Prefeitura aumenta preço dos ingressos de cinema para “ajudar” o audiovisual

O Centro Cultural São Paulo tem mantido durante anos duas salas de cinema com programação variada, de boa qualidade e – o principal – preço módico: até a semana passada, apenas 1 (um) real o ingresso. Lembrando sempre que tal centro já é sustentado pelo contribuinte paulistano por meio de seus impostos municipais.

Ocorre que a prefeitura petista da cidade criou uma “empresa pública para o desenvolvimento do audiovisual paulista” (a SPcine), a qual, por sua vez, criou o Circuito SPcine, que passou a administrar as salas de cinema localizadas na estrutura da Secretaria de Cultura do Município.

O resultado disso? O ingresso, que custava 1 real, passou agora a custar 8 reais com meia-entrada a 4 reais.

O estado não deveria se meter com cultura, muito menos com cinema. Ao se meter, no entanto, encarece o consumo de cultura (no caso, de cinema) para o contribuinte, que já pagou, sem saber, por mais esse “serviço público”. Tudo em nome do desenvolvimento dos amigos do prefeit… quer dizer, do “cinema paulistano”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here