DOE

Cota para mulheres cria 15 mil candidatas “fantasmas” para preencher vagas obrigatórias (Assista)

As mulheres são mais da metade da população brasileira, mas têm presença ainda muito pequena na política. Para tentar mudar isso, o certo seria incentivar mulheres a participar mais da política. No entanto, os políticos criaram uma lei em 2009 que determinou uma cota mínima de 30% de mulheres candidatas nas eleições proporcionais.

O problema é que não adianta disponibilizar vagas se não há interesse por parte do público feminino. O resultado da lei criou quase 15 mil candidatas a vereadora sem nenhum voto. Como os partidos não conseguem atrair mulheres, eles acabam criando candidatas fantasmas pare cumprir a cota. Ou seja, ao invés de estimular as mulheres na política, a intervenção do estado desvalorizou ainda mais as mulheres. Aquelas que realmente tem interesse acaba tendo que disputar com outras mulheres que estão na política apenas para cumprir cota.

Veja a reportagem do Jornal Nacional:

https://www.facebook.com/reporterfavela/videos/1214908731907735/

 

Está gostando do conteúdo? COMPARTILHE!

Mais Recentes

Liberdade para Trabalhar avança em Anápolis-GO com 297 atividades liberadas de alvará
Lançado no dia 29 de junho...
Ranking mundial da Forbes reconhece o ILISP como um dos think tanks com maior alcance nas redes sociais
Dois artigos publicados na Revista Forbes...
Liberdade para Trabalhar avança em Nova Friburgo-RJ com 289 atividades liberadas de alvará
Lançado no dia 29 de junho...
Projeto Liberdade para Trabalhar é lançado em Sergipe
Lançado nacionalmente no dia 29 de...
Liberdade para Trabalhar: Boa Vista-RR dispensa 297 atividades da necessidade de alvará
Lançado no dia 29 de junho,...
Em evento no Senado, ILISP lança o Mapa da Liberdade para Trabalhar
Um pequeno empreendedor que tirou a...

Leia Sempre Primeiro

Cadastre-se na nossa Newsletter e receba sempre em Primeira Mão!