Filme brasileiro que custou 1,2 milhão dos pagadores de impostos foi assistido por 2720 pessoas

Em mais uma amostra de como o cinema brasileiro vive às custas do dinheiro dos pagadores de impostos e não tem a menor preocupação com o público que levará aos cinemas, o documentário “Menino 23 – Infâncias Perdidas no Brasil” captou 1,2 milhão de reais dos pagadores de impostos brasileiros por meio da lei de Audiovisual e ainda pode obter mais 1 milhão de reais para realizar um filme que não possui qualquer demanda pelo público: ficando apenas duas semanas em cartaz, o filme levou apenas 2720 pessoas aos cinemas.

A Lei do Audiovisual funciona por meio da “renúncia fiscal” de impostos que seriam pagos pelas empresas mas que são destinados a projetos selecionados pela Ancine, num modelo similar à Lei Rouanet. Na medida em que tais impostos já foram pagos pelos consumidores nos produtos e serviços consumidos destas empresas, se trata, na prática, de dinheiro dos pagadores de impostos destinado aos projetos de amigos do estado.

O documentário contou com a coprodução da Globo Filmes e leva o logo do canal de jornalismo das Organizações Globo, o GloboNews. Além disso, constam como únicos patrocinadores do documentário os bancos estatais BNDES e BRDE.

12 COMENTÁRIOS

  1. A escravidao legalizada que vive hoje o brasil..como alguem pode dizer que uma pessoa que ganha salario minimo e obrigado atraves de inpostos que sao cobrado em tudo que compra a financiar isso ..enquato ele e a familha dele passa fome e nessecidades basicas com a escravidao moderna e legalizada de hoje que e de trabalhar pra ganhar o salario minimo pode luxar financiando filme enquanto passa fome …muito bonito defender um filme desse …se fosse cobrado so de quem pode ou quer ai sim seria correto …mas inposto todos pagam poque sao obrigados. Mesmo os que ganha salario minimo sao obrigados a pagar …tirando de sua propia boca pra pagar ..para financiar filmes enquato ele passa fome …assistindo o fime .isso e uma maravilha nesse brasil ..e incrivel que ainda tem defessor disso …claro nunca passou um mes apenas com um salario minimo .faca um teste e duvido que vc vai querer que seus impostos vai pra isso …financiar filmes.

  2. Vão dizer que Globo Filmes não pode bancar o longa? Ou é mais interessante usar dinheiro dos outros? “O Fisco é que deixou de arrecadar”, sim, e de quem o Fisco vai cobrar o prejuízo?

  3. eu concordo com vc está mamata faz com que esses cienastas façam filmes sem demanda nenhuma, aposto que até quem defende esse absurdo não foi assistir

  4. Interessante. Eu não posso ser contra a lei que financia indiretamente esses filmes com dinheiro público, senão serei taxado de escravagista e apoiador de ditaduras? Faça-me o favor… Esse filme não faz nada de concreto, a não ser enriquecer os produtores, mesmo sem bilheteria.

  5. Como assim “dinheiro alheio”? O dinheiro é DAS EMPRESAS QUE PATROCINARAM o projeto — e compensaram essa doação com a dívida de imposto de renda que elas mesmas, COM O DINHEIRO DELAS, iam pagar.

    Nenhum outro contribuinte perdeu um tostão. O Fisco é que deixou de arrecadar.

    Se você acha que o dinheiro DAS DOADORAS pertence ao resto dos contribuintes, então você no fundo acredita que o Fisco somos nós. Veja o que disse o Bruno Garschagen sobre a Lei Rouanet: https://brunogarschagen.blogspot.com.br/2009/08/lei-rouanet-deixem-me-pagar-por-aquilo.html

    • E o dinheiro “das empresas” que iria ser destinado para pagar impostos veio de onde, do céu? Ou foi cobrado de seus consumidores?

  6. Não podemos confundir obra de arte com produto à venda. Nem sempre o cinema dá público e bilheteria. Grandes mestres da sétima arte já amargaram com pouca audiência. É um erro confundir qualidade com vendagem. MENINO 23 trata de nossas feridas e de nossos males, como foi a escravidão ou a ditadura militar. MENINO 23 é um filme necessário. E a prova disso é quando nos tentam calar por dizer o óbvio. Ninguém é liberal se não é livre pra ouvir opiniões contrárias – print neles!

    • O cinema é um produto como outro qualquer. Se não dá público ou lucro (por falta de demanda), não tem que existir, como qualquer outro produto ou serviço. Se o filme é tão necessário assim, que seja feito com recursos privados.

  7. Menino 23 é um filme maravilhoso, que expõe o quanto já fomos cruéis com nossas crianças e, por isso mesmo, estivemos muito próximos do nazismo. A notícia deveria LAMENTAR que houve pouco público, porque Menino 23 é um filme NECESSÁRIO, pois só seremos um grande país quando conseguirmos rever nossos erros do passado, como o escravagismo, a ditadura militar etc.

    • NECESSÁRIO é comer. Um filme que custou mais de R$ 440,00 por pessoa que o assistiu não exatamente algo necessário.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here