Por que é impossível ser um socialista de iPhone sem ser hipócrita

Gargalhamos sempre que vemos líderes e militantes socialistas se utilizando de produtos que simbolizam o capitalismo. Tentando transparecer maturidade ideológica, eles respondem ao nosso deboche dizendo que não são contra a produção desses produtos, mas sim a favor de que todas as pessoas tenham acesso a eles.

Algumas vezes escutei o seguinte absurdo: “não sou contra o capitalismo, apenas acho que o governo deve controlar o mercado”.

O uso do iPhone por socialistas é icônico e merece ser dissecado.

Nenhuma tecnologia que levou conforto às massas foi criada e viabilizada a partir de imposições governamentais. Todas as inovações foram resultantes de ambientes criativos formados por pessoas livres o bastante para questionar as coisas que já existem, livres o bastante para pensar o que outras pessoas nunca pensaram, livres o bastante para estabelecerem parcerias com pessoas e empresas de seu interesse; e esta liberdade apavora regimes socialistas porque, invariavelmente, desafia a estrutura e os procedimentos do estado.

Tecnologias necessitam de capital para serem criadas, desenvolvidas e levadas ao público; e esse capital não surge a partir de decretos e leis, como acreditam os socialistas. O capital é construído dispersamente pela sociedade por meio da liberdade que as pessoas têm para negociar umas com as outras o seu tempo, o seu talento e o seu trabalho, por meio da liberdade que as pessoas têm para pensarem em si mesmas e perseguirem recompensas específicas − o que os socialistas chamam de individualismo, na visão deles, a origem de todas as desgraças humanas. É a partir da interação espontânea entre interesses individuais que riquezas são criadas e distribuídas, já que na incapacidade de suprir todas as suas necessidades e todos os seus desejos, as pessoas precisam trocar umas com as outras o fruto de suas especialidades – eu vendo a você o que você não produz, você vende a mim o que eu não produzo. Isso é o capitalismo, enquanto o socialismo é a presunção de que essa troca deve e pode ser organizada pelo estado.

Diante disso, como os socialistas pretendem fazer os frutos do capitalismo chegarem a todas as pessoas se trabalham sistematicamente contra os fundamentos do capitalismo?

Steve Jobs, criado por um casal que mal tinha o 2° grau, não queria tornar o mundo um lugar melhor, nem foi obrigado pelo governo a trabalhar em função dos interesses sociais. Ele apenas viveu e trabalhou em benefício de si mesmo, assim como todos nós, todos os dias.

Steve Jobs entendia que para atingir seus interesses particulares − da sobrevivência à vaidade de ser admirado − suas ideias e seus produtos teriam que atender as necessidades e os desejos de outras pessoas. Para tanto, ele não tinha que apenas desenvolvê-los, mas torná-los melhores do que os produtos feitos por outras empresas, ou seja: o iPhone foi moldado pelo mercado, o ambiente que os socialistas chamam de injusto e opressor.

Para transformar ideias em produtos acessíveis à população, Jobs teve que perseguir o lucro para financiar suas pesquisas. Adotou o princípio de divisão do trabalho, com linhas de montagens e hierarquias produtivas cujos salários não eram pagos em função dos esforços empregados por cada trabalhador, mas sim pela responsabilidade, especialidade e disponibilidade de cada um. Pagando salários diferentes para funções e responsabilidades distintas, Jobs obteve grandes lucros e tornou-se um bilionário, mas sob o raciocínio marxista, Steve Jobs foi apenas um “explorador capitalista”.

E então? Qual socialista de iPhone sente-se desconfortável por contribuir com essa inescrupulosa cadeia de exploração do trabalho humano? Pelo que parece, nenhum.

O que muitos fazem questão de ignorar é que a Apple é consumida mais como grife do que como produto, ou seja, por vaidade. Windows e Android são mais populares, enquanto quem quer algo mais requintado, paga mais caro por produtos Apple.

Todos os recursos mais importantes encontrados num iPhone são encontrados nos smartphones mais baratos, mas, mesmo assim, o iPhone é o produto mais desejado do mercado. E o que sustenta essa demanda é o lucro obtido por centenas de milhões de pessoas no mundo inteiro; e é apenas isso, o lucro, que possibilita que pessoas consumam algo além do que precisam para sobreviver.

Considerando que os socialistas são contra o “excesso de lucro” e que todas as inovações dependem de pesquisas financiadas por recursos provenientes do lucro, como seria definido o lucro justo que cada pessoa e cada empresa poderia obter para financiar suas pesquisas, as quais são processos cheios de imprevistos? Não adianta recorrer à “mais-valia”, esse conceito já foi refutado há 150 anos.

