Após estado francês proibir entregas com frete grátis, Amazon cobra 1 centavo de frete

O parlamento francês votou no último mês uma lei para “ajudar a preservar” pequenas lojas de livros, proibindo a entrega de livros com frete grátis. Embora o governo francês afirme que o objetivo da lei não é coibir a atuação de grandes empresas, a ministra da cultura, Aurelie Filippetti, afirmou que deseja inibir o que ela chama de “estratégia de dumping”, pois a “guru” do mercado cultural considera que “empresas em posição dominante, após quebrarem todas as pequenas lojas de livros com promoções, aumentam seus preços.”

Após a lei entrar em vigor, a Amazon francesa atualizou sua seção de “Perguntas Frequentes” informando, “infelizmente deixamos de oferecer entregas gratuitas, mas fixamos os custos de entrega em 1 centavo de euro por pedido, garantindo o menor frete para seus pedidos de livros.”

O estado francês se orgulha das lojas de livros físicos, pois entende que a existência delas seja crucial para que a cultura chegue às cidades pequenas. Descontos superiores a 5% em livros já são proibidos para evitar que as grandes redes de livrarias não ameacem as lojas pequenas. E os prejudicados, claro, são os consumidores.

4 COMENTÁRIOS

  1. Sei não… Adoro livros em papel, meus filhos não. E leem mais do que eu atualmente. Pela net. Essas iniciativas são simpáticas. Mas só simpáticas; não resolve o problema do grande impacto de novas tecnologias no nosso modo tradicional de viver. Daqui a pouco os livreiros franceses serão tratados como espécimes raros em vitrines preservadas.

    • A iniciativa não é simpatica. Ela mantem os preços altos!
      Protecionismo só gera preguiçosos. Quer vender mais? Ofereça melhores condições de preços ou de serviços!

      Ou vc acha q pra quem compra livro é melhor ter uma loja q cobra caro na esquina de casa do q ter uma loja com melhor preço em uma cidade distante?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here