A farsa do “assédio” de Vin Diesel a Carol Moreira e seu aproveitamento pelas feministas

Um episódio classificado pelo movimento feminista como “assédio” foi divulgado nas últimas horas envolvendo Carol Moreira, Youtuber que estava realizando uma entrevista com o astro da franquia “Velozes e Furiosos”, Vin Diesel, e supostamente foi “assediada” por ele.

Neste vídeo, o ator faz diversos comentários a respeito da aparência da entrevistadora e chega a interromper a entrevista algumas vezes. Segundo Carol Moreira, “na hora eu não soube reagir, mas vocês vão ver que eu estava desconfortável, que não foi legal, que ele interrompeu o meu trabalho”

Entretanto, no mesmo evento onde entrevistou Vin Diesel, a Comic Con Experience, Carol Moreira participou de um painel onde entrevistou o ator Jason Momoa, que participa da série “Game of Thrones”. No meio do painel, o ator a convidou para sentar em seu colo e a Youtuber prontamente atendeu ao pedido, se mostrando bem feliz por estar vivendo aquela situação com o ator. A plateia foi à loucura naquele momento. Confira (a partir de 5 minutos e 10 segundos do vídeo):

A Youtuber tem todo o direito de se sentir constrangida diante aos galanteios fora de hora de Vin Diesel, mas por que ouvir cantadas fora de hora é “desconfortável” e “inconveniente”, mas sentar no colo de outro ator na frente de milhares de pessoas no mesmo evento foi apenas um “momento surreal”? Ser convidada a sentar no colo de quem você está entrevistando se encaixa bem mais em “assédio” do que ouvir que você é incrivelmente linda. Aliás, Carol se “incomodou” tanto com Vin Diesel e Jason Momoa que postou fotos com eles em seu Instagram (apagadas depois da polêmica):

Carol Moreira se “incomodando” com o “assédio” de Jason Momoa no palco. Imagem do próprio perfil da Youtuber (posteriormente apagada).
Carol Moreira se “incomodando” com o “assédio” de Vin Diesel na entrevista. Imagem do próprio perfil da Youtuber (posteriormente apagada).
Carol Moreira comemorou o “assédio” em seu Twitter após a entrevista
Carol Moreira admitindo que apagou as fotos (e os Tweets depois) para não ler algumas verdades

Enquanto o movimento feminista continua querendo enquadrar qualquer coisa como assédio, as verdadeiras vítimas são cada vez mais desacreditadas e diminuídas, afinal, quem vai levar a sério uma mulher que foi realmente assediada quando até cantadas passam a ser consideradas assédio?

53 COMENTÁRIOS

  1. Vanessa, apesar da tua graduação ser em uma área diferente, vc executa um excelente jornalismo. Parabéns pra vc e que terrível trabalho dessa moça horrorosa que quando acha um bonito, aceita tudo, quando acha outro “feio”, o fato dele apenas elogiar, e não tocar nem exigir nada dela, ela rejeita! Que Feminazi sedenta por mídia e atenção, de atitude horrível e um péssimo trabalho essa carol

  2. Que desnecessário, ele pode ter atrapalhado um pouco, mas cara, foi pra descontrair e dizer o quanto ela é bonita, ele não disse nada desrespeitoso ali, que mal tem nisso? Na minha opinião isso não foi assédio.
    Agr, ela ficar brava pq ele atrapalhou a entrevista até meio que entendo, mesmo assim não é motivo pra mimimi, o cara não é um robô e aquilo não era um interrogatório.

  3. Parabens pela coragem Vanessa, eu apoio todo o empoderamento da mulher e a igualdade de gêneros, ao assistir o vídeo da Carol Moreira não vi nada ( Alem de um Vin Diesel um pouco alterado ), que faltasse com o respeito.

    O fato que me pareceu constrangedor foi o episódio com o Jason Mamoa, mastudo bem ela consentiu, mas quem elegeu ou deu o poder para Carol Moreira delimitar o que é ou não assédio ?

    Carol que não é boba nem nada já foi ao Site do IG dizer que ela nunca falou em assédio, foi a única personagem da web ao conseguir uma entrevista com Vin Diesel devido a sua proximidade com o Omelete e com Érico Borgo.

