Mesmo sem nenhuma redução de velocidade, acidentes fatais caem 30% no mês de janeiro

Ao contrário do que diziam alguns especialistas ao afirmar que a queda dos acidentes tinha como principal fator a redução da velocidade das marginais em São Paulo, os acidentes fatais continuam em queda livre, mesmo sem diminuir a velocidade limite.

O número de acidentes de trânsito fatais ao longo do mês de janeiro caiu 30% na capital em relação a dezembro de 2016. No primeiro mês de 2017, foram contabilizadas 60 mortes contra 86 no mês anterior , de acordo com dados do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, o Infosiga, elaborado pelo governo estadual. A queda foi de 25% na comparação com janeiro de 2016, quando foram registrados 81 óbitos.

Em janeiro deste ano, os atropelamentos foram as principais causas de mortes no trânsito e representaram 40% das ocorrências, ou 24 casos. Os acidentes com motocicletas aparecem em segundo lugar com 35% das mortes.

Um atropelamento fatal e uma morte de motociclista foram registradas nas marginais Pinheiros e Tietê, respectivamente. No fim de janeiro, a gestão Doria determinou o aumento no limite de velocidade nas marginais para 90 km/h na pista expressa, 70 km/h na pista central e para 60 km/h na pista local, com exceção da faixa da direita, que manteve o limite de 50 km/h.  Em dezembro de 2016, foram registradas seis mortes de trânsito nas marginais: dois pedestres morreram na Pinheiros e quatro motociclistas também perderam a vida nas duas vias. A comparação com janeiro do ano anterior não foi possível porque o Infosiga disponibiliza os dados de acordo com o endereço das ocorrências somente a partir de setembro.

De acordo com a Companhia de Engenharia de Trafego (CET), em 2016 houve redução de 54% no número de mortes por acidente de trânsito nas Marginais do Tietê e do Pinheiros em comparação com o ano anterior. Segundo o secretário municipal de Transportes, Sergio Avelleda, ao longo do ano passado 21 pessoas morreram em acidentes de trânsito nas duas Marginais, contra 46 ocorrências em 2015. O total de acidentes com vítimas também caiu de 740 para 460 no mesmo período.

Vaquinha O ILISP tem atuado contra a legalização do aborto e em defesa do direito à vida no STF. Para custear a causa, lançamos uma vaquinha. Os interessados em nos ajudar podem fazê-lo por meio do botão abaixo:

10 COMENTÁRIOS

  1. Eu apóio o aumento da velocidade, mas tomar os números absolutos para se fazer um julgamento pode não ser a melhor forma de avaliar. Todos sabemos que no mês de janeiro muitos estão em férias e fora da cidade. O movimento diminui consideravelmente (eu mesmo amo dirigir em janeiro, quase não tem trânsito) e, pelo movimento menor, o número de mortes também diminui. Vamos ver como vai ficar nos próximos meses; espero que continue caindo, mesmo com o aumento da velocidade. E um pedido mútuo: aos motociclistas, para terem mais cuidado (sua vida é mais importante mano!), e aos motoristas para maior atenção. Somos todos irmãos aqui e que todos cheguem bem aos seus destinos. Abraço.

  2. Mas gente a redução já não aconteceu? O correto não seria “mortes no trânsito continuam a cair”.

    Por fim o impacto da marginal no número de ocorrências vai ser sempre proporcionalmente em comparação com todo o restante da cidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here