Filme do “Porta dos Fundos” tem apenas 14 mil espectadores em 3a semana e é retirado dos cinemas

Mesmo contando com ampla divulgação nas redes sociais, jornais, revistas e televisões, e tendo estreado em 515 salas de cinema pelo país, o filme “Contrato Vitalício”, do Porta dos Fundos, se tornou um dos maiores fracassos de bilheteria do ano.

Financiado com dinheiro de milhões de pagadores de impostos brasileiros (3,5 milhões de reais de uma lei similar à Lei Rouanet), apenas 14 mil pessoas foram assistir o filme em sua terceira semana em cartaz, deixando-o apenas no 13° lugar nas bilheterias da semana e fazendo o filme alcançar um público total de 440 mil pessoas e R$ 6 milhões de faturamento (que não voltarão para os bolsos dos pagadores de impostos que financiaram o filme). Com o fracasso, a ampla maioria das salas de cinema que apresentavam o filme já o retiraram de cartaz, substituindo-o por filmes com maior sucesso como “Procurando Dory”, “A Era do Gelo: O Big Bang” e “Carrossel 2”.

O filme brasileiro mais visto no ano, “Um Suburbano Sortudo”, teve em suas duas semanas no cinema um público de 741 mil pessoas.

Dessa forma, fica fácil entender por que artistas como Gregorio Duvivier não são fãs do livre mercado: porque quando há liberdade, filmes como esse provavelmente sequer teriam sido feitos de forma privada, dado o baixo interesse do público.

Vaquinha O ILISP comprou o domínio "aborto.com.br" e lançará uma campanha pró-vida, mas isso exige recursos. Os interessados em ajudar podem fazê-lo por meio do botão abaixo:

68 COMENTÁRIOS

  1. Acho que o que fica bem claro aqui, que as pessoas que expressam comentários, não sabem elaborá-los sem ofender. É incrível, mas acontece em toda postagem, que nem precisa ser polêmica. O Marcelo obviamente pesquisou e estudou bastante o assunto para escrever, mas pode se equivocar, ou quem comenta tb pode, logo vale questionar, mas com classe. Longe de defender este ou aquele, devemos aprender a comentar sem ofensa, e isso me parece o maior desafio aqui. Porque ao invés do uso de palavras desqualificadas, deveria informar que leu de outra forma, ou entendeu de uma forma diferente e pedir outra explicação. E aí o Marcelo vem e explica. Se ainda não convencer, se faz réplica, tréplica, etc. Sem xingamentos, o q me parece impossível. Um fenômeno estas ofensas em posts, desde que vimos notícias políticas principalmente. Caso a opinião difira, a luta começa! Quanto ao filme ser bom ou ruim, não sei, ainda não o assisti, mas independente disso, acho o PDF engraçado e a decepção do filme, em nada me impedirá de continuar assistindo seus esquetes. Se funciona na internet pq não assistir? Não sou a favor de uso indevido de impostos, como ninguém pode ser favorável, mas devemos expressar-nos com um mínimo de dignidade. Obrigado.

  2. Vi o filme, e por isso faço questão de opinar (ao contrário da Glória Pires… Rsrsrsrs)
    Fui esperando muito, pois gosto do grupo e achei que uma reunião de cabeças inteligentes resultaria em um filme igualmente inteligente.
    Ledo engano… O filme é idiota, nonsense, repetitivo, decepcionante… enfim, uma tortura chegar ao final…
    Pior ainda é saber que um filme horrível desse, com um argumento que poderia ter sido bem explorado, mas não foi, com atuações medíocres, cenários toscos e história inverossímil, foi pago com o nosso dinheiro. E que os idiotas que fizeram esse filme imbecil estão lá, lucrando com a nossa burrice…
    Bem feito para nós, que aceitamos tudo isso passivamente, e depois vamos lá e votamos nos mesmos que aprovaram essas leis ridículas, que beneficiam uns poucos e lesam milhões.
    A culpa tambem é sua, é minha, é nossa. Enquanto não aprendermos a votar, a coisa não vai mudar, não adianta.
    Quanto ao Porta, podiam ter feito um filme bom, ter feito a diferença. Optaram pelo mais fácil, preguiça de pensar…
    Nunca fui fã deles, mas achava graça em alguns esquetes. Perderam uma espectadora!

  3. Marcelo Faria te amo!!! Você é show, sua língua e afiadissima. Li todos os comentários e amei cada resposta sua. Que cala boca maravilhoso!!!!

