da foto espalhada por ela, foi espancado e esfaqueado por populares. A menina foi dispensada. O cara, inocente, quase morreu.

Regularmente, a loucura se repete.

Terça-feira (14), Daniel Bezerra, de 21 anos, estudante de Relações Públicas da Universidade Federal de Goiás, contou no Twitter que viu uma menina sair de um carro no estacionamento do campus em que estudava, bêbada, chorando e com roupas rasgadas. Ao oferecer ajuda, Daniel descobriu que ela tinha sido estuprada. Tentou chamar a guarda universitária, mas, segundo ele, não encontrou ninguém e a menina desapareceu logo em seguida, misteriosamente.

Claro, a denúncia despertou a fúria de todo mundo, assim como aconteceu no caso do Rio Grande do Sul. Na internet, a mobilização foi absoluta. Manifestações em solidariedade à vítima aconteceram na UFG. A reitoria foi ocupada. A equipe de segurança da Universidade se comprometeu em apurar as informações e ajudar a polícia.

Na quarta (15), Daniel foi chamado à Delegacia para detalhar o que tinha acontecido e disse: “me sinto apavorado porque nenhuma câmera conseguiu pegar o banheiro.” Vocês sabem por qual motivo a câmera não conseguiu pegar o banheiro? Então… Quando a polícia iniciou a investigação e teve acesso às imagens cedidas pela Universidade, descobriu que no dia 7 de junho, UMA SEMANA ANTES do ocorrido, alguém havia reposicionado a câmera que, normalmente, filma a entrada do banheiro masculino, local exato onde Daniel disse ter amparado a vítima. Quem virou a câmera? Pois bem: Daniel.

Hoje de manhã, a delegada responsável afirmou que a denúncia de estupro era falsa. “Possuímos evidências expressivas que o Daniel virou a câmera que fica direcionada para o banheiro masculino no dia 7 de junho. Ele teve de 7 de junho até o dia 14 para planejar toda ação”. E fez. Foi tudo calculado. A cena, a história, as “testemunhas”, o local, as falas. A vítima. Tudo.

O que Daniel, a universitária gaúcha e quase 50% dos denunciantes de estupro não sabem é que as consequências de uma acusação falsa podem destruir uma pessoa emocionalmente, socialmente e economicamente, independente de haver ou não condenação. Ora, se há estupro, há estuprador. Se há falso estupro, há falso estuprador também. Essa é uma cicatriz que o acusado injustamente carrega consigo para o resto da vida. Sem volta.

Muitas mulheres levam à polícia falsas denúncias de violência sexual pra justificar um comportamento pregresso diante da família, para justificar uma gravidez indesejada em caso de traição, para se vingar do parceiro ou para ter um álibi.

E Daniel? O que motivou? O estupro é um crime bárbaro. A imputação de um crime bárbaro a alguém que não o cometeu é, além de igualmente bárbaro, puro sadismo.

Essas acusações falsas não só enfadam a justiça. Elas criam uma histeria coletiva nas mulheres, levando-as a crer num estereótipo de homens que, essencialmente, são violentadores.

Daniel contribuiu pra isso. E nós sabemos a quem isso serve.

10 COMENTÁRIOS

  1. quantas mulheres são estupradas todos os dias e não denunciam?? e quantas não são estupradas e fazem uma denuncia falsa?
    A cada 11 minutos uma mulher é estuprada no Brasil, mas vc acha dois casos de denuncias falsas e quer generalizar dizendo que essa é que é regra
    Triste ver uma mulher com essa visão, queria ver se vc fosse estuprada e ninguem acreditasse em vc quando fosse fazer a denúncia

    • Que amor desejar que uma pessoa seja estuprada!!!!!! Parabéns, vc é um GRANDE SER HUMANO e um EXEMPLO DE MULHER!

  2. Todo mundo normal um dia foi esquerdista ou teve alguma, digamos, queda pelo esquerda, afinal sabemos que no imaginário popular ser de esquerda é ser do bem, logo, quem é de direita é do mal. Mas com a maturidade e com a ampliação da sabedoria passamos a perceber que essa ideologia nefasta apenas toma para si o monopólio da virtude quando na realidade sua agenda é normalmente mal intencionada. Tome-se aí os casos do estupro, da tal “cultura do estupro”. Você está absolutamente correta, Mariana. Muitas mulheres, mas muitas mesmo, utilizam-se do pretenso estupro para de alguma forma punir um namorado, marido ou ficante, quando ocorre alguma insatisfação ou para fugir de algum problema, enquanto os verdadeiros estupros, causados por indivíduos bárbaros não comovem ninguém da esquerda já que não podem aproveitar ideologicamente do ocorrido. É realmente lamentável, mas é o que ocorre nesse país em boa parte do mundo, que foi sequestrado pela agenda esquerdista como temos visto por aí.

  3. Perfeito! Há algum tempo, quando pesquisava sobre este tema eu encontrei um artigo online, da revista Marie Claire, que me deixou chocado. A matéria tratava exatamente da devastação provocada na vida de homens falsamente acusados pelas ex-esposas ou companheiras, por vingança, ciúme ou mera picuinha. A matéria em questão tratava de alegações de violações ou maus tratos perpetrados pelos ex-maridos ou companheiros contra os próprios filhos. Vejam o quão cruel e inconsequente é isto! A pessoa fica estigmatizada para o resto da vida, perde o emprego, os amigos e até o apoio de alguns familiares, sofre ameaças e violências gratuitas, e, então, após algum tempo, se prova que era tudo uma “mentirinha”… Penso que devemos ser criteriosos ao acatar denúncias e dar publicidade a acusações desprovidas de evidências e, para coibir este tipo de ato irresponsável e desumano, criar leis que o criminalize, punindo com a mesma severidade uma falsa acusação praticada intencionalmente.

    • Concordo com você. Principalmente em “criar leis que o criminalize, punindo com a mesma severidade uma falsa acusação praticada intencionalmente”.

  4. Ex-esquerdista!!! Owwwwn que linda!!!Me sinto tão feliz quando encontro gente como eu no mundo… só nós conseguimos entender o que é nos livrar deste câncer… rsrsrsrsrs

  5. Amei o texto, e na hora que eu vi a redatora, eu amei tb… “Jornalista e ex-esquerdista.” além de bonita é “ex-esquerdista” kkkk amei… 🙂 ótimo texto que enfatiza realmente como está a situação de hoje!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here