Menos glamourização das favelas, mais apoio ao mérito pessoal

Rafaela Silva ganhou o primeiro ouro brasileiro nessas Olimpíadas. Sendo ela mulher, negra e nascida na favela (Cidade de Deus), a esquerda já cuidou de tomar para si a luta que pertence a ninguém mais do que a própria Rafaela. O que a esquerda esconde é que foi a iniciativa privada que deu chances de Rafaela crescer no judô.

Sua história de vida envolve estar no meio de tiroteios e superação de si mesma no esporte, envolve o auxílio de quem viu nela um bom investimento. Geraldo Bernardes, responsável por formar atletas para quatro edições olímpicas, viu em Rafaela um diamante a ser lapidado.

O ex-técnico da seleção brasileira lançou, então, um projeto social (Instituto Reação) para atender comunidades como a que Rafaela morava. Ela e a irmã foram beneficiadas pelo projeto e logo despontaram. Raquel conseguiu bolsa de estudos, escola particular e o técnico seguiu investindo em ambas, custeando despesas, pois acreditava no investimento e a família era muito humilde. Apesar de menos disciplinada, Rafaela mantinha resultados similares aos da irmã, e ao ver alguns benefícios no destaque da irmã, passou se dedicar mais.

Os patrocínios vieram com os resultados e a profissionalização do esporte melhorou a qualidade de vida da família. Rafaela, por exemplo, deixou a Cidade de Deus para se mudar para o Méier, uma região de classe média. Mas seguiu firme melhorando a performance à sua maneira, e a derrota de Londres a tornou mais faminta por vitórias após um período de crise depressiva. Rafaela é uma mulher da qual devemos nos orgulhar não por simplesmente ser da favela, mas por ter se tornado o que se tornou.

As favelas são glamourizadas por aqueles que passam longe dela enquanto aqueles que lá vivem sofrem a realidade dura de um ambiente caótico e perigoso, no qual muitas vezes há sério risco de vida. Somente glamouriza o caos e sofrimento quem está no conforto e segurança de seu lar protegido.

As favelas são o símbolo máximo de como um estado grande e interventor na vida das pessoas pode levar ao fracasso. Rafaela Silva é o símbolo do que o indivíduo é capaz de fazer, com o auxílio voluntário de outros indivíduos, que, ao trabalharem em conjunto, podem ser capazes de obter resultados incríveis.

A preocupação com as pessoas que vivem nas favelas não existe para esquerda. O que existe é apenas a instrumentalização destas para um discurso ideológico quando convém.

Vaquinha O ILISP tem atuado contra a legalização do aborto e em defesa do direito à vida no STF. Para custear a causa, lançamos uma vaquinha. Os interessados em nos ajudar podem fazê-lo por meio do botão abaixo:

17 COMENTÁRIOS

  1. Um dos piores textos que já li no site do ilisp até hoje. E não há como vincular o discurso a quem escreveu. Por que a politização do tema? Quando se fala em glamour (supracitado), nada me vem à mente a não ser que glamour deve ser estudar numa das particulares caras de Fortaleza (Unifor…bem semelhante ao CEUB de Brasília onde moro…onde se vê o pré nível seletivo de cabeças ocas que aí adentram como “universitários” think tanks), compor o estrato de “patricinhas politizadas e em busca de engajamento” (e aqui há várias dessas), detonar a tal esquerda e tudo a ela atribuir, escrever textos absurdos como esse e, por fim, selar uma grande idiotice em um site de alcance grande. A iniciativa pessoal à lá “self made victorious woman” levou a medalhista “favelada” longe…mas pelo visto não levou a autora enviesada do texto a muito lugar. E detalhe: sou favelado da favela do Acari no rio e, sim….tive competência para entrar em Direito na Universidade de Brasília (sem concorrer por cota) e sei que passei por competência e estudo. Facilmente poderia ter passado no CEUB ou na Unifor. Ah…Não havia dinheiro para pagar, e FIES nem pensar. Passei, talvez, pelos mesmos motivos que a medalhista ganhou medalha. Um dos piores textos que li aqui até agora. Uma vergonha pro site do ilisp. Selecionem melhor on que publicam. E viva a liberdade de expressão que me deu desprazer de ler isso.

      • Exatamente!

