DOE

Robin Wright e a equiparação salarial entre gêneros em House of Cards

Recentemente foi noticiado que a atriz Robin Wright buscou equiparar seu salário por episódio ao de Kevin Spacey na série House of Cards. Wright interpreta a mulher de Frank Underwood, personagem de Spacey, na ficção. Seu papel lhe deu grande destaque na mídia e demonstrou que a atriz cumpre sua função de forma excelente.

Todavia, se faz necessário avaliar as razões pelas quais mulheres ganham menos do que homens, ainda que exerçam trabalhos equivalentes. É sabido que as chances de mulheres deixarem suas carreiras de lado para se dedicar a família são superiores as dos homens o fazerem. Outro fator é o biológico, mulheres podem engravidar, homens não. Além disto, há uma série de regulações estatais que tornam a força laboral feminina mais cara do que a masculina.

Neste caso, cabe dizer que Spacey tem um valor superior de mercado em razão de seu histórico cinematográfico e reconhecimento quase incontestável entre a crítica, além de premiações por seus trabalhos anteriores ao papel de Underwood. Todos estes fatos antecedem a atuação de Kevin em House of Cards, o que demonstra que o seu valor de mercado já iniciou superior ao de Robin.

É possível observar que o filme de grande repercussão no qual Robin atuou foi Forrest Gump, o qual é lembrado por outros fatores. Kevin Spacey atuou nos filmes Os Suspeitos, Beleza Americana e A Vida de David Gale, os quais se lembra mais do ator do que dos filmes em si em razão de sua brilhante atuação, o qual foi exatamente o motivo do sucesso destes (e de outros) filmes.

Prova disso são as premiações e as indicações do ator. Dois Oscars, de melhor ator principal por Beleza Americana e melhor ator coadjuvante por Os Suspeitos, BAFTA de melhor ator novamente por Beleza Americana e indicação de Globo de Ouro de melhor ator pelo mesmo filme, além de outras premiações e indicações de demais filmes nos quais Spacey atuou.

Não entrando no mérito do uso de ameaça contra a Netflix por Wright e da falta de ética de alegar que viria a público com o fato de ganhar menos do que seu colega de trabalho caso não obtivesse a equiparação e terminar indo a público de qualquer forma, a atriz não deveria ter usado os fundamentos que usou para pedir a equiparação.

O fato de ela ser mulher poderia ter pesado inicialmente de acordo com os fatores mencionados, mas a principal diferença claramente consiste no alto valor de Spacey. A atriz poderia ter atingido o mesmo objetivo demonstrando que as diferenças de gênero não eram compatíveis com sua pessoa e sua igual importância na série – com uma atuação que influencia no sucesso desta – e não utilizando o mero fato de ser mulher.

Está gostando do conteúdo? COMPARTILHE!

Mais Recentes

Liberdade para Trabalhar avança em Anápolis-GO com 297 atividades liberadas de alvará
Lançado no dia 29 de junho...
Ranking mundial da Forbes reconhece o ILISP como um dos think tanks com maior alcance nas redes sociais
Dois artigos publicados na Revista Forbes...
Liberdade para Trabalhar avança em Nova Friburgo-RJ com 289 atividades liberadas de alvará
Lançado no dia 29 de junho...
Projeto Liberdade para Trabalhar é lançado em Sergipe
Lançado nacionalmente no dia 29 de...
Liberdade para Trabalhar: Boa Vista-RR dispensa 297 atividades da necessidade de alvará
Lançado no dia 29 de junho,...
Em evento no Senado, ILISP lança o Mapa da Liberdade para Trabalhar
Um pequeno empreendedor que tirou a...

Leia Sempre Primeiro

Cadastre-se na nossa Newsletter e receba sempre em Primeira Mão!