Mais Paulo Freire? Estudo mostra que qualidade dos novos professores é cada vez pior

Apesar do aumento do investimento em educação estatal nos últimos anos, a qualidade dos novos professores formados no Brasil é cada vez pior, revela o estudo do Instituto Alfa e Beto. Uma das revelações do estudo é que os melhores alunos brasileiros não têm interesse em se tornar alunos dos cursos de pedagogia brasileiros dominados pela lógica de Paulo Freire.

Paulo Freire é conhecido como patrono da educação brasileira e admirado pelos intelectuais de esquerda. O educador é autor do livro “Pedagogia do Oprimido”, responsável por boa parte da disseminação dentro das escolas do conhecido discurso esquerdista de “oprimido contra opressor”. Esse tipo de influência pode explicar a falta de interesse de uma parcela dos melhores alunos, que preferem escolher outros cursos ao invés de pedagogia. No fim, alunos alinhados à esquerda tendem a ser a ampla maioria nos cursos de pedagogia e posteriormente no quadro de professores.

Outros fatores também explicam a falta de interesse dos melhores alunos brasileiros pelos cursos de pedagogia. Por parte dos investimentos em educação no Brasil são direcionados para o ensino superior e não para o ensino básico (o estado brasileiro é um dos que mais investe em ensino superior no mundo), aumentando o número de vagas mas diminuindo a quantidade de bons alunos no ensino superior, normalmente formados em escolas privadas, enquanto aumenta o número de ingressantes vindos de escolas fracas e com notas ruins no ensino médio (para comprovar este fato, basta ver a nota de corte dos vestibulares dos cursos de pedagogia). Esse aumento artificial de professores formados pelo estado cria um desequilíbrio na oferta e demanda de professores, o que diminui o valor do trabalho desses profissionais. E onde não há valorização, não há interesse dos novos profissionais em fazer parte do mercado.

pedagogia

4 COMENTÁRIOS

  1. Amigo Manoel Martins Varela , se você ler os livros de Paulo Freire verá que sua obra trata apenas de Ideologia e não do ensino em si. O próprio Paulo já afirmou que sua Pedagogia era voltada para a formação política ,visando somente ideologias ,e se comparar com as obras de Karl Marx ,verá que é exatamente doutrinas de lutas de classes ,Basta ler a PEDAGOGIA DO OPRIMIDO !

  2. O artigo faz parecer que o motivo da falta de interesse pela pedagogia seriam as teorias de Paulo Freire recorrentemente debatidas nos cursos. E que, agora com a existência de maior quantidade de professores graduados, a lógica de mercado de aumento de oferta pressionaria os salários para baixo. Que bobagem. É lógico que a falta de interesse se dá pelas más condições de trabalho aliados a uma baixa remuneração. O texto inverte causa e consequência. Se fosse assim, os salários teriam sido maiores quando a oferta de professores graduados era bem menor. Ignorar os fatores históricos e sociológicos que implicam na desvalorização da educação no Brasil é incorrer em equívoco grave. A menos que seja apenas uma panfletagem contra-esquerdista que abusa desonestamente de argumentos falaciosos.

  3. Caro Amigo
    Dizer que a ideologia de Paulo Freire está prejudicando a educação brasileira é uma mediocridade sem tamanho.
    Em primeiro lugar, se o senhor conhecesse o método deste homem para ensinar, saberia que este método não está sendo usado nas escolas. Em segundo lugar, Paulo Freire acumula mais de 40 títulos de Doutor Honóris Causa pelo mundo. Enquanto isso, nossos 3 maiores pensadores têm apenas 5 títulos. A ignorância instaurada no país se deve em grande parte à pessoas como o senhor que precisa do caos para “sobreviver”.

  4. Não é a tendência que determina, é o grau de mediocridade. Aí sobra o q paga pouco, mas ainda muito para a capacidade deles. Principalmente com facs de pedagogia a 200 reais.
    A exigência de licenciatura ou pedagogia nos jogou na ditadura da estupidez e na sistematização do lugar-comum.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here