Em editorial, “O Globo” defende privatização de todas as universidades estatais

Em um excelente editorial publicado na edição de hoje (24), o jornal “O Globo” defende o fim do ensino superior “gratuito” com a privatização de todas as universidades estatais, como defendem os liberais. Segue:

“Para combater uma crise nunca vista, necessita-se de ideias nunca aplicadas. Neste sentido, por que não aproveitar para acabar com o ensino superior gratuito, também um mecanismo de injustiça social? Pagará quem puder, receberá bolsa quem não tiver condições para tal. Funciona assim, e bem, no ensino privado. E em países avançados, com muito mais centros de excelência universitária que o Brasil.

Tome-se a maior universidade nacional e mais bem colocada em rankings internacionais, a de São Paulo, a USP — também um monumento à incúria administrativa, nos últimos anos às voltas com crônica falta de dinheiro, mesmo recebendo cerca de 5% do ICMS paulista, a maior arrecadação estadual do país.

Ao conjunto dos estabelecimentos de ensino superior público do estado de São Paulo — além da USP, a Unicamp e a Unifesp — são destinados 9,5% do ICMS paulista. Se antes da crise econômica, a USP, por exemplo, já tinha dificuldades para pagar as contas, com a retração das receitas tributárias o quadro se degradou. A mesma dificuldade se abate sobre a Uerj, no Rio de Janeiro, com o aperto no caixa fluminense.

Circula muito dinheiro no setor. Na USP, em que a folha de salários ultrapassa todo o orçamento da universidade, há uma reserva, calculada no final do ano passado em R$ 1, 3 bilhão. Mas já foi de R$ 3,61 bilhões. Está em queda, para tapar rombos na instituição. Tende a zero.

O momento é oportuno para se debater a sério o ensino superior público pago. Até porque é entre os mecanismos do Estado concentradores de renda que está a universidade pública gratuita. Pois ela favorece apenas os ricos, de melhor formação educacional, donos das primeiras colocações nos vestibulares.

Já o pobre, com formação educacional mais frágil, precisa pagar a faculdade privada, onde o ensino, salvo exceções, é de mais baixa qualidade. Assim, completa-se uma gritante injustiça social, nunca denunciada por sindicatos de servidores e centros acadêmicos.

Levantamento feito pela “Folha de S.Paulo”, há dois anos, constatou que 60% dos alunos da USP poderiam pagar mensalidades na faixa das cobradas por estabelecimentos privados. Quanto aos estudantes de famílias de renda baixa, receberiam bolsas.

Além de corrigir uma distorção social, a medida ajudaria a equilibrar os orçamentos deficitários das universidades, e contribuiria para o reequilíbrio das contas públicas.”

16 COMENTÁRIOS

  1. Totalmente de acordo, mas para quem já foi vítima de preconceito, ao ser preterido a uma bolsa por ser pobre, sei que “essa lei não vai pegar”. “Ele não vai em frente e vamos perder esta oportunidade” e a bolsa foi concedida a um aluno de melhores condições… sociais! Não é uma bolsa? Para que existem as bolsas? Uma vez na Faculdade, sentia a ojeriza só por falar onde morava – periferia. Sei que pouca coisa mudou na cultura das nossas elites acadêmicas por isso por enquanto sou contra.

  2. E quem colocaria isso em pratica ?

    o sujeito que tem medo do ministério da cultura?

    precisa de peito de aço, para privatizar esses amontoados de lixo, que são as federais

  3. Outro grande problema da folha de pagamento eh que todos que se aposentam, se aposentam pela instituicao. E esse dinheiro deve ser computado no orcamento geral. Quanto mais funcionario a universidade tem mais aposentadoria ela tem de pagar. Um bom comeco seria tercerizar ao maximo ops servicos detro da universidade.

  4. Excelente iniciativa, mas na banânia dos sindicalistas, encostados e artistas esse projeto não prospera.

    Não enquanto não se aprovar o Escola sem Partido.

  5. Não acredito que a saída seja a privatização do sistema educacional do país, acredito sim que deveriamos ter um sistema “publico/privado” onde as empresas recebessem incentivos ficais para financiar atividades em conjunto com os centros de ensino, principalmente as faculdades. Muitos esquecem que o problema da falta de comprometimento dos nossos políticos é fruto da falta de leis mais severas que coibissem essa “baderna” que se tornou Brasilia. Me considero um felizardo por ter tido a oportunidade de cursar uma das mais prestigiadas faculdades de engenharia do país (Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira – UNESP), boa parte da minha vida estudantil foi em escolas da rede pública, porém sem o período em escola particular, através de bolsas de estudo, não teria sido possível o ingresso na faculdade. Eu, assim como muitos dos meus colegas de faculdade, não teríamos tido condição alguma de cursar uma faculdade particular. Vejo, muitas pessoas que se formaram em faculdades públicas levantando a bandeira de “Privatização do Ensino Superior” sem ao menos se colocar no lugar das pessoas que hoje brigam por uma vaga nas faculdades públicas e não teriam condições alguma de arcar com os custos de uma faculdade.

  6. apaioadissmo. Estado deve cuidar apenas da educação fundamental e garantir que todos tenham alfabetização muito boa. Universidade estatal é só atraso. O governo deveria tirar o time e apenas dar bolsas de estudo a pessoas inteleigentes que necessitam delas para continuar estudando.

  7. Mas que artigo mais sem pé nem cabeça!!
    Como a cobrança de mensalidades de alunos ricos tornaria a gestão da USP mais eficiente?
    Como a cobrança de mensalidade dos alunos ricos iria ajudar os alunos de Universidades privadas?
    Desde quando o exemplo da USP, a brasileira mais bem colocada nos rankings, com o vestibular mais acirrado, no Estado mais rico do país, pode servir de exemplo para todo o ensino público universitário?

    • Não é cobrança de mensalidade apenas, é privatizar mesmo. Vender. Zero estatal. E basta você entender a parte onde o editorial diz que quase 10% do ICMS pago pelo estado inteiro vai para financiar essas universidades, para entender como a privatização ajudaria milhões de pessoas a pagar menos impostos. Se a USP em si já está quebrada, imagine as demais.

      • Concordo msd voltamos so seguinte viés: Quando os governos cortam impostos? O problema neste caso (como em qualquet caso de privatizaçao no Br) é que os impostos nao serão reduzidos… O governo vai dar um jeito de deixar o c….cete enfiado até o talo no traseiro dos Brasileiros… Estradas pedagiadas sao otimas, mas desde que foram instauradas nao vi nenhuma reduçao no valor do IPVA ou dos combustiveis… Ai que ta o problema dessa joça de país, eles privatizam mas nao param o parasitismo governamental.

        • Isso não é justificativa para não defender privatizações. Basta defender que elas sejam feitas com a respectiva redução de impostos.

  8. A muito tempo eu acredito que todas as universidades publicas deveriam ser privatizadas. O estado deveria estar presente somente no ensino fundamental de turno integral e ensino médio técnico, nada mais. Universidade bancada pelo estado somente através de um sistema semelhante ao Prouni, com bolsa integral ou parcial para alunos comprovadamente carentes e que tenham aproveitamento escolar que justifique o benefício. Ao final do curso o formando deveria prestar algum tipo de trabalhado social, na sua área de formação, por um determinado período de tempo, a fim de justificar, o investimento efetuado pela sociedade em sua formação acadêmica ou, melhor ainda, pagar de forma parcelada estes gastos.

    • Nâo só as universidades, mas, todas as escolas, e hospitais, e empresas….

      E que se implante um sistema de voucher.

      #PRIVATIZA

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here