DOE

Prefeitura aumenta preço dos ingressos de cinema para “ajudar” o audiovisual

O Centro Cultural São Paulo tem mantido durante anos duas salas de cinema com programação variada, de boa qualidade e – o principal – preço módico: até a semana passada, apenas 1 (um) real o ingresso. Lembrando sempre que tal centro já é sustentado pelo contribuinte paulistano por meio de seus impostos municipais.

Ocorre que a prefeitura petista da cidade criou uma “empresa pública para o desenvolvimento do audiovisual paulista” (a SPcine), a qual, por sua vez, criou o Circuito SPcine, que passou a administrar as salas de cinema localizadas na estrutura da Secretaria de Cultura do Município.

O resultado disso? O ingresso, que custava 1 real, passou agora a custar 8 reais com meia-entrada a 4 reais.

O estado não deveria se meter com cultura, muito menos com cinema. Ao se meter, no entanto, encarece o consumo de cultura (no caso, de cinema) para o contribuinte, que já pagou, sem saber, por mais esse “serviço público”. Tudo em nome do desenvolvimento dos amigos do prefeit… quer dizer, do “cinema paulistano”.

Está gostando do conteúdo? COMPARTILHE!

Mais Recentes

Liberdade para Trabalhar avança em Anápolis-GO com 297 atividades liberadas de alvará
Lançado no dia 29 de junho...
Ranking mundial da Forbes reconhece o ILISP como um dos think tanks com maior alcance nas redes sociais
Dois artigos publicados na Revista Forbes...
Liberdade para Trabalhar avança em Nova Friburgo-RJ com 289 atividades liberadas de alvará
Lançado no dia 29 de junho...
Projeto Liberdade para Trabalhar é lançado em Sergipe
Lançado nacionalmente no dia 29 de...
Liberdade para Trabalhar: Boa Vista-RR dispensa 297 atividades da necessidade de alvará
Lançado no dia 29 de junho,...
Em evento no Senado, ILISP lança o Mapa da Liberdade para Trabalhar
Um pequeno empreendedor que tirou a...

Leia Sempre Primeiro

Cadastre-se na nossa Newsletter e receba sempre em Primeira Mão!