Deputados aprovam lei que obriga restaurantes a dar descontos para quem fez redução de estômago

Os deputados da Assembleia Legislativa de São Paulo aprovaram uma nova lei – que havia sido previamente vetada pelo governador Geraldo Alckmin – que obriga os restaurantes de todo o estado de São Paulo a dar descontos de 30 a 50% no valor integral da refeição para quem fez cirurgia de redução de estômago.

A regra vale para restaurantes à la carte e também para rodízios. As informações sobre o desconto deverão estar no cardápio e em uma placa, na parede do estabelecimento; se descumprir a lei, o restaurante deverá pagar uma multa de R$ 1 mil e, se for reincidente, até R$ 10 mil. Para garantir o benefício, o cliente precisa apresentar ao garçom uma carteirinha da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica ou um atestado médico.

18 COMENTÁRIOS

  1. Pois é… uma pessoa com redução de estômago não consegue comer muito…prá quê vai querer comer rodízio? Pede meia porção do que consegue comer e pronto… tem que ter consciência já que se submeteu a uma cirurgia dessa. Povo que gosta de criar polêmica…vai trabalhar que é melhor…

    • Com todo respeito, sou cardiologista e trabalho mais de 10 horas por dia. Porém acredito que todas as pessoas aqui tem direito de expressar suas opiniões, respeito a sua, apesar de considerar um comentário preconceituoso.
      Mais uma vez a desinformação está evidente.
      Desde o dia 11/07, uma liminar em SP impede conta menor para quem fez redução no estômago, negando assim a aplicação da lei 16.270/2016, que previa desconto.

  2. Uma pessoa que se submete a gastropastia ingere por refeição em média 150 gramas de alimento. Ou seja, é mais do que certo que tenha o valor do rodízio com desconto. Quanto as refeições à la carte, o restaurante pode diminuir a porção e assim efetuar o desconto.
    Antes de criticar, informe-se!

  3. Achei que fosse noticia do sensacionalista, mas é verdade! Tamanho despreparo dos nossos políticos. Por isso, sou partido novo 30 nas próximas eleições e sempre! Ou acaba a festa ou acaba o Brasil!

  4. Que absurdo. Grande parte dos custos envolvidos num restaurante não está relacionado com o alimento servido em si, mas sim pelos serviços prestados junto com a alimentação, desta forma estão dando um desconto em cima dos serviços e custos indiretos, que será o mesmo para qualquer cliente

  5. É uma imbecilidade sem tamanho essa lei. Conheci gente que comia 2 bezerros numa sentada, reduziram estômago e agora comem um só, e ainda vão ganhar desconto? Quem come demais tem condições, pra que cacete vão ter desconto? Pra facilitar comer demais novamente?

  6. Não entendi. O sujeito submete-se a tratamento para comer menos e os legisladores agora estimulam o paciente a comer mais?

  7. Sinceramente, tenha paciência viu! O que tem a ver o dono de restaurante com redução estomacal de quem quer que seja? Qual é a intensão desse descalabro? Ganhar voto nada mais do que isso. Isso é fazer caridade com o chapéu alheio.

  8. Mais leis, mais burocracia, mais do mais do mais imbecil político brasileiro!!
    Alguém ganha com isso? Não, ninguém! Assim fica tudo mais complicado, mais difícil e mais caro!! Quem vai controlar isso? O governo estúpido? Mais um motivo para idiotas infernizarem os restaurantes! Como o cliente prova que teve redução no estômago? Precisa levar os documentos e atestados da cirurgia ou essa corja de paspalhos irão criar a Carteira do Estômago Reduzido??? PQP!!!! Vão trabalhar seus PDP!!!

  9. O que vai ter de malandro com atestado comprado ou, falsificado, só pra ter ‘almoço gratis’!

    Quem paga a conta???

    O bestão, que for comprar, pagando o preço integral.
    Viva os aumentos de preços!
    VIVA O ESTADO PATERNALISTA !!! #SQN

  10. Deveria poder cobrar mais para incentivar quem passou pela cirurgia continuar mantendo uma dieta controlada. Assim estimula-o a comer mais e voltar a ganhar peso… É, eu sei que é absurdo! Mas não mais que essa lei rsss

  11. Mais do mesmo: o dono do restaurante vai repassar o custo para os demais clientes, tal qual ocorre com os benefícios de transporte e meia entrada no cinema. E tal tratamento diferenciado sendo dispensando a pessoas que foram submetidas a uma cirurgia? Não faz sentido algum: Se eu fizer cirurgia do coração, devo ter desconto em academias? Se eu extrair meu cérebro, ganho desconto na filiação ao PSTU (daí seria justo)? Só rindo mesmo…

    https://bordinburke.wordpress.com/2016/07/06/laranja-e-o-novo-vermelho/

    • Ricardo, você deve pagar aquilo que você vai comer, bem como a quantidade! Não concordo com teu posicionamento, mas respeito! Se você fizer cirurgia do coração, não fará exercicios com tamanha intensidade que faria antes, mas fará e provável que seja no mesmo tempo que faria antes, ou seja, não faz sentido seu argumento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here