PT é massacrado no Grande ABC paulista, região onde nasceu o partido

Fora a sonora derrota no 1° turno, elegendo somente 256 prefeitos (contra 630 eleitos em 2012), nada mostra mais a estrondosa derrota do PT nessas eleições do que o que aconteceu hoje no Grande ABC paulista, onde o PT nasceu.

Em São Bernardo do Campo, berço do PT e onde mora o comandante máximo da organização criminosa, o candidato do partido sequer foi para o segundo turno e ainda teve que assistir Orlando Morando (PSDB) sendo eleito com 62% dos votos graças a uma campanha anti-PT.

Em Santo André, prefeitura que serviu de base para a campanha de Lula e onde Celso Daniel foi assassinado por ameaçar denunciar a corrupção já existente no partido, o candidato petista – amigo pessoal de Lula – não foi apenas derrotado. Foi massacrado no segundo turno, tendo apenas 19% dos votos válidos contra 81% do candidato Paulo Serra (PSDB).

Em Mauá, a cidade da região com menor PIB per capita nesse segundo turno, outra derrota. O prefeito petista Donisete Braga teve 37% dos votos, sendo derrotado por Atila Jacomusssi (PSB).

Nas outras cidades da região, os candidatos petistas sequer foram para o segundo turno (Diadema, onde teve 16% dos votos no 1° turno) ou foram derrotados no turno único: em São Caetano, o candidato petista teve 0,96% dos votos; em Ribeirão Pires, 7,69%; e em Rio Grande da Serra, 33%.

O PT está longe de morrer ainda – e mais ainda o pensamento socialista – mas se depender da região onde o partido nasceu, o recado é claro: PT, saudações, adeus!

5 COMENTÁRIOS

  1. Eu não gosto do PT, até ia fazer uma piada sobre a derrota do PT aqui em Santo André (7×1), mas sinto saudades da época em que veículos de comunicação tinham imparcialidade, por outro lado, pelo fato das Think tanks muitas vezes ter independência de opinião, outras vezes são filiadas a partidos políticos ou tem dedinho do governo pra servir o prato pronto. Boa matéria, rica em informações, mas por outro lado bem tendenciosa, uma pena.

    • Não temos filiação com qualquer partido político e muito menos “dedinho do governo”. Claramente temos lado, que é o da liberdade. Todo veículo também possui, incluindo os que você acha que são “imparciais”, e geralmente são de esquerda no Brasil.

  2. A hipocrisia ronda os paulistas. Adoram bandidos, exceto se for do PT, isso é nítido. Por que será que votam no PSDB constantemente, o partido socialista que veste carapaça azul para esconder a carcaça vermelha e o partido que o próprio Fernando Henrique Cardoso já disse que quer um dia andar de mãos dadas nas ruas com os militantes petistas (isso consta no próprio site do PSDB)? O PSDB está afundando SP, mas os paulistas não se importam.

    Não estou aqui para defender o PT (caso contrário eu não reconheceria que o PSDB é de esquerda). O PT merece toda a queda que está tendo, mas os paulistas sequer se preocupam com o que se acontece em âmbito estadual. Isso só prova como a mídia mexe com a personalidade deles, com o arbítrio deles, uma vez que até na Lava Jato PMDB e PP possuem os maiores investigados (em números), mas todo o ódio é focado em apenas um partido, enfraquecendo esse partido e em contrapartida fortalecendo o resto.

    Paulista não é diferente de nenhum outro brasileiro e ainda acha que tem condição de se separar do Brasil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here