    Carol em sua ânsia de se tornar Kefera usa um tema importante e delicado, tira a atenção de casos sérios como o de Débora que foi assassinada e violentada brutalmente em um bar na Mooca, e o pior as feministas ainda a apoiam.

    • Concordo, achei o episódio com o Jason Mamoa bem mais constrangedor e havia toda uma “pressão” da plateia para que ela sentasse no “trono” dele.

  4. Vanessa Parabens pela postagem, existe uma relação antagônica de Carol Moreira e em minha singela opinião ela se aproveita de um tema delicado, para fazer marketing pessoal.Carol imagina que a seu Bel Prazer pode indicar o que acha atitudes machistas ou não, parece me explícito que mesmo que tenha o consentimento a situação com Jason Mamoa parece mais constrangedora, entretanto em tempos de web, ela já está colhendo seus frutos ao IG Gente ela já afirma que em momento nenhum foi assedio, que ela a sentiu apenas ” incomodada “, situações como esta mascaram a verdadeira violência vivida diariamente pelas mulheres, deixa feministas sérias que lutam pela igualdade de gênero em constrangimento,elegemos heróis errados para suas causas.Carol Moreira nunca foi uma boa entrevistadora basta ver seus trabalhos no Omelete e em seu canal, na ânsia de virar Kefera ela tocou e um tema delicado não dando a seriedade que ele merece.

  5. Não não, só ficou depois reclamando de machismo, de que não havia sororidade entre as mulheres, e todo esse mimimi feminazi. Se teve alguém que se aproveitou da situação foi ela mesma, se vitimizando e transformando uma “situação desconfortável” em algo maior do que realmente era.

  6. Porra tá de sacanagem?!?!
    Agora o assédio tem grau?!?! E tbm é seletivo?!?!
    Só serei a favor do feminismo no dia que uma dessas feminazis, forem carregar deacarregar um caminhão de sacos de cimento.
    Homem que apóia esse tipo de movimento pra mim ou é homossexual ou tá achando que vai comer alguém agradando essas mulheres.

  7. Na boa o que Vin Diesel e Jason Momoa viram nela?
    Muita gente vê esses “You Tuber” com a esperança de ver algo fora do padrão tradicional da mídia.
    Agora se continuar desse jeito vai acabar virando uma moda passageira como a macarena.

  8. Justamente, se o cara é bonitão, blz, não é assédio é paquera, se o cara é feio, é um absurdo!, Desde já, não digo que mulheres sofrem assédio, mas que a descrição disso tudo está me deixando meio bugado!

  9. Primeiramente, ela não disse que sofreu assédio, quem disse isso foi a mídia e as feminazis aproveitando da situação. Segundo, não existe “assédio consensual”, se ela aceitou sentar no colo de álguem por livre vontade isso não pode ser considerado assédio. Logo é um espantalho!
    A única coisa que ela disse foi que se sentiu desconfortável, ela não disse merda nenhuma sobre assédio, esse mimimi que a direitateen gerou em torno da moça, se baseia na interpretação da esquerda e não da mesma, estão crucificando a moça por algo que ela não disse.
    E o fato dela ter sentado no colo de outra pessoa não significa que ela seja obrigada a “sentar no colo” de outros…
    O fato de você ter beijado homem A, não significa obrigação em beijar homem B, ou que você seja “hipócrita” em se recusar a beijar outros homens…
    A direita se comportou como uma verdadeira jihad!

    • Então quer dizer que o assédio é o que a mulher quer que seja assédio de acordo com a pessoa em questão que está passando a cantada? Se eu gosto do cara então tudo bem, se eu não gosto ele está cometendo um crime? rs

      • Exatamente, a Lei dispõe assim. Há necessidade de resistência! Em analogia, apenas para explicar: se você quiser dar um objeto de presente para alguém está tudo certo, agora se alguém te obriga a dar alguma coisa, pode ser considerado, furto, roubo, extorsão, a depender das circunstâncias. Então, para o direito o consenso e a resistência são fatos que podem sim caracterizar ou não um crime.

