Home Notícias Personal é chamada de “racista” por campanha de papel higiênico preto

Personal é chamada de “racista” por campanha de papel higiênico preto

O lançamento de um novo papel higiênico, o Personal VIP Black, fez a empresa Santher ser o mais novo alvo dos justiceiros sociais online. A campanha do novo produto utiliza a hashtag #BlackIsBeautiful, o que fez o movimento racista negro acusar a empresa de “apropriação cultural e racismo” por ser uma frase de um movimento negro americano nos anos 1960.

A atriz Marina Ruy Barbosa é a estrela da campanha. Em comunicado enviado a jornalistas, a Personal afirmou que “a cor sempre foi considerada ícone de estilo e refinamento nos universos de luxo e da moda” e que a “campanha reflete essa integração entre a cor e a sofisticação”.

 

O ILISP coletou alguns dos comentários chamando a campanha de “racista”. Confira:

personal-1

Outra pessoas, entretanto, perceberam o quão ridículo é acusar uma campanha de “racista” por causa de duas palavras comuns na língua inglesa:

personal-2

11 COMMENTS

  1. Essas pessoas são desprezíveis!

    Daqui a pouco vão protestar contra o “pretinho básico”, presente em todo guarda-roupas feminino!

    • Depois do que ele fez com a nossa economia?
      É ruim de deixá-lo se aproximar de meu orifício anal.

    • – Huuuummmmmm ….. interessante … um papel higiênico que já vem com bosta. Mas esse brinde eu não quero nem de graça.

  2. Não gostei do papel preto porque não vou saber se meu rabicó tá limpo ou não; resumindo, vou gastar o rolo todo e ficarei na dúvida!

    • – O papel é preto mas a bosta é marrom. Só não daria para distinguir se o papel também fosse marrom. E se estiver com diarreia ela fica amarelada, não fazendo diferença se o papel é preto, marrom ou branco.

      – Mas em um ponto você tem razão: fica mais fácil de ver a obra de arte no papel branco.

      – Além do que o papel higiênico preto deve ser mais caro. É um produto ruim que vai ter vida curta.

  3. – E por que não lançar um papel higiênico arco-íris? Fica a sugestão.

    – Deveriam também fazer uma cota nos pacotes de papel higiênico: para cada 10 rolos, 1 deveria ser preto e os outros 9 brancos.

  4. Quando foi que as pessoas perderam a noção do ridículo? Qualquer coisa é alvo de ódio e preconceito. Mais amor por favor. Temos que prestar atenção é no Congresso Nacional .

  5. A liberdade de criação das empresas não elimina o nosso direito de nos sentirmos ofendidos. Nos ofendemos profundamente com a Avon, OMO… se pessoas se ofenderam com o papel preto, direito delas.

  6. Como mundo está ficando chato!
    Esse jovens “justiceiros sociais” parecem aquelas “velinhas corocas” dos anos 50 que criticavam (pasmem) a juventude!
    O jovem já não é um “espirito livre”.
    É significado de ser “pau mandado coletivista” de pessoas cujas suas mentes ainda estão em 1960, na ditadura militar, na guerra do Vietnam e na revolução cubana.

  7. Já vi papel higiênico amarelo, rosa, azul, porque não usar outra cor? como o preto? Acho que os defensores do politicamente correto extrapolam. Qual a sugestão? papel higiênico transparente? A nossa sociedade está emburrecendo a galope.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here