Os iPhones não representam apenas telefones celulares mais caros e bonitos. Eles representam a essência do capitalismo que, ao contrário do socialismo, não é um sistema desenhado e imposto por estados para atingir determinados fins. O capitalismo é um ambiente desenvolvido espontaneamente pela civilização humana ao longo de sua história, permitido em maior ou menor grau por estados; e é a partir desse ambiente que pessoas obtém ou não lucros, que produtos ganham ou não a preferência dos consumidores, que tecnologias são ou não são desenvolvidas, que sociedades conseguem ou não prosperar.

Empreendedores de sucesso surgem em maior número em países mais capitalistas não porque possuem pessoas mais inteligentes, mas porque os indivíduos são mais livres; e é essa liberdade que cria a desigualdade de riqueza, comprovadamente melhor do que a igualdade na pobreza imposta pelas ditaduras socialistas.

Regimes socialistas não conseguem criar produtos de qualidade e tecnologias relevantes simplesmente porque impedem que seus cidadãos empreendam negócios livremente, impondo condições para o sucesso e limites para a prosperidade individual.

Aos socialistas, uma sugestão: não contribuam com a “exploração do trabalho”, nem com o “individualismo”, o lucro e da vaidade. Organizem um grande ato público e queimem seus iPhones! Queimem também suas roupas de grife! Apaguem suas contas de e-mail e seus perfis nas redes sociais! Chega de Google, de Netflix, de cartões de crédito e de tudo mais que esteja enriquecendo as grandes corporações capitalistas! Substituam lâmpadas por velas artesanais e computadores por cadernos de papel! Criem empresas de acordo com as relações de trabalho que vocês tanto defendem e provem ao mundo que a sabedoria que preenche suas mentes e a luz que emana de suas almas são suficientes para criar produtos e serviços melhores e mais baratos do que aqueles oferecidos pelo capitalismo, sem exploração, sem exclusão e sem interesses particulares se sobrepondo aos interesses coletivos!

Socialistas do mundo, desiPhoni-vos!

SHARE
João César de Melo
Artista plástico formado em arquitetura, acredita no libertarianismo como horizonte e no liberalismo como processo, ateu que defende com segurança a cultura judaico-cristã, lê e escreve sobre filosofia política e econômica.

21 COMMENTS

  1. Muito bom o texto. Gostaria de citar tb uma estorinha contada por um professor de história de esquerda: De acordo com ele, Bill Gates e Jobs trabalhavam em um projeto inovador de microcomputadores, e ao concluir o projeto o Gates patenteou tudo em seu nome apenas. Jobs, prejudicado pelo capitalista malvado que era o Bill, teve de criar o Macintosh. Pela forma como ele contava parece que isso era um motivo para querer usar a Apple como bandeira de uma empresa “prejudicada” pelo capitalismo. O quê dessa estorinha é real eu não sei. Mas usar isso como argumento para comprar telefones de 3000$ sem nada demais é dose!

    • Também já ouvi essa história mas nunca com esse viés esquerdista. Caso parecido também ocorreu com os criadores do Facebook, o Zuckerberg e o brasileiro Eduardo Saverin. Algumas coisas negadas pois envolve muito dinheiro. Mas eu já percebi há algum tempo que o Facebook está vermelhinho.

    • Os dois pelo q eu sei n trabalharam juntos no inicio, o maximo de relação de trabalho q os dois tiveram foi no fim dos anos 90 e inicio dos 2000 qnd a microsoft sofria processos de monopolios devido ao Windows cobrir quase todo o mercado e a Apple quase falindo as duas se juntaram para q certos softwares de um e do outro pudessem ser usado nos dois sistemas q culminou no Internet Explorer para mac ate 2003 com atualizações ate 2005,e no Boot Camp q permite um dual boot nos “Macs”, o a unica coisa q os 2 fizeram nos anos 80 foi Sistemas operacionais e Softwares mas sempre em suas empresas e a Apple sempre fez computadores começando em 1976, ja o gates fez o Altair 8800 junto a Paul Allen e a microsoft so começou a fazer seus computadores so apartir de 2012 com o hibirdo surface, resumindo ele inventou uma falacia pra tentar prejudicar o captalismo

  2. pra quem diz, que quem é de esquerda, tem de viver como um socialista, então vc, todo capitalista, viva como um cidadão de uma economia totalmente capitalista:
    . Devolva sua bolsa prouni (pois não é culpa da sociedade que vc não tem dinheiro pra cursar faculdade e que vc não tem capacidade pra passar numa faculdade pública, em termos capitalistas é justo somente o FIES)
    .Não consulte no SUS, pois nos “States” que vc tanto ama, não existe SUS, todos são obrigados , se quiserem ser atendidos, a ter seguro de saúde. Se vc tiver doenças graves como cancer, faça como qualquer americano de classe média: hipoteque sua casa, para financiar o tratamento; e compre remédios, nos “States” não tem farmácias públicas gratuitas; em ultimo caso, entre na fila da caridade, o que lá, é uma humilhação imensa, certificado de q ue vc é um fracassado.
    . Não receba 13 salario, renuncie ao FGTS, PIS, renuncie ao vale transporte do seu trabalho, pois esses direitos não existem la´.
    Viu, assim que vc capitalista convicto viver assim, eu mergulho no meu mundinho “socialista”
    E se vc diz acreditar numa sociedade capitalista com justiça social, vc é um socia democrata, ou seja, de centro esquerda.

    • – Você é obrigado a financiar o ProUni mesmo que não o utilize.
      – O mesmo serve para o SUS. Aliás, o Canadá tem um SUS e o resultado são milhares de canadenses indo para os “States” para ter saúde de qualidade. Aliás, o modelo americano não é o modelo liberal de saúde.
      – Todos esses “direitos” trabalhistas são legalmente obrigatórios, mesmo que o trabalhador recuse e opte por receber mais.
      Algo mais?

    • Só pra complementar o texto do Marcelo Faria. Maria Eva vc está equivocada pq n pode esquecer que no “States” q vc tanto critica por ser capitalista o salário minimo é de 1300$ o suficiente para pagar um plano de saúde particular, comprar comida o suficiente para um mês e ainda guardar uma grana no banco q irá render mais do que o nosso fundo do governo!!!

    • UI! Alguém ficou revoltadinha!!!! Acho que vi um vermelho nas letras dela. Não tem foto no perfil, mas deve ser vermelha!
      – Já acho a bolsa PROUNI uma tremenda sacanagem!!!
      – Pago plano de saúde.
      – Sou empresário e profissional autônomo. Não tenho 13º, FGTS, PIS, DSR, Ferias remuneradas (nem férias tenho). Preciso trabalhar para poder garantir meu sustento e não ficar contando que o contratante me pague. Preciso produzir pra ganhar!
      E mesmo assim não compro IPhone pois acho um puta desperdício de dinheiro. 90% das pessoas que compram Apple, querem comprar o último lançamento e não sabem/conseguem usar 15% do potencial do aparelho. Pra que gastar 3.000,00, 7.000,00 em uma coisa se tem um semelhante que custa 700,00?

    • Maria Eva, você esqueceu de um pequeno mas importantíssimo detalhe… Nós capitalistas, usamos sim os serviços públicos porque PAGAMOS POR ELES ATRAVÉS DE IMPOSTOS! Ao contrário do que você deve acreditar, nós não estamos recebendo nenhum favor do seu querido “deus estado”! Se o estado deixar de me cobrar impostos por seus péssimos serviços, te garanto que paro de usá-los e terei orgulho de pagar por todos eles na iniciativa privada, com concorrência e consequentemente, com preços mais justos e melhor qualidade. O que não farei é ser idiota ao ponto de trabalhar 5 meses por ano para pagar impostos por serviços públicos de péssima qualidade e ainda ficar sem usá-los e ter de pagar de novo para alguma empresa privada fazê-los bem feitos. Todos nós liberais, lutamos para viver num ambiente de livre mercado, mesmo com o estado fazendo de tudo para nos atrapalhar. Bem diferente de vocês, que ESCOLHEM pagar por produtos símbolos do capitalismo e contribuir para a “exploração do trabalho”. Ninguém obriga vocês socialistas a pagar 3 mil reais por um Iphone, vocês pagam porque são hipócritas e incoerentes!

    • Maria Eva, “desgurpa ai” mas o socialismo acaba assim que acaba o dinheiro dos outros…

      1 – Me formei em Ensino Médio, Faculdade de Ponta e MBA ídem com “meu dinheiro”, bancado pelo meu trabalho. Não, meu pai ajudou sendo meu pai, dentro de suas possibilidades e sou devéras grato por isso.

      2 – Nunca precisei recorrer ao SUS e não desejo esse mal a ninguém.

      3 – Sou empregado e também tenho minha empresa. Isso me dá parâmetro de comparação. Essa oneração das empresas em relação ao 13, FGTS, etc… destrói muitos empregos. Sabidamente o estado é incompetente para lidar com recursos alheios e voráz para gastá-los.

      4 – Empresários e criadores de idéias/recursos são essencialmentes capitalistas, preciso mesmo te apresentar algum?

    • “Devolva sua bolsa prouni”
      Devolva meus impostos que sustentam o prouni…

      “Não consulte no SUS”
      Devolva meus impostos que sustentam o SUS…

      “Não receba 13 salario”
      Ok, pedirei no mesmo dia para o meu patrão aumentar o meu salário mensal em 1/12 avos. Ele aceitará pois estará pagando a mesma coisa.

      “renuncie ao FGTS”
      No mesmo dia que permitirem… ou preferes deixar o seu dinheiro rendendo na CEF abaixo da inflação e usado para financiar empreiteras amigas do governo?

      “PIS, renuncie ao vale transporte do seu trabalho, pois esses direitos não existem la”
      Deve ser por isto que há tanto americano querendo vir para cá… SQN

    • Não se esqueça de que TDS esses serviços sociais são pagos pelos cidadãos através de seus impostos, portanto o estado não está fazendo favor algum em retribuir com melhorias para a sociedade.

    • O rapaz cita os direitos trabalhistas como se fossem dádivas de Deus hahahaha. Meu sonho era optar não contribuir para FGTS, e ter direcionados todos esses outros “direitos” direto para meu salário.

    • A questão é que o mercado permite a pessoa escolher entre um iphone e um xiaomi (o que eu uso), mas não permite você escolher entre pagar impostos equivalentes ao que você consome. Você paga, usando ou não. E se você acha que é possível renunciar “direitos trabalhistas” para negociar seu salário, outra vez, está bem enganada. A não ser que siga como PJ, para burlar isso, como muitos fazem.

  3. Você é obrigado a pagar tudo o que imaginar para o estado, porque o imposto é capitalista e socialista. Agora, a redistribuição desse imposto não é capitalista, e sim socialista. Então, quer ser capitalista? Pare de usufruir de tudo o que o governo oferece.

    • Da onde você tirou que “o imposto é capitalista”? Capitalismo significa trocas voluntárias, ter um intermediário no meio que apenas rouba parte do dinheiro não tem *nada* de capitalista.

  4. Desculpe, mas se fulano se diz socialista, tem carro e casa própria e compra Iphone a vista e sicrano q se diz capitalista anda de ônibus, paga aluguel e parcela Alcatel em 1 + 9, fala mal do socialista, a mim me parece q o “capitalista” na verdade é um frustrado. Frustrado por ver alguém q detesta o sistema q ele adora, se dando melhor que ele. O capitalismo não precisa de adoradores, e sim de quem saiba viver nele e seja útil para o sistema. Se vc parte do principio q quem é socialista vivendo num país capitalista não pode “tocar” o q simboliza o sistema, vc necessariamente endossa a tese de quem é pobre não pode ser capitalista, visto q a pobreza é causada pela incompetência do individuo.

  5. Perfeito! Usarei o seu texto em sala de aula com os meus alunos de Introdução à Economia. Precisamos contrapor toda enxurrada “esquerdizante” da academia em nosso país com textos e reflexões inteligentes como a sua, João César de Melo. Detalhe, contrariamente a outros professores universitários, eu procuro passar uma pluralidade de visões de mundo em minhas aulas e não unicamente as que eu defendo, como essa sua. Fiz esta obervação apenas para me precaver de algum possível idiota que venha a comentar que estou doutrinando os meus alunos. Não é verdade. Não gosto de doutrinadores e os piores são os que estão na academia, verdadeiros “lobos em pele de cordeiro”.

  6. As descobertas oriundas das duas guerras mundiais (ambulâncias, GPS, computador, internet, entre diversas outras) foram possíveis graças ao investimento governamental, bem como a NASA nos estados unidos pensando atualmente. Não é só a iniciativa privada que pode fazer descobertas e inventos uma vez que para as grandes descobertas, muitas vezes há um prejuízo garantido ou esperado, como em grande parte do que produz a NASA, quero dizer, se a NASA fosse uma empresa já estaria fechada pois ela não é rentável. Os inventos empresariais são voltados de maneira geral para uma linha de consumo, visando lucro, e não há nada de errado nisso, porém para se ter o iphone foi necessário que o computador fosse descoberto antes, ou seja por uma descoberta oriunda de investimento estatal.

  7. Fiz um Pronatec e antes que digam que foi o “estado que pagou” esse quem pagou foi o Senai! Em 2015 quando o governo resolveu dar o calote no “Sistema S”, eles poderiam tem colocado para fora todos os alunos, mas pelo menos no Senai que estava fazendo eles bancaram mais 6 meses do próprio bolso (demitindo professores) para os alunos não pagar o pato.
    Essa é a maior prova que o estado não funciona. Eles fizeram a mesma coisa com a educação e a saúde e pode ter certeza que foi de propósito, pois afinal, qual nação socialista quer ver o seu povo bem? Vide Venezuela.

LEAVE A REPLY