Filme com youtuber Kéfera captou 3 milhões de reais via lei similar à Rouanet

A comédia “É Fada”, com a youtuber Kéfera como atriz principal, foi mais um dos filmes que captou dinheiro dos pagadores de impostos para ser realizado. Assim como o filme do Porta dos Fundos, que captou 3,5 milhões de reais, o filme com Kéfera captou 3 milhões de reais por meio da Lei de Audiovisual, uma lei de renúncia fiscal com a mesma lógica da Lei Rouanet.

Nesta modalidade de financiamento, os brasileiros pagam seus impostos ao comprar um produto ou serviço de uma empresa, mas ao invés destes serem destinados ao Tesouro, são enviados pelas empresas para projetos “autorizados” pelo governo a captar esses recursos.

Mesmo tendo Kéfera – que possui mais de dez milhões de seguidores no Youtube e poderia ajudar a captar recursos totalmente privados para a obra – no papel principal, a produtora do filme optou por utilizar o dinheiro de milhões de pagadores de impostos brasileiros para realizar o filme.

Vaquinha O ILISP tem atuado contra a legalização do aborto e em defesa do direito à vida no STF. Para custear a causa, lançamos uma vaquinha. Os interessados em nos ajudar podem fazê-lo por meio do botão abaixo:

23 COMENTÁRIOS

  1. Eu, tenho uma certeza é, quero acreditar nela.
    Apartir de 1 de Dezembro de 2018 estas mamatas, liberação de dinheiro público da maneira que vem sendo para financiar atores, cantores e o pior, manifestações onde destroem o patrimônio público e privado vão acabar.
    Antes não tinha esta mamata e os filmes eram feitos, exemplo dos filmes do Mazzaropi e Teixeirinha e outros semelhante, sem nenhuma tecnologia fizeram sucesso, o problema que este valor já é subfaturados e vai para as famosas proprinas.
    Talvez tenha sempre existido mas, nos últimos governos, a farra da propina se espalhou em todos os setores e virou rotina sem medo.
    É como eu vejo, triste realidade.
    Os caminhoneiros já mostraram seu poder, o dia que o povo mostrar o seu, termina a farra política, foram às ruas mas, o Brasil não parou, se tivessem apoiado os caminhoneiros, aí sim, o Brasil tinha parado e nem o presidente com exército tinha conseguido parar eles.

  2. Eu, tenho uma certeza é, quero acreditar nela.
    Apartir de 1 de Dezembro de 2018 estas mamatas, liberação de dinheiro público da maneira que vem sendo para financiar atores, cantores e o pior, manifestações onde destroem o patrimônio público e privado.
    Antes não tinha esta mamata e os filmes eram feitos, exemplo dos filmes do Mazzaropi e Teixeirinha e outros semelhante, sem nenhuma tecnologia fizeram sucesso, o problema que este valor já é subfaturados e vai para as famosas proprinas.
    Talvez tenha sempre existido mas, nos últimos governos, a farra da propina se espalhou em todos os setores e virou rotina sem medo.
    É como eu vejo, triste realidade.
    Os caminhoneiros já mostraram seu poder, o dia que o povo mostrar o seu, termina a farra política, foram às ruas mas, o Brasil não parou, se tivessem apoiado os caminhoneiros, aí sim, o Brasil tinha parado e nem o presidente com exército tinha conseguido parar eles.

  3. Além de usar dinheiro que poderia ter sido melhor usado nos serviços que faltam (e muito!) para a população, o filme foi um fracasso retumbante, com uma bilheteria de 1.700.000 pessoas, 15% dos inscritos dela no Youtube.

  4. E os 3 milhões de reais da saúde, educação e segurança dos brasileiros trabalhadores quando é que vai ser liberado?

  5. Uma política cultural que fomenta a criação audiovisual mas se embasa somente no incentivo fiscal têm de lidar com situações como essa e aceitar elas. Afinal, o que gera lucro hoje em dia, no cinema nacional, senão comédias pastelão com grandes personagens?
    Cinema é uma coisa muito cara, 3,5 milhões não é nada quando você leva em consideração que essa lei capta impostos em nível federal.
    Acho bom por um lado, toda produção nacional é válida e estimulante, dada nossa eterna posição coadjuvante em relação à Hollywood. Por outro, espero tenha o mesmo fim que o filme do Porta dos Fundos: com pouca bilheteria e terminando em “déficit”. Porque assim ela não conseguiria, ou dificultaria, uma nova aprovação e financiamento estatal para ela (e pra outros youtubers com propostas similares).
    Mas enfim, é mais complicado do que “Filme com youtuber Kéfera capta 3 milhões de reais via lei similar à Rouanet”

    • É muito simples, ou faz algo bom o suficie te para que as pessoas estejam dispostas a livremente dedicar parte de sua renda pra financiar a obra, ou não faz! Dane-se que somos coadjuvantes de hollywood, o que eu faço é valorizado e eu ganho dinheiro com isso, eles que se virem sem a necessidade de me usurpar!!!

    • O cinema é uma indústria. Hollywood não vive de incentivos, mas do dinheiro investido pelos estúdios. O Estado não tem que bancar obra cultural de ninguém, mesmo que este alguém fosse uma “unanimidade” pra 100% da população pagadora de impostos, o que não é o caso.

    • Como assim, “toda produção nacional é válida e estimulante” ?????

      Você ao menos releu o que escreveu antes de clicar no “enviar” ? Poderia ter poupado um vexame.


  6. É cada uma… esses Youtubers que só sabe fazer vídeo pro Youtube, ganha dinheiro, postando muitas das vezes merdas, ganha dinheiro no modo EASY e ainda precissa disso?? Pela amor de Deus né?! Cadê os pais… A é, enquanto tiver faturando MONEY, eles vão apoiar em tudo, até pra fazer filme pornô se aparecer…

    • Algum dia vc ja teve a curiosidade de tentar fazer um video, ou pelo menos editar um. Iria ver o modo EASY de ganhar dinheiro, ter que perder uma , ou várias noites de sono, para poder entreter os seguidores.

      • Se bem que a Kéfera é apenas uma patricinha retardada e metida. Ela só precisa mexer a boca e falar bosta e pronto, os caras que gostam dela são virjões que só assistem por achar ela bonita ou então por acharem que se derem like nos vídeos, vão comer as fãs.

        Nem youtuber de videogame ela é (Uma das poucas coisas úteis no youtube que não seja videoaula).

  7. Sempre “mais do mesmo”… Para as pessoas aprenderem a não ficar fomentando ídolos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here