        • Lei? está louco, jovem! Qual lei dispõe acerca de “assédio”? Kkkkkkkkkk – O Código Penal possui 361 artigos; temos cerca de 121 leis penais extravagantes, qual que possui essa figura do “assédio” exigindo NECESSIDADE DE RESISTÊNCIA?? – Não viaja, fico perplexo pela capacidade desse povo da internet em querer saber direito penal :[

        • Que ideia de planeta é esse que vc vive, márcio? Essa lei não existe.
          Se o mundo fosse isso que os homens não podem fazer cantada ou elogio por haver o medo de que a pessoa possa não gostar dele. E se no menor fato de não ir com a sua cara, essa pessoa possa te acusar de assedio, por se meter a besta. Essa equação levaria a humanidade a extinção, e nos seus últimos dias haveria homens travados, sem sociabilidade alguma com o sexo oposto. Não os culparia de buscarem amor nos braços de outro homem do que enfrentar uma prisão se mexer com a mulher errada que só quer sentar colo de um Khal Drogo.

      • Ele deu cantada sim, mas estava literalmente bêbado ou drogado, dá pra ver isso nos videos da entrevista. Não o exime da culpa, mas se estivesse em condições normais ele não o faria, já vi entrevistas do Vin com pessoas, vamos dizer, com características mais atrativas e ele foi super profissional.

      • Não foi no mesmo evento. Ela sentou no colo do Momoa na CCXP de 2014. E ela não falou que foi assédio, só disse que ele atrapalhou a entrevista e ela se sentiu desconfortável e não soube como reagir, foi machismo por que ele ficou forçando a barra. E a assessoria de imprensa dele poderia muito bem ter dado uns toques pra ele ficar de boa e parar com a “brincadeira”.

          • O que ela sabia ou não sabia não interessa. É problema dela.
            Ela estava lá para entrevistar um profissional. Ele ultrapassou a linha do profissionalismo, cantando ela. Ela disse que não se sentiu confortável. Ponto final. Não interessa o que ela já fez antes ou vai fazer depois.
            Não sei pra quê essa repercussão inútil em torno do caso. Nem ela disse que foi assédio!
            Só disse que ficou desconfortável.
            Você, como mulher jornalista, está apenas ajudando a expor uma companheira de profissão.

          • O que é mais triste e o oportunismo e Carol Moreira logo após a entrevista ela postou fotos aos beijos com Vin Diesel demorou duas semanas para entender que ele não foi “profissional “, numa entrevista que so conseguiu por sua proximidade com o Omelete e Érico Borgo, foi tendenciosa na edição é cabeça do Vídeo.Conseguiu o que queria fama Internacional as custas de um tema delicado.Enquanto isso no Brasil Débora foi assassinada na Mooca covardemente, qual notícia você acha que teve mais repercussão?

      • Exatamente.
        Vanessa, se não fosse assim, a partir do momento que vc diz “sim” para um homem, vc tem que dizer para todos.
        É preciso separar as coisas.
        Não achei assédio, achei um pouco sem noção, achei que a mídia exagerou e usou isso pq está mesmo sem assunto…
        O que não consigo entender, é que usem esse argumento que vc está usando, de que, se ela não achou desagradável, sentar no colo do outro, não deveria se incomodar com o Vin Diesel.

        • O primeiro ponto é que ela estava em momento de trabalho, logo, a postura foi errada em ambos os casos.

          Segundo, ela não se incomodou com o Vin Diesel, porque quem se incomoda com algo desse tipo não comemora o sucesso da entrevista no twitter e muito menos tira foto ganhando um cheiro do “assediador”, com direito a legenda dizendo que ele “a amou”. Onde é que isso é incômodo com a postura dele? Ela teria todo o direito de se incomodar, o problema é que ela veio com essa conversa depois de ter uma postura bem diferente de alguém que se sentiu “constrangida”.

          • Perfeito! Concordo com tudo que vc disse, só não concordo com aquele argumento que comentei.
            A discussão é invalidada quando se usa um argumento desses, entende?
            A razão da discussão perde o sentido e passamos a discutir essa ideia, que está enraizada, lá no fundinho, de que eu não posso recusar B, se eu acetei “bem gostoso” A e C.