  4. Idiota, Lei Rouanet não é usada para fazer cinema. Além de escrever mal ainda dissemina ignorância.

    • Em nenhuma parte do texto é dito que eles usaram Lei Rouanet para cinema. Cuidado: quando acusar alguém de “idiota”, a idiota pode ser você.

  5. Muito mais gente deve ter visto essa porcaria…É golpe contra petistas dizer que o filme foi um fracasso de público…rsrsrs. O lucro dos muquiranas,porém, já estava garantido com recursos incentivados

  6. Acho que o editor da matéria NÃO LEU A LEI. O dinheiro não é do contribuinte, é incentivo fiscal. Eles vão atrás dos investidores que investem no filme e estes por sua vez conseguem abater um valor de seus impostos.

    Acho que precisa estudar mais e menos senso comum. Parabéns pela ignorância.

    • O dinheiro vem dos impostos que já foram pagos pelos pagadores de impostos e são destinados aos projetos dos amigos do governo ao invés de irem para o Tesouro. Você é que precisa estudar mais.

      • Com base em que você fala isto? Você leu a lei? Cara sou advogado e trabalho com incentivo fiscal. Me aponte teu embasamento.
        O mecanismo de incentivos fiscais da Lei Rouanet é uma forma de estimular o apoio da iniciativa privada ao setor cultural. Ou seja, o Governo abre mão de parte dos impostos (que recebe de pessoas físicas ou jurídicas), para que esses valores sejam investidos em projetos culturais que ajudam a mudar e até transformar o cenário da comunidade.
        Cara tu é um realmente uma anta.

        • Sua falácia de apelo à autoridade é irrelevante aqui.
          No mais, você mesmo admite que a fonte são os pagadores de impostos: se o governo “abre mão de receber parte dos impostos”, não significa que eles deixaram de ser cobrados de milhões de pessoas, mas que estas pessoas pagaram estes impostos normalmente e estes foram destinados ao projetos escolhidos a dedo pelo governo ao invés de serem enviados ao Tesouro. No fim, é dinheiro dos pagadores de impostos da mesma forma.
          No mais, seu ad hominem final mostra apenas como não consegue argumentar de forma educada e adulta.

          • E aqui você mostra como é uma anta que somente quer ter razão. Não é argumento de autoridade, mas sim de quem trabalha com isto. Você precisa ler muito para aprender alguma coisa.
            Ademais, o dinheiro não saiu do povo, mas das indústrias e empresas seu energúmeno. Nunca entrou como imposto, é um abatimento DAS EMPRESAS, da mesma forma que existe isenção fiscal, ou vai falar que este último também é um enriquecimento ilícito de empresários?
            Dá para ver como você sabe muito sobre nada. Você vai contra alguém que estuda e trabalha com isto por causa do teu vasto conhecimento?
            Aprende um pouco antes de falar asneira.

          • Claro, e o dinheiro que entrou nas empresas caiu do céu, isso? Ninguém pagou pelos produtos / serviços dessas empresas *com impostos* e depois esses impostos foram destinados para os projetos de amigos do governo que você defende, né?
            Entendo sua revolta, pela lógica liberal você teria que mudar de emprego. E isso irá acontecer.

  7. Mais triste que ver dinheiro público indo pela latrina com o financiamento deste filme são os comentários “criticando” o autor e o conteúdo do site. Baixo nível. Chega a ser um insulto ter que responder a essa gente, tal como ladrar de volta para um cão na rua. Lamento que essas pessoas tenham título de eleitor e carteira de habilitação.

  8. Acho bem vergonhoso o fato do povo Brasileiro não valorizar o que é feito por aqui, sendo que pra criticar sempre aparecem vários.
    Prefiro meu dinheiro indo para a industria cinematográfica, ajudando a desenvolve-la, do que indo para fazer show de sertanejo universitário, como estava acontecendo na Lei Rouanet.
    Mas vai entender né, povo prefere assistir umas comédias americanas porcarias, estreladas pelo Adam Sandler, do que dar uma força pros artistas e pra industria nacional.

    • Se você quer ver o seu dinheiro indo pra indústria cenográfica, ótimo, você é livre para dar o dinheiro que quiser para eles. O problema é milhões de pessoas serem OBRIGADAS a dar o dinheiro delas para filmes de amiguinhos do governo só porque você quer.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here