        Tudo para a esquerda, é motivo de politizar…
        DEsde a pobreza causada pelo Estado, passando pelas mâes de familia, que GOSTAM de serem mâes de familia(recatadas e do lar), a até, o sexo do individuo(dizem que se nasce sem sexo heim! ).

        A esquerda é o câncer da nação!
        Em tudo, eles querem promover o ódio, a divisão, as contendas, ao invés de nos unir-mos para resolver todos nosso problemas, entre eles, a corrupção!

  2. É uma briga de narrativas que valha-me Deus. Agora, entre esquerda e direita é bom lembrar que mesmo que a primeira não estivesse correta (e está, sem tomar para si luta pessoal de ninguém), a segunda é a origem de dos comentários racistas e que destilaram o ódio depois da derrota da moça em Londres.

    A autora cita o episódio de depressão da atleta mas não cita a razão ou os fatos geradores. A própria atleta o fez após a sua vitória. Um pouco mais de honestidade na sua narrativa, cara articulista.

    A direita não deveria nem se sentir no direito de tentar criar uma narrativa para o fato e crer em alguns fenômenos naturais do capitalismo. Existem esportes mais vistos e menos vistos, mais ricos e mais pobres. Assim, pelo próprio impacto midiático do judô, as pessoas irão esquecê-la em uma dupla de meses. Simples assim.

    Agora essa pachorra de dizer que favela é “o símbolo máximo de como um estado grande e interventor na vida das pessoas pode levar ao fracasso” chega a ser escárnio. A favela é exatamente o contrário. É a falta da política pública, a exclusão das pessoas de moradia, de saúde, de educação, de segurança… Não me consta que os melhores colégios queiram abrir unidades em regiões de favela. O mesmo para hospitais. Ou que construtoras empreendam construção de casas populares… É cada uma!

    Mas uma coisa me deixou curioso. A articulista fala em iniciativas pessoais e que só quem glamuriza a favela é quem não passa por lá. Logo, devo concluir que Sra. Vieira tem hábito de frequentar as favelas e tem algum projeto social ou empresa situada por uma? Se for o caso, parabéns. Fala com propriedade de causa e eu realmente devo rever minha opinião, mas se não for… aí fica complicado.

    • Ninguém aqui é de “direita”. Somos liberais. Não sei da onde você tirou que somos racistas. E sim, a favela é o maior exemplo de excesso de estado: CLT que prejudica os mais pobres, guerra às drogas estatal que leva o cartel de drogas a boa parte delas, estado que se arroga o dono de terras que nunca teve e impede o direito de propriedade. E sim, construtoras fazem projetos em comunidades, seu preconceito é que não permite ver isso.

    • Cara, esquece essa pohh@ de DIREITA/ESQUERDA mano!!!!

      Só pra tu entender, como tua mente tá poluída por ideologias e discurso de ódio de classes, vc deveria entender de uma vez, que, mais de 70% dos Brasileiros sequer sabem o que é DIREITA.

      Sequer sabem o que é comunismo, ou fascismo…

      Esses ‘cunhos’, são disseminados pelos populistas, que, vêem na divisão entre irmãos, uma oportunidade de se aproveitarem, para se promoverem…

      O PROBLEMA DO BRASIL, não é a ‘direita’, ou ‘esquerda’!
      É o ESTADO.
      É a corrupção!
      São os que se aproveitam das brechas amparadas no ESTADO, GRANDE, INEFICIENTE, uma chance de se ganharem!

      O nosso inimigo, não é o direitista, ou o esquerdista, são, sim, os estadistas, que promovem a luta de estratos sociais, em nome de um projeto ideologico…

      Nosso inimigo, é o Estado.
      Se enfraquecemos o Estado, automaticamente, enfraquecemos a corrupção no Estado.
      Se enfraquecemos a corrupção no Estado, enfraquecemos imediatamente os corruptos!
      Se enfraquecemos os corruptos, automaticamente, criamos condições para as pessoas serem LIVRES, tanto, politica,economicamente, e INDIVIDUALMENTE …

      Com liberdade de escolher, liberdade de serem LGBT, ou, religiosas, ou ateias, ou o que elas quiserem!

      Tem-se que criar a mentalidade , ou melhor, A CULTURA, de que:

      “A escolha do meu companheiro, é total e exclusivamente dele, pois ele é livre para tal, desde que não atrapalhe a minha vida!”

      SIMPLES ASSIM!!!!

  3. Que saco essa briga de acusação entre direita e esquerda! As pessoas que fazem essas matérias sempre se aproveitam de situações como essas. Deixem a garota curtir!
    As circunstâncias públicas e ou privadas não importam neste caso! O MÉRITO É SÓ DELA!

    • BOA!

      Tem-se que acabar com essa mentalidade Estadista.
      De que tudo tem que ser ‘Ou é por mim, ou é contra mim!’

      ‘Ou é de esquerda, ou é de direita!’

      Que ignorância !!!

  4. Rafaela Silva, o Ouro Negro Nacional.

    Quando a garra e a determinação conseguem vencer a pobreza e a falta de apoio institucional.

    O Brasil passa por um dos momentos mais difíceis de sua história. A crise política, aliada à crise econômica, tem submetido o povo a um sofrimento desumano. A falta de perspectiva, de esperança, e porque não dizer, de emprego, angustiam e maltratam muitas famílias brasileiras.

    Estas dificuldades tem tirado um pouco do brilho de um dos mais importantes e belos eventos esportivos mundiais, as Olimpíadas.

    É lindo ver os melhores atletas do planeta competindo entre si na busca da superação de seus limites individuais. O esporte desempenha um papel fundamental na construção de uma sociedade mais digna, justa e livre.

    Por alguns segundos, minutos ou até mesmo horas de disputa, tudo se iguala. Não importa a quantidade de melanina da pele dos adversários, muito menos o poderio econômico e militar dos países que eles representam, naquele momento mágico, tudo se iguala e se equivale.

    O mérito é valorizado em toda a sua magnitude. Todo o esforço de anos de treinamento intenso e de dedicação serão colocados à prova naquele momento.Na realidade, todo verdadeiro atleta sabe que a verdadeira batalha é travada dentro de sua alma.

    Dores, angústias, dificuldades e medos, são anulados pela onda de adrenalina que invade as veias e as artérias destes atletas, inundando seus músculos, seus órgãos vitais e seus cérebros, transformando-os, de simples mortais, em deuses do Olimpo.

    Talvez seja difícil para uma pessoa comum, não atleta, compreender o valor simbólico de uma boa colocação no pódio.

    Minutos de êxtase e glória podem parecer pequenos frente a tantos sacrifícios pessoais.

    Perguntem para a nossa medalhista olímpica Rafaela Silva, que ganhou ontem, dia 08/08/16, a medalha de ouro no judô feminino até 57 kg, o que esta medalha significa para ela.

    Perguntem se valeu à pena cada gota de suor que encharcou o seu quimono, nas intermináveis horas de treino, ou cada gota de lágrima que escorreu de seus olhos nos momentos mais difíceis do caminho que antecederam está linda vitória. Perguntem e se surpreenderão com a resposta.

    Ontem, presenciamos um dos momentos mais belos do esporte mundial. Uma menina negra, descabelada, com os olhos cheios de coragem e determinação, derrubou uma à uma suas adversárias no tatame, conquistando a medalha de ouro olímpica em sua categoria.

    No final da disputa, e ainda atordoada com a grande conquista, mostrou o seu respeito, a sua consideração e humildade, ao correr em direção a seu mestre, abraçando-o, dividindo com ele aquela grande vitória.

    Parabéns, Rafaela Silva, você merece o nosso respeito e a nossa admiração. Compreendemos que os seus maiores adversários estão longe do tatame onde você trava, travou e travará as suas batalhas.

    Sabemos que os seus maiores adversários são aquelas pessoas que nenhum apoio lhe ofereceu quando você mais precisava, e que agora, se posicionam ao seu lado, para poder usufruir do brilho áureo de sua linda belíssima medalha olímpica.

    Parabéns, você representa, com dignidade, todos aqueles atletas brasileiros que trabalham como garçom, pedreiros, garis, militares e tantas outras dignas profissões, por esse Brasil à fora, e que treinam nas horas vagas, sem nenhum apoio governamental, lutando bravamente para colocar o nosso pais em uma boa colocação no pódio.

    Sabemos que este país não se importou com as dificuldades e com o sofrimento de cada um de vocês, apesar de triste, isso valoriza ainda mais esta linda conquista.

    Parabéns, nós sabemos que essa medalha vale muito mais que o “simples ouro” que ela representa. Nós sabemos, que sangue e suor fazem parte das ligações químicas moleculares desta tão significativa medalha. Parabéns, sentimos muito orgulho de você(s).

  5. “As favelas são o símbolo máximo de como um estado grande e interventor na vida das pessoas pode levar ao fracasso.”

    Eu não li isso, é muita boçalidade pra uma sentença só.

    • Óh jovem, intelectual, dono de toda ciência, verdade e sabedoria humana, que tudo opina e de tudo entende …

      Me diga somente 1 país, , onde haja setor privado atuante, independente, empreendedorismo, e Estado pouco burocrata e intervencionista, que tenha ‘favelões’, desigualdade elevada de renda, alta criminalidade, e ‘injustiça’…

      SOMENTE 1 !!!!

      Me diga, SOMENTE 1 único país na existência, na história, que onde o Estado é somente o necessário, que seja um país como o Brasil, com uma desigualdade abismal !!!

      Um país onde as pessoas tenham a oportunidade de empreender e crescer na vida, para ser país de desigualdades quase ‘extremas’ como no Brasil…
      Diz ai!!!
      Só 1!

      • Digo a você também, ó criatura informada, que toda desigualdade social tem justificativa histórica. Os países ricos da atualidade o são devido a um histórico de escravização e exploração de outros povos. O que justifica essa condição não é a pouca interferência do Estado. Mesmo porque a privatização não traz qualquer benefício para o “povo”. Quero agora que você me diga somente 1 caso de privatização que foi vantajoso. Apenas 1!!

        • Q baboseira!

          A humanidade nunca foi tão rica!

          Nem grandes reis , e imperadores históricos, foram tão ricos, e com tal qualidade de vida, quanto um pobre de hoje em dia, que vive de salário mínimo!

          Cada país, só fica rico, com estímulos ao empreendedorismo, ao desenvolvimento nacional, com capital estrangeiro, criando condições para que RIQUEZA seja produzida.

          Diferente do tempo dos Impérios, onde um império invadia outro pela guerra, e roubava a riqueza da nação vencida! Numa espécie de vassalagem, de exploração.

          Atualmente, não existem guerras, e ninguém precisa tomar riqueza de ninguém!
          Todos podem enriquecer, graças ao liberalismo, que, propicia melhorias TODOS, graças ao aumento da produção(produtividade.
          Em seguida a isso, vindo a redistribuição, na forma de vagas de emprego, salários, e maior oferta de produtos e serviços, com preços menores, e em quantidades sempre maiores.
          EX: Comida(agricultura,pecuária,industrializados), principalmente, devido avanços tecnológicos…

          NUNCA na história, se produziu tanta comida, e nunca também, se demandou tanta comida no mundo! Tudo graças ao aumento da produtividade e crescimento populacional!

          SE, essa ‘fuleragem’ de exploração fosse verdadeira, todos viveríamos na miséria, visto, que a riqueza seria sempre a mesma, com uma população sempre crescente, para dividi-la….

          A HUMANIDADE NUNCA FOI TÃO PRÓSPERA!!
          Veja os dados do PMB-PRODUÇÃO MUNDIAL BRUTA (Valor de riquezas em Bilhões de $):

          https://pt.wikipedia.org/wiki/Produto_mundial_bruto#Tend.C3.AAncias_hist.C3.B3ricas_e_pr.C3.A9-hist.C3.B3ricas

          ATUALMENTE, existe cerca de 50 TRILHÕES DE DÓLARES em riquezas no mundo! O maior valor da história !!!

          No tempo dos impérios, nota-se que, a riqueza nunca aumentava, sempre foi a mesma em séculos ! (OLHE A TABELA!!!)

          Isso comprova a tese de exploração, já que um império vinha, fazia guerra, derrotava o inimigo, e tomava suas riquezas, até que surgisse outro império mais forte, e o derrotasse e tomasse sua concentração de riqueza.

        • Essa tese fajuta, de exploração, da esquerda comunista, não é mais valido!
          O tempo dos impérios já passou!
          Riqueza sempre é produzida, após a revolução industrial!
          Ninguém mais, precisa perder, para outro poder ganhar!
          MUITOS, podem ter MUITO, graças ao aumento da produção da riqueza.

          EX:
          NUNCA, que um grande imperador Romano, por exemplo, imaginaria ter acesso em grande abundancia e variado de comida, e recursos, como nós temos…

          Nunca, que um grande imperador Persa, teria acesso abundante a produtos e serviços, BARATOS, e em grande quantidade, como temos hoje.

          Hoje em dia, quem trabalha, por exemplo, pode ter um ou mais, celulares, ou, um computador; coisas, que antigamente, era luxo, coisa pra rico.
          Algo caríssimo, que poucos tinham acesso.

          Hoje em dia, todos podem ter acesso a isso, já que é bem mais barato, e só ficou mais barato, graças a produtividade(produção desses bens), que reduziu o preço devido o aumento da oferta e redução do custo de produção!

          VIVA O CAPITALISMO! Que só melhora a vida das pessoas!!!

        • “1 Caso de privatização que foi vantajosa para ‘o povo’. “:

          Sistema de telecomunicações Brasileiro…

          Antes de ser privatizado, devido ao monopólio estatal, não havia motivos, para o Estado fornecer um bom serviço, mais barato, ou, em maior quantidade para a população Brasileira… Não havia nem mesmo, a necessidade do Estado, fazer a estatal ter lucro. Pouco importava, se havia défict (GASTOS superiores ao lucro), que nem acontecia com a Petrobras, até um tempo atrás…

          Meu avô conta, que, na antiga TELEMAR, (uma ex-estatal, atual OI), que foi privatizada, ele pagava nos anos 94, quase R$ 1000 pela linha…
          E para se ter esse serviço, além de ser um serviço caríssimo, para poucos a época, tinha-se que esperar numa lista de espera imensa, visto, que, devido limitações em infraestrutura, não era qualquer lugar que tinha o acesso…

          APÓS a privatização dessas estatais, os empresários que os compraram, pretendendo obter lucros(o lucro malvadão) , deram um jeito de aumentar o número de clientes(portanto, pagantes), por esse serviço, investindo em aumento da infraestrutura, consequente, reduzindo o custo de se ter esse serviço, aumentando assim, a quantidade de clientes atendidos devido o barateamento. Ou seja, mais pessoas puderam ter acesso a uma linha telefônica, com um preço bem mais barato!

          RESPONDIDO SEU QUESTIONAMENTO!

          ANTES, para se ter muita coisa, era preciso ser rico!
          Hoje em dia, certas coisas, baratearam tanto, que, qualquer um pode ter!

          VIVA O CAPITALISMO!

  6. Escrevi um ensaio sobre como o fenômeno da glamourização da pobreza e da ignorância (que sempre existiu no Brasil mas foi alçado à condição de pensamento político quando um candidato semi alfabetizado conseguiu se eleger presidente) tem contribuído para pintar a favela como um paraíso no imaginário popular.

    A espinha dorsal do meu texto é o que eu chamo de culto à favela, materializado na profusão interminável de referências a ela na cultura pop nos últimos anos (novelas onde o enredo se passa em favelas, “cantores” de funk fazendo muito sucesso, jogadores de futebol que fazem propaganda dela involuntariamente, etc.).

    O esforço de angelizar a imagem de locais onde as pessoas estão continuamente submetidas à lei da selva e onde o estado está de joelhos, só pode servir para mascarar o retumbante fracasso de um governo que sempre pautou sua retórica populista no objetivo de tirar as pessoas da pobreza.

    Quando ficou claro que aumentar o tamanho do estado e instituir um sistema nacional de distribuição de esmolas só serviria para perpetuar a condição de mendicância dos mais necessitados, a “elite intelectual” do Brasil resolveu apelar para essa estratégia de exaltação da favela, de modo a manter as pessoas acomodadas e felizes com sua situação, tal qual os ípsilon são ensinados a amar sua servidão em “Brave New Wolrd”, de Aldous Huxley.

    O mais impressionante é a engenhosidade da tática deles: conseguiram converter o evidente despreparo intelectual de Lula e Dilma de uma mancha indelével na imagem do país em uma ferramenta para aproximá-los do populacho ignaro. O culto da favela é o pano de fundo ideal pra isso.

    Se você se interessar: http://minoriadeum.blogspot.com.br/2015/11/a-favela-no-mainstream.html

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here