          • Se ela tem o costume de se envolver com certo tipo de “brincadeiras” durante o momento do trabalho, inclusive algumas bem pesadas, não faz sentido algum sair reclamando do que ocorreu duas semanas depois do fato e depois de demonstrar nas redes sociais o quanto aquele encontro com o ator em questão foi satisfatório.. Ou você tem uma postura onde não aceita esse tipo de coisa ou aprende a lidar e ter jogo de cintura quando alguém supostamente te incomoda sem apelar pra vitimismo. Não estamos falando de uma balada onde ela quis beijar um e não quis beijar outro, e sim de postura durante momento de trabalho.

          • Continuo concordando com vc e discordando do argumento.

            Não importa se é balada ou trabalho, não importa a tua postura.
            A tua postura ou comportamento, não dá o direito de ser assediada.

            Não, eu não acho que o Vin Diesel assediou a moça.
            Sim, eu acho que ela está sendo oportunista, assim como todo mundo que está usando o assunto como pauta.

            E não, eu continuo não concordando com o argumento.

          • Claro, que uma pessoa assediada posta selfie com o assediador. Tá certo, Fabiana.

    • Ué, mas então por que ela apagou as fotos em que estava toda feliz com o Vin Diesel? Ela só percebeu o assédio duas semanas depois quando subiu o vídeo no YouTube?
      Ela deixa bem claro que as investidas atrapalharam a entrevista, era hora de trabalho. Mas o Jason Momoa a chamou para sentar no colo dele exatamente durante entrevista, na hora do trabalho. Aí não atrapalha? Dois pesos e duas medidas? Qual vai configurar crime???

    • entao quer dizer que, se uma mulher apanha do homem b e diz que foi assédio e apanha do homem A que é o marido dela ela diz que nao foi então nao foi assédio?
      voces são uns pnc mesmo véi, pqp… que geração de retardado fresco!

    • Ela não disse diretamente, mas não precisa ser gênio pra chegar a essa conclusão.
      Fora isso, no âmbito profissional:
      1 – Ela se mostrou imatura pra lidar com com situações assim, a qual a meu ver foi bem tranquila e não ofereceu perigo real algum à integridade física e/ou psicológica dela;
      2 – A edição poderia ter suprimido tranquilamente o que para o público não interessa, afinal, em tese o que importa é o aspecto profissional da entrevista e não o pessoal;
      3 – Alguém viu ela sendo coagida, perseguida ou constrangida sucessivas vezes sob ameaça?

      Ele:
      1 – Eu vi um ogro… digo, um cara, extremamente encantado com a beleza alheia quebrando o protocolo de astro do cinema e se expressando como o Groot que ele é;
      2 – Poderia ter esperado o fim da entrevista pra galantear a menina ou pedir o contato dela pra assessoria dele, se fosse o caso. Mas faltou com respeito? Não mesmo!

      Os conceitos de crimes e violência sexuais andam meio bagunçado ultimamente, fora o oportunismo em querer se promover.

      • Rapaz, a EDIÇÃO foi a primeira coisa que pensei. Se a entrevista é sobre o filme, então era só ter cortado as partes que não interessavam, que no caso foram as partes que Vin Diesel “assedia” ela. Pra mim foi exatamente oportunismo.

    • Cê tem problemas mentais?
      Vai nas páginas dela oficial e veja com os próprio olhos os posts que ela fala que sofre assédio e que se sentiu constrangida.

      É retardo mesmo, coitado!

    • kkkkkkkkk se ela ficou incomodada termina a entrevista. Ela não estaria errada se fizesse.
      Caso ela tivesse experiência em entrevistar poderia ter levado isso na brincadeira, até tirado vantagem e deixado ele sem graça.
      – Mesmo sendo famoso, vc não faz meu tipo triple X. kkkkkk
      Já bastava pra gerar risos, acabar com o barato dele e não perder a dinâmica da entrevista.

      E convenhamos que a entrevista estava uma bosta, tanto da parte do Vin Diesel, quando por parte da Carol. Essa repercussão de um suposto assedio é o que tem pra falar da entrevista e o que da views pra